ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Uso da condutividade elétrica do leite para detecção de mastite

POR MARCOS VEIGA SANTOS

MARCOS VEIGA DOS SANTOS

EM 24/11/2005

0
0
O uso da condutividade elétrica (CE) do leite como indicador de mastite já é bastante conhecido, sendo que os primeiros estudos iniciaram-se a partir de 1940. Existe uma enorme variedade de pesquisas que foram desenvolvidas para avaliar a acurácia e adequação deste método. Mais recentemente, a avaliação da CE do leite tornou-se disponível nos modernos sistemas de ordenha, nos quais a medição pode ser feita ao longo do período de ordenha e estas informações podem ser imediatamente utilizadas pelos produtores.

Conceitualmente, a CE mede a capacidade de uma solução de conduzir uma corrente elétrica entre dois eletrodos, cujos resultados são expressos em miliSiemens (mS). Deste modo, as concentrações de íons (cátions e ânions) como Na+, K+ e Cl- são os principais determinantes da CE do leite. Estes íons são transportados pelas células da glândula mamária a partir do sangue em condições normais.

Por sua vez, quando a vaca apresenta mastite ocorre aumento das concentrações de Na+ e Cl- no leite, o que tem como conseqüência o aumento da CE. No outro sentido, o K+ e lactose encontram-se diminuídos nos casos de mastite, o que mantém a osmolaridade inalterada. O aumento do teor de gordura do leite reduz a CE, devido à sua característica de baixa condutividade dos glóbulos de gordura.

Além da mastite, outros fatores também podem influenciar a CE, entre os quais se destacam a raça, ordem de parição, estágio de lactação e composição do leite. Um exemplo de variação da CE de vacas com mastite ao longo da lactação é apresentado na figura 1, na qual ocorre uma diminuição nas primeiras semanas e aumento gradativo no restante da lactação. Resumidamente, a curva da CE segue o mesmo padrão da curva de CCS, pois a prevalência de mastite tende a aumentar com o avanço da lactação.

Figura 1 - Média de CE do leite (em milimho) durante a lactação (DIM: dias em lactação) (Fonte: (Norberg et al., 2004).

A CE do leite de vacas sadias (sem sintomas de mastite) varia de 4 a 5 mS, sendo que estes valores aumentam para 5,75 em casos subclínicos e para 6,73 mS para casos clínicos de mastite, ainda que possa ocorrer variação entre os animais e em função do tipo de agente causador de mastite.

Na última década, os avanços na tecnologia para medição da CE do leite permitiram o uso deste método para o monitoramento da mastite nos rebanhos leiteiros. Nos equipamentos de ordenhas mais novos, é possível que sensores e programas de computador sejam instalados, o que permite que toda vaca seja automaticamente avaliada quanto a sua CE em toda ordenha. Nestes equipamentos, normalmente as medições diárias são comparadas com os limites normais daquela vaca e em caso de elevação da CE, o sistema alerta o proprietário para uma avaliação individual da vaca com suspeita de mastite.

Neste tipo de diagnóstico de mastite, pode-se atingir cerca de 80% de sensibilidade (identificação correta das vacas infectadas) e 75% de especificidade (identificação correta das vacas sadias). Desta forma, o uso da CE para detecção de mastite subclínica pode ser uma excelente ferramenta para controle de mastite, quando a medição é acoplada à ordenha, pois permite a identificação precoce e um monitoramente diário de casos de mastite do rebanho.

Fonte: Livestock Production Science, v. 96, p.129-139, 2005.

MARCOS VEIGA SANTOS

Professor Associado da FMVZ-USP

Qualileite/FMVZ-USP
Laboratório de Pesquisa em Qualidade do Leite
Endereço: Rua Duque de Caxias Norte, 225
Departamento de Nutrição e Produção Animal-VNP
Pirassununga-SP 13635-900
19 3565 4260

0

COMENTÁRIOS SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Seu comentário será exibido, assim que aprovado, para todos os usuários que acessarem este material.

Seu comentário não será publicado e apenas os moderadores do portal poderão visualizá-lo.

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.