FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Treinamento de novilhas no pré-parto pode reduzir leite residual e o estresse durante a ordenha

POR MARCOS VEIGA SANTOS

E CAMILA SILANO

MARCOS VEIGA DOS SANTOS

EM 09/03/2013

17
0
Camila Silano* e Marcos Veiga dos Santos


Novilhas em primeira lactação são expostas a diversas experiências novas associadas ao processo de ordenha, e frequentemente é um dos primeiros contatos que estes animais têm com pessoas e com a rotina da propriedade. Essa mudança no manejo pode gerar estresse, aumento dos batimentos cardíacos, liberação do cortisol e menor ejeção do leite, o que impede a completa expressão do potencial produtivo desses animais e resulta em baixa produtividade. Algumas medidas têm sido estudadas para familiarizar os animais com o sistema e o manejo de ordenha no pré-parto para reduzir a agitação na linha de ordenha, a incidência de coices e a queda de teteiras, garantindo uma ordenha com menor risco de acidentes e novilhas mais produtivas durante a primeira semana de lactação.

Sabe-se que a relação homem-animal pode afetar o bem-estar, a saúde e a produtividade de vacas leiteiras, já que o manejo diário é bastante intenso. Já foi demonstrado que vacas com uma distância de fuga menor, isto é, vacas que permitem maior aproximação e contato humano, apresentam comportamento mais calmo durante a ordenha, com maior produção de leite e teores mais elevados de gordura e proteína. Com base nessas informações, pesquisadores da Nova Zelândia realizaram um estudo para determinar se o treinamento de novilhas antes do parto poderia reduzir o comportamento aversivo destes animais durante as primeiras semanas de lactação, assim como se isso teria efeito sobre a produção e composição do leite e se essas respostas estão ligadas ao temperamento de cada vaca.

Foram avaliadas quarenta vacas, divididas em dois grupos de vinte animais cada, sendo dez animais considerados mais reativos ao contato humano e dez menos reativos. Um dos grupos recebeu treinamento para ordenha, que consistia em inseri-los na rotina de ordenha, habituando os animais à sala, à linha, aos equipamentos e aos procedimentos antes e após a ordenha. No primeiro dia de treinamento, pela manhã, as novilhas foram levadas para a sala de ordenha e estimuladas a entrar na linha de ordenha, sem utilização de objetos, apenas com a voz e toque com as mãos. Esse processo foi realizado três vezes. No segundo período de treinamento o processo foi repetido, e durante a permanência das novilhas na linha de ordenha, foram introduzidos alguns objetos utilizados na ordenha, como a lavagem da linha, as canecas e o rádio foi ligado. No terceiro período de treinamento a ordenhadeira foi ligada, foi aplicado o pré-dipping e os ordenhadores tocaram o úbere e membros posteriores dos animais. No quarto e último período de treinamento, os ordenhadores tocaram toda parte posterior dos animais, incluindo o úbere e até os tetos.

Após o parto, as novilhas foram avaliadas durante os cinco primeiros dias de lactação quanto ao comportamento na ordenha, produção de leite, leite residual e concentração de cortisol plasmático. Durante a colocação da teteira e durante o processo de ordenha, as vacas foram avaliadas por um escore de 1 a 4 baseados na frequência e intensidade de chutes e movimentação dos posteriores (1=sem movimentação dos membros; 2=movimentação dos membros posteriores de até 20 cm; 3=movimentação dos posteriores altura maior do que 20 cm, coices para frente; 4=coices para trás). Para avaliar o volume de leite residual, foi aplicada ocitocina intramuscular após o término da ordenha e, após 1 minuto as teteiras foram acopladas novamente e o volume de leite foi medido. Foi coletado sangue no primeiro e quinto dias pós-parto para determinação da concentração de cortisol plasmático.

As novilhas que tiveram algum contato prévio com o manejo e com os tratadores ficaram menos agitadas e deram menos coices durante a primeira semana de lactação. Além disso, o treinamento das novilhas no pré-parto reduziu o estresse durante a primeira semana de lactação, o que pôde ser percebido pela redução do leite residual e das concentrações plasmáticas de cortisol. Provavelmente, a redução do comportamento reativo dos animais com humanos ao longo do tempo foi devido a maior interação e habituação dos animais com a rotina de manejo sendo estabelecida, o que colaborou para que os animais não ficassem tão estressados com a mudança do manejo de ordenha.

O volume de leite residual foi diminuindo ao longo da primeira semana de lactação em todos os animais, independentemente de terem sido treinados ou não, sugerindo que os animais podem ter uma inibição central da ejeção do leite no primeiro dia, e nos dia seguintes se tornam mais habituados ao processo da ordenha propriamente dita. As concentrações de cortisol plasmático foram menores em novilhas que haviam sido treinadas, sugerindo que estas ficaram menos estressadas durante a primeira semana de lactação.

Desse modo, percebe-se que preparar as novilhas para a mudança de rotina que ocorre após o parto e familiarizar os animais com o novo ambiente e novo manejo pode contribuir para que durante as primeiras semanas de lactação os animais se sintam mais confortáveis e isso se traduza em uma ordenha mais tranquila tanto para os animais quanto para os tratadores e menores perdas de produtividade.


Fonte: The effect of training first-lactations heifers to the milking parlor on the behavioral reactivity to humans and the physiological and behavioral responses to milking and productivity. J Dairy Sci. 2012 Dec;95(12):6983-93.

*Camila Silano é médica veterinária e aluna de pós-graduação em Nutrição e Produção Animal da FMVZ-USP.





MARCOS VEIGA SANTOS

Professor Associado da FMVZ-USP

Qualileite/FMVZ-USP
Laboratório de Pesquisa em Qualidade do Leite
Endereço: Rua Duque de Caxias Norte, 225
Departamento de Nutrição e Produção Animal-VNP
Pirassununga-SP 13635-900
19 3565 4260

CAMILA SILANO

Médica Veterinária formada pela Universidade de São Paulo. Mestranda pelo Departamento de Nutrição e Produção Animal da Universidade de São Paulo

17

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CRISTIANE CAROLINE ABADE

LONDRINA - PARANÁ - PESQUISA/ENSINO

EM 18/03/2013

Parabéns pelo artigo!
Esse tipo de pesquisa é ótimo!!! São resultados que ajudam diretamente o produtor =D

Gostaria de partilhar um pensamento meu aqui... o que vocês acham?

Nesse artigo as novilhas eram testadas no período pós-parto separadamente das demais vacas do rebanho e obteve-se resultados bastante positivos.
Acredito eu que se esses animais fossem testados juntamente com vacas de 2 ou mais lactações, a experiência desses animais poderia ajudar as novilhas a se acostumarem com o ambiente da sala de ordenha mais facilmetne e talvez reduzir ainda mais o estresse .

Em uma fazenda onde trabalhei costumávamos ter um grupo só de novilhas e se tinha bastante problema ao introduzir esses animais a sala de ordenha, no entanto quando resolvemos distribuir as novilhas nos lotes das vacas multíparas os problemas de adaptação a ordenha reduziram bastante.

Imagino que o treinamento juntamente com a fase de adaptação com animais mais experientes pode ser um método bastante efetivo para se melhorar o manejo de ordenha de vacas primíparas.

tenham um ótimo dia
ELISABETTA RAFFAELLI

BURI - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/03/2013

otimo
e como vc da a racao x elas comerem o pre parto e as outras a de vacas de alta producao nos primeiros 120 dias???
JOSE DOMINGOS

CAJURU - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/03/2013

Olá Elisabetta,
As minhas novilhas no último mês de gestação já ficam junto com as vacas paridas.
Como minhas vacas são semiconfinadas só dormem no pasto, então fica fácil para eu passar as novilhas 2x por dia por 30 dias. Quando elas parem não dão trabalho algum.
ELISABETTA RAFFAELLI

BURI - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 16/03/2013

ola,Jose,
gostaria saber como e o seu procedimento com as novilhas no preparto, pois eu gostaria fazer, mas nao sei por onde e como comecar
JOSE DOMINGOS

CAJURU - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 15/03/2013

Fico feliz em saber que ja´ha algum tempo adoto este procedimento nos ultimos 30 dias do pre parto e o resultado e´otimo.
TARSILA BASTOS

GUARATINGUETÁ - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 14/03/2013

Muito bom!
ANDERSON EGEWARTH

ITAPIRANGA - SANTA CATARINA

EM 13/03/2013

Olá! Concordo plenamente com sua tese. Com certeza o tipo de manejo usado na propriedade leiteira é o que vai definir o perfil do plantel, e como consequência o nível de stress dos animais. Nos trabalhos de casqueamento que presto,percebo bem isto. Existem fazendas em que os animais mostram-se extremamente assustados e rebeldes, e em outras, os animais caminham com se estivessem em uma exposição. Essa diferença se faz na rotina e no manejo de cada fazenda. Parabéns pelo estudo!
CAMILA SILANO

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - SÃO PAULO - MÉDICO VETERINÁRIO

EM 12/03/2013

Boa noite Elisabetta! Como as suas novilhas são deslocadas no último mês, o treinamento pode ser realizado antes desse período. No estudo o treinamento foi realizado com vacas com até 9 semanas pré-parto. Assim, sugiro que a senhora realize o treinamento uma semana antes de levá-las à maternidade.
O treinamento descrito é realizado em 4 etapas (duas vezes ao dia, durante dois dias consecutivos), mas nada a impede de fazer de outra forma, para facilitar o seu manejo.
Lembrando que o objetivo do treinamento é fazer com que as novilhas fiquem familiarizadas e acostumadas com o manejo e o ambiente antes de serem ordenhadas pela primeira vez.
CAMILA SILANO

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - SÃO PAULO - MÉDICO VETERINÁRIO

EM 12/03/2013

Olá Flavio. Os procedimentos devem ser realizados 2 vezes ao dia (no período da manhã e da tarde) O que se sugere é que em cada momento do treinamento os procedimentos sejam executados 3 vezes. Nem todas as propriedades conseguem realizar tamanha mudança na rotina, no entanto, o importante é que as novilhas cheguem à ordenha no momento pós-parto já tendo experimentado algum contato prévio com o manejo. Por isso, por mais que não seja possível realizar todos os momentos sugeridos, o senhor pode alterar como for mais conveniente, aumentando o número de dias, por exemplo.
Já, em relação ao momento de iniciar o treinamento, pode ser realizado de 9 semanas a 1 semana pré-parto.
SALVADOR ALVES MACIEL NETO

RIO PRETO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 12/03/2013

Quanto as dúvidas dos companheiros, acho que a ideia geral que deve ser seguida e ai adptada a cada propriedade
ELISABETTA RAFFAELLI

BURI - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 12/03/2013

concordo que esse treinamento seria muito util, mas o dificil e como executarlo.
as novilhas na mia fazenda no ultimo mes antes o parto ficam na maternidade, a 200 metros da sala de ordenha.
esse treinamento feito em 4 etapas e todos os dias? 2 vezes ao dia?
FLAVIO SUGUIMOTO

GOIÂNIA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 12/03/2013

Algumas dúvidas os procedimentos devem ser repetidos 3x a cada dia? Com quantos dias antes do parto devemos iniciar o treinamento?
SALVADOR ALVES MACIEL NETO

RIO PRETO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 12/03/2013

Parabéns pelo texto vai ser de grande valia
ÁLVARO DE OLIVEIRA MONTEIRO

JUSCIMEIRA - MATO GROSSO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 12/03/2013

Excelente trabalho! Contribui com a elevação da produção e da qualidade do leite nas propriedades leiteiras. Parabéns!
BRUNO BRITO DE ALMEIDA ROSA

SÃO JOÃO BATISTA DO GLÓRIA - MINAS GERAIS - ESTUDANTE

EM 12/03/2013

Excelente, obrigado pois será útil.
FABIO PADULA

ARAÇATUBA - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 12/03/2013

Parabéns muito bom!!
JULIANO LEONEL GONÇALVES

PIRASSUNUNGA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 12/03/2013

Excelente texto. Parabéns.