ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Remover os pelos do úbere ajuda na melhoria da qualidade do leite

POR MARCOS VEIGA SANTOS

MARCOS VEIGA DOS SANTOS

EM 18/03/2009

2 MIN DE LEITURA

11
2

Uma das principais fontes de novas infecções intramamárias e de contaminação do leite é a presença de bactérias no exterior do úbere. Tanto que um dos mais importantes princípios para a qualidade do leite é ordenha de tetos limpos e secos. Obviamente que esta não é uma tarefa fácil, em particular, nos períodos de calor intenso, chuvas e alta umidade, quando é comum o aumento da CBT e da CCS nos rebanhos.

Entre as estratégias disponíveis para reduzir a contaminação do exterior do úbere, a mais usada é o pré-dipping e a secagem com papel toalha descartável. Muitos produtores fazem a lavagem do úbere e dos tetos com água corrente, mas nesse caso, a principal dificuldade é a secagem adequada, pois, quase sempre, o excesso de água fica escorrendo durante a ordenha e pode levar a contaminação do leite.

Para facilitar a preparação do úbere antes da ordenha, uma medida simples e eficiente é a remoção dos pelos do úbere, já que a presença de grandes pelos facilita a retenção de partículas da cama e esterco. É fácil entender que quando os pelos entram em contato com a teteira ocorre a contaminação do leite. Sendo assim, as vantagens da retirada dos pelos do úbere são: redução do acúmulo de matéria orgânica (esterco, lama, sujidades); diminuição do tempo para preparação do úbere antes da ordenha; mãos e teteiras mais limpas; melhoria da ação do desinfetante; tetos mais limpos e secos; menor risco de ocorrência de mastite ambiental; e como resultado final, menor CCS e CBT.

Para a remoção dos pelos pode-se fazer o corte (tosquia) ou a queima; no entanto, considero que este último procedimento é mais fácil e rápido. Num primeiro momento, pode parecer que a queima dos pelos do úbere represente algum risco de lesão (queimadura) ou incômodo para as vacas, mas quando feito de forma correta, esse procedimento não apresenta riscos e pode ser feito de forma simples e barata. Um ponto bastante importante é que a chama (fogo) usada para a queima deve ser de baixa intensidade (pouco calor) e o contato do fogo com o úbere seja rápido (alguns segundos).

Em alguns países existem equipamentos desenvolvidos com essa finalidade específica, mas uma sequência simples de realizar esse procedimento pode ser visualizada nas fotos abaixo (gentilmente cedidas pelo Dr. Júlio Matsuda, Carambeí-PR). Basicamente, os materiais usados são: álcool, algodão e tubo de metal fechado em uma das extremidades (Figura 1).
 


Figura 1- Materiais a serem usados

 


Figura 2 - Colocar o álcool no tubo de metal.

 


Figura 3 - Acender a chama

 


Figura 4 - Úbere antes da queima

 


Figura 5 - Queima dos pelos

 


Figura 6 - Úbere após queima dos pelos.

O intervalo de tempo de queima dos pelos pode ser de 4-5 semanas; no entanto, alguns rebanhos estabelecem como prática de manejo a queima dos pelos de todas as vacas no período pós-parto, antes da entrada no rebanho de lactação.

Fonte: Gerald M. Jones, Mastitis Tip of the Month -- Flaming Haircuts for Udders, Virginia Tech Cooperative Extension.

Fotos: gentilmente cedidas pelo Dr. Júlio Matsuda (Carambeí-PR).

MARCOS VEIGA SANTOS

Professor Associado da FMVZ-USP

Qualileite/FMVZ-USP
Laboratório de Pesquisa em Qualidade do Leite
Endereço: Rua Duque de Caxias Norte, 225
Departamento de Nutrição e Produção Animal-VNP
Pirassununga-SP 13635-900
19 3565 4260

11

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JULIANO LUCIO FERREIRA

PALMEIRAS DE GOIÁS - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/05/2009

Prezado Marcos ,
Utilizo também para a flambagem uma lamparina.Está funcionando muito bem.
Juliano Lucio Ferreira
VALMIR BATAGLION

SELBACH - RIO GRANDE DO SUL - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 12/05/2009

Estamos usando está pratica e estamos tendo uma melhora significativa na qualidade do leite; também estamos usando o método dermisan substituindo a água e o papel toalha para secagem dos tetos.
JÚNIOR CÉSAR BATISTA DE ALMEIDA

TAIOBEIRAS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 07/04/2009

Gostaria de parabenizar pela iniciativa. Mas ainda assim fica uma dúvida com relação à possibilidade te estressar ou traumatizar a vaca. Consequentemente reduzindo o leite. Já aconteceu algo parecido?

<b>Resposta do autor:</b>

Prezado Júnior César Batista de Almeida,

Desde que seja feito de forma rápida, não há risco de lesão do úbere (queima) ou de redução da produção de leite. Esse é um procedimento para ser realizado de forma rápida evitando o máximo de estresse para o animal.

Atenciosamente, Marcos Veiga
OTO

CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - ESPÍRITO SANTO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 01/04/2009

Parabens!
A ideia é muito original. E afinal, sobre o aparelho removedor de pelos, alguem tem ideia de preço?
WILLIAM J A P SOUSA

GOIÂNIA - GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 22/03/2009

Muito boa essa materia. Existe alguma possibilidade dos animais demorarem a voltar a produção de leite normal, devido "ao stress" provocado pela queima? Se alguém souber ou que já tenha a experiência por favor compartilhe comigo. Grato!

<b>Resposta do autor:</b>

Prezado William J A P Sousa,

Em relação aos colegas que usam esse procedimento como rotina, as informações que eu tenho é de que o estresse causado é mínimo.

Atenciosamente, Marcos Veiga
MARIA AMELIA MARTINS SANT ANNA

RIO DE JANEIRO - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 21/03/2009

Mais uma ajuda que nos traz o MilkPoint. Nosso muito obrigado ao Dr. Marcos Veiga dos Santos.
ROBERTO MANSO LEITE

PINDAMONHANGABA - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 20/03/2009

Parabéns pela matéria, mas gostaria de fazer uma pergunta: A flambagem deve ser feita antes ou depois da ordenha?

<b>Resposta do autor:</b>

Prezado Roberto Manso Leite,

Acho que a resposta depende muito do manejo de cada fazenda, mas não vejo nenhuma grande limitação ou vantagem entre se fazer antes ou depois da ordenha. O procedimento depois da ordenha evitaria algum desconforto que pode afetar a descida do leite.

Atenciosamente, Marcos Veiga
WESLEY STELZER BADABADA

VITÓRIA - ESPÍRITO SANTO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/03/2009

Parabéns pela matéria, muito interessante e pratico.
MÁRCIO THEODORO DE FIGUEIREDO

ALTINÓPOLIS - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/03/2009

Ótima dica e simples para adotar no manejo.
PLINIO

VÁRZEA DA PALMA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/03/2009

Parabens! Uma maneira simples, barata e pratica. É disto que o produtor precisa, de boas ideias! Criativas!
RENATO CALIXTO SALIBA

BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 18/03/2009

Já tinha visto este procedimento, mas não usando um tubo fechado com álcool dentro. No sistema que vi foi o lança chamas para pelar porco, onde usava-se o GLP com a chama amarela e também funcionava bem e a medida que passava-se o fogo a pessoa com uma luva de raspa de couro passava a mãe tirando os pelos queimados.
MilkPoint AgriPoint