ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Conceitos básicos sobre a qualidade microbiológica do leite

POR MARCOS VEIGA SANTOS

MARCOS VEIGA DOS SANTOS

EM 06/04/2000

1 MIN DE LEITURA

1
0

Marcos Veiga dos Santos

De forma prática e objetiva, leite de alta qualidade deve apresentar as seguintes características: sabor agradável, alto valor nutritivo, ausência de agentes patogênicos e contaminantes (antibióticos, pesticidas, adição de água e sujidades), reduzida contagem de células somáticas e baixa carga microbiana.

Sem dúvida, dentre todas as características relacionadas à qualidade, as características microbiológicas do leite são consideradas de fundamental importância pois são indicativos seguros da saúde dos animais, condições higiênicas na ordenha e eficiência do sistema de resfriamento do leite. Podemos ainda tratar o tema de qualidade microbiológica do leite considerando dois enfoques: condições higiênicas de produção do leite e riscos à saúde dos consumidores.

Basicamente, os microrganismos mais importantes em relação à qualidade do leite são as bactérias, enquanto que fungos, vírus e leveduras têm menor importância. Bactérias são organismos microscópicos que se multiplicam rapidamente no leite, uma vez que este é um material rico em nutrientes. No processo de multiplicação bacteriana ocorrem diversas alterações nos componentes do leite, podendo acarretar diferentes prejuízos à qualidade do produto. Esta é a principal razão pela qual se busca reduzir ao mínimo a presença de bactérias no leite.

Um fator de fundamental importância no crescimento bacteriano é a temperatura do leite. Geralmente, baixas temperaturas reduzem o crescimento das bactérias e, por isso, recomenda-se resfriar o leite imediatamente após a ordenha. De acordo com a temperatura ótima de crescimento das bactérias podemos classificá-las em: mesófilas (temperatura ótima de crescimento entre 20 e 40oC), termófilas (temperatura ótima de crescimento entre 45 e 55oC), e psicrófilas (temperatura ótima de crescimento entre 0 e 15oC).

Dois outros grupos de bactérias que têm sido muito estudados recentemente são: psicrotróficas, que são bactérias capazes de crescimento em baixas temperaturas - <= 7oC - independente da temperatura ótima de crescimento, e bactérias termodúricas, que sobrevivem ao processo de pasteurização.

Esta simples classificação tem aplicação prática direta nas fazendas leiteiras, uma vez que com o controle da temperatura do leite após a ordenha (por exemplo através do resfriamento) podemos compreender os diferentes problemas que cada um dos grupos de bactérias podem causar, assim como que tipo de medidas devem ser tomadas para a correção.

 

********



fonte: MilkPoint

MARCOS VEIGA SANTOS

Professor Associado da FMVZ-USP

Qualileite/FMVZ-USP
Laboratório de Pesquisa em Qualidade do Leite
Endereço: Rua Duque de Caxias Norte, 225
Departamento de Nutrição e Produção Animal-VNP
Pirassununga-SP 13635-900
19 3565 4260

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JOSÉ CARLOS ATAIDES GODINHO

SÃO LUÍS DE MONTES BELOS - GOIÁS - ESTUDANTE

EM 28/09/2009

boa noite!!!!!!!!! sou acadêmico da Unversidade Estadual De Goiás estou no ultimo periodo da zootecnia.estou fazendo minha monografia em relação a contagem bacteriana total no leite .gostaria de ter acesso a materias referente a este tema .estou com dificuldade de achar no milkpoint.
MilkPoint AgriPoint