FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Colostro: quase uma "poção mágica" para os bezerros

EDUCAPOINT

EM 27/02/2020

1
0
Muitos cientistas e veterinários disseram que não existem "balas de prata" ou "curas milagrosas" quando se trata de criar bezerros saudáveis e produtivos. Nenhuma pílula ou poção pode superar os fundamentos da cama limpa e seca; nutrição abundante e precisa; e excelente ventilação.

Mas se algo se aproxima desse “elixir”, é algo que não sai de um frasco ou garrafa. Ele sai do úbere da vaca, logo após o nascimento do bezerro, e é essencialmente "gratuito". O colostro, ao que parece, é o soro superalimentado com potencial de afetar diretamente a saúde, o crescimento e a produtividade dos bezerros, desde o primeiro dia até a idade adulta.

O colostro é amplamente reconhecido como uma fonte crítica de imunoglobulina G (IgG), um anticorpo protetor que ajuda os bezerros a afastar organismos causadores de doenças até que seu próprio sistema imunológico esteja em funcionamento. A capacidade dos bezerros de absorver IgG através da parede intestinal e na corrente sanguínea diminui significativamente após 4 horas após o parto, razão pela qual o primeiro fornecimento de colostro é tão importante.

Os pesquisadores observaram que, além da IgG, o colostro traz uma verdadeira cesta de outros benefícios para o bezerro recém-nascido, incluindo outros benefícios de imunidade e crescimento; calor; hidratação; altos níveis de gordura pronta para energia; e outros nutrientes importantes, incluindo vitaminas lipossolúveis, vitamina B12 e ferro.

⇒ Aprenda mais sobre esse tema com o curso Princípios do aleitamento de bezerras. Lembrando-se que você pode adquirir o curso individualmente ou assinar a plataforma EducaPoint e garantir o acesso a todos os cursos (mais de 170!) por um preço único!

Quanta diferença faz de fato o colostro na saúde dos bezerros? Um grupo de pesquisadores chineses examinou essa questão em um estudo recente publicado no Journal of Dairy Science (Yang et al., 98: 7153-7163).

Nesse estudo, 24 bezerros recém-nascidos machos da raça Holandesa receberam um dos três tipos de alimentação no primeiro dia de vida - colostro da primeira ordenha, leite de transição (ordenhado de vacas 2 ou 3 dias após o parto) ou leite integral (tanque a granel). Outros 4 bezerros controle não receberam alimentação e foram sacrificados e necropsiados logo após o nascimento para estabelecer uma linha de base comparativa da estrutura intestinal.

Os bezerros no estudo de alimentação receberam 4,0 L de seus tipos de leite prescritos imediatamente após o nascimento, e outros 2,0 L às 8 horas após o nascimento. A partir do segundo dia de vida, todos os 24 bezerros receberam cuidados, alimentação e alojamento idênticos.

No dia 8 de vida, quatro bezerros de cada grupo de alimentação foram sacrificados e necropsiados, para que os pesquisadores pudessem avaliar os efeitos dos vários tratamentos no desempenho físico e no desenvolvimento do trato digestivo.

Confira abaixo suas principais descobertas:

- Os níveis de IgG ingeridos pelos bezerros foram 422,4, 231,6 e 3,6 µg/mL para colostro, leite de transição e leite integral, respectivamente;

- Os bezerros alimentados com colostro apresentaram o desenvolvimento mais avançado e uniforme do trato digestivo, com as maiores alturas de vilosidades intestinais e maiores profundidades de cripta. A espessura da mucosa também foi maior no grupo alimentado com colostro;

- Por outro lado, as vilosidades nos bezerros alimentados com leite integral foram descritas como não uniformes, esparsas e severamente atrofiadas;

- No dia 8, o ganho de peso no grupo do colostro atingiu em média um total de 2,2 kg por cabeça e no grupo leite de transição, 1,7 kg por cabeça. O grupo de leite integral perdeu uma média de 0,4 kg por cabeça;

- Os bezerros do grupo colostro não apresentaram diarreia e nenhum morreu durante o estudo. Um bezerro no grupo do leite de transição teve diarreia. Cinco bezerros do grupo com leite integral tiveram diarreia e três desses animais morreram.

Os pesquisadores disseram que suas descobertas reforçaram o valor do colostro no estabelecimento da imunidade após o nascimento, o que poderia ajudar a reduzir os efeitos de organismos causadores de doenças, promover o desenvolvimento do trato digestivo e, assim, apoiar o crescimento, a saúde e a sobrevivência dos bezerros. O trabalho deles verifica ainda a “mágica” que pode ser trabalhada com colostro limpo, de alta qualidade e com eficiência.

* Baseado no artigo Colostrum: The Nearly Magical Mix, de Maureen Hanson, para a Dairy Herd Management.

Mais informações:
contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082

Fonte consultada:

Colostrum: The Nearly Magical Mix (https://www.dairyherd.com/article/colostrum-nearly-magical-mix)

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ANDRÉ REZENDE ZULIANI

LAVRAS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 28/02/2020

Uma dúvida. Leite de transição causa diarréia?