FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Novos conceitos abordando espaçamento de cocho para animais em início de lactação

POR COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

COWTECH

EM 01/02/2002

0
1
Ao visitarmos propriedades, uma questão comumente levantada pelos produtores e constantemente debatida por técnicos diz respeito ao espaçamento ideal de cocho para cada animal em produção. Hoje, praticamente, há um consenso em relação ao valor de 0,60 m a 0,70 m de cocho por animal. Mas será que determinados animais, com determinada produção de leite e fase da lactação não se beneficiam de espaçamento maior?

Com o intuito de melhor esclarecer esta questão e verificar se estes conceitos são válidos, trazemos informações de uma fazenda norte-americana, a Hill Top Dairy, em Dakota, com 1400 animais ordenhados três vezes ao dia, alojados em dois free-stalls, projetados de acordo com os padrões adequados para garantia de conforto dos animais. Cada lote tem à disposição 74,4 metros de cocho livre. O consumo de MS da dieta total (TMR) é avaliado em todos os lotes diariamente e a dieta é revolvida (para estimular consumo) 10 vezes ao dia.

O lote 1 é formado apenas por animais em início de lactação (recém-paridas) recebendo dieta para alta produção, acrescida de feno de alta digestibilidade. O consumo de MS no lote de animais em pré-parto oscila entre 13 e 14 kg de MS/vaca/dia e nos animais em lactação, entre 21 e 23,5 kg de MS/vaca/dia. A produção de leite média oscila entre 34,5 a 37,1 litros de leite/vaca/dia, com cerca de 45% do rebanho em produção foi constituído por animais de primeira cria.

Os proprietários da fazenda informam que havia grande oscilação no consumo, provavelmente associada ao espaçamento oferecido de cocho para o lote em início de lactação. O comprimento efetivo do cocho, de 74,4m, seria adequado para 122 vacas com 0,61 m de cocho para cada vaca.

Porém, em um dado momento, quando o lote 1 atingiu 122 animais recém-paridos, foram removidas 25 vacas para o lote 2. Tal mudança gerou um aumento imediato no consumo de MS, entre 0,900 e 1,350 kg de MS/vaca/dia.

Posteriormente, foram removidas mais 25 vacas, restando apenas 72 vacas com mais de 1m de cocho disponível/cabeça para alimentação. Novamente foi verificado um novo aumento imediato no consumo de MS, também entre 0,900 e 1,350 kg de MS/vaca/dia. Este teste foi realizado por mais quatro ocasiões, apresentando a mesma tendência de aumento médio de ingestão de MS de 1 kg/cabeça/dia.

Para os administradores da propriedade, os resultados obtidos foram surpreendentes, uma vez que aparentemente não estaria havendo limitação do espaço de cocho: sempre havia locais vazios e em nenhum momento houve falta de comida no cocho, mesmo no lote com 122 vacas. Porém, as vacas “disseram” o contrário.

Segundo os mesmos, seria interessante a observação de pesquisas semelhantes com animais em início de lactação em outras propriedades. A incidência de deslocamento de abomaso também foi bem superior quando se tinha 122 vacas em comparação a 72 vacas no lote pós-parto.

Comentário MilkPoint: trata-se de um teste de campo, mas com dados interessantes. Normalmente, as vacas pós-parto representam uma pequena parcela do rebanho, de forma que mantê-las com maior espaço de cocho é algo factível, ainda que não tenhamos dados de pesquisa suficentes para embasar tal decisão.

Fonte: Hoard’s Dairyman, setembro 2001

COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

Espaço para artigos e debates técnicos expostos por especialistas e equipe de consultores.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.