FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

O índice "razão verão/inverno" para produção de leite em regiões frias e quentes dos EUA e Israel

POR ISRAEL FLAMENBAUM

COWCOOLING - FLAMENBAUM & SEDDON

EM 21/01/2020

2
4

O estresse causado pelo calor do verão leva a perdas econômicas significativas para o gado dos EUA e, especialmente, para a indústria de laticínios. Diferentes estudos realizados nos Estados Unidos indicaram uma perda anual de cerca de US$ 1,5 bilhão para a indústria. Isso se deve ao fato dos produtores de leite dos EUA lidarem mal com o problema 'estresse térmico'. As perdas diferem, é claro, entre as diferentes regiões do País. As regiões de climas temperados no norte têm perda anual de leite por vaca de 200 litros, com baixa financeira de cerca de US$ 50. Nos estados do sul, por sua vez, a perda anual de leite por vaca chega a 2000 litros e as perdas financeiras são de mais de US$ 600.

O índice "verão/inverno" foi desenvolvido em Israel há quase 20 anos. Foi realizado por meio de uma cooperação entre especialistas do Ministério da Agricultura de Israel e da Associação de Criadores de Gado de Israel (ICBA). Este índice foi desenvolvido como uma ferramenta para avaliar o impacto do calor do verão no desempenho das vacas em fazendas leiteiras de Israel, bem como para avaliar o grau de melhoria alcançado quando medidas são utilizadas para aliviar o estresse das vacas. O índice obtido pela razão verão/inverno inclui a média diária de produção de leite, gordura e proteína de cada vaca por mês, bem como o pico de lactação, a contagem de células somáticas do leite (CCS) e as taxas de concepção no verão e no inverno (TC). Quanto mais próxima a razão for de 1, menor o impacto do estresse térmico de verão no desempenho das vacas, geralmente devido ao uso ideal de medidas de mitigação de calor (resfriamento).

Há quase 15 anos, apresentei esse tópico na reunião anual da American Dairy Science Association, realizada naquele ano em Phoenix, Arizona. Com base nos dados apresentados, pesquisadores de várias universidades dos EUA, a maioria deles do sul dos EUA, juntos, executaram a pesquisa publicada em um artigo presente na edição de outubro de 2019 da revista American Journal of Dairy Science. O objetivo de escrever este artigo é compartilhar com os leitores no Brasil as conclusões da pesquisa, confrontar as descobertas dos EUA com as obtidas em Israel e comentar algumas das minhas ideias sobre os resultados.

A pesquisa nos EUA incluiu mais de 15.000 fazendas leiteiras, localizadas em 40 estados dos EUA, no período de 2007 a 2016. Para comparação, as fazendas foram divididas em cinco regiões climáticas diferentes dos EUA. De um lado, as regiões do Norte (caracterizadas por clima temperado e relativamente favorável para vacas leiteiras no verão) e, de outro, regiões do Sudeste (caracterizadas por climas tropicais e subtropicais).

Sendo os dados do artigo particularmente grandes, decidi me concentrar em apresentar apenas os de rebanhos de duas regiões, que representam condições climáticas diferentes. São eles, rebanhos da região Centro-Oeste (condições de verão próximas à região montanhosa de Israel), com cerca de 8000 rebanhos na pesquisa, e fazendas no sudoeste (condições de verão semelhantes às que enfrentamos na parte mais quente de Israel), com cerca de 1.500 rebanhos na pesquisa.

A razão verão/inverno para produção e composição do leite, em fazendas localizadas em partes frescas e quentes dos EUA, é apresentada na tabela 1.

Tabela 1 - Razão verão/inverno (V:I) (quartos superior e inferior e média), para produção de leite (ECM - leite corrigido pela energia), conteúdo de gordura e proteína, em fazendas leiteiras dos Estados Unidos.

A partir do apresentado na tabela 1, pode-se observar que o efeito negativo do verão na produção de leite (mas menor na composição do leite) é maior em fazendas localizadas na parte quente dos EUA, em comparação com as localizadas na parte fria.

Tendo essas informações e fazendo parte dos especialistas que desenvolveram esse índice no passado em Israel, decidi comparar os resultados dos EUA com os obtidos em Israel. A comparação foi feita pelo mesmo período de tempo, para fazendas leiteiras localizadas em regiões frias de Israel (montanhas) e região quente (vale do Jordão). As informações foram extraídas do "livro de rebanhos" da Associação de Criadores de Gado de Israel. O índice de razão verão/inverno da produção de leite em fazendas leiteiras localizadas em regiões frias e quentes dos EUA e Israel é apresentado na tabela 2.

Tabela 2 - Razão verão/inverno (V:I) (quartos superior, inferior e média), para produção de leite (ECM), em fazendas leiteiras localizadas em regiões frias e quentes dos EUA e Israel.

A partir do apresentado na tabela 2, pode-se observar que, como esperado, o efeito negativo do verão na produção de leite é maior nas regiões quentes, quando comparado às regiões frias, tanto nos EUA quanto em Israel. Em média, a queda na produção de leite no verão é um pouco maior nas fazendas leiteiras nos EUA do que em Israel. Há uma grande variação entre as fazendas em relação ao índice de razão verão-inverno, indicando que ainda há muito trabalho a ser feito neste tópico em parte das fazendas nos dois países. A maior diferença entre os trimestres mais altos e mais baixos, obtida em regiões frias e quentes dos EUA, em comparação com Israel, representa maior uniformidade nas características de produção de leite nas fazendas israelenses, o que provavelmente pode estar relacionado a uma melhor implementação de meios de resfriamento de vacas no verão, bem como sua implementação em uma maior proporção de fazendas leiteiras em Israel, em comparação com as de ambas as partes nos EUA.

ISRAEL FLAMENBAUM

Especialista no estudo do estresse térmico em vacas leiteiras, professor na Hebrew University of Jerusalém, tem ministrado cursos e treinamentos sobre o assunto em diversos países.

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JOSE SIDNEI BEZERRA LIMA

MACAÍBA - RIO GRANDE DO NORTE - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 21/01/2020

Bom dia a todos.
Dados interessantes.
Como é calculado esse indice: Razão verão/inverno ?
Grato.
MAYSA SERPA

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 22/01/2020

Olá, José, tudo bem? O Israel (autor do artigo) enviou para nós a resposta da sua pergunta e pediu que traduzíssemos. Segue:

"Nós comparamos os valores obtidos de médias corrigidas de produção de leite, preço do leite corrigido (ECM), gordura, proteína, células somáticas (CCS) e taxa de concepção durante o inverno (janeiro-março) e verão (julho-setembro)."

Se você quiser mais informações, pode ler este outro artigo:

https://www.milkpoint.com.br/artigos/producao/indice-de-relacao-veraoinverno-ferramenta-para-avaliar-o-efeito-do-resfriamento-na-fertilidade-de-vacas-leiteiras-no-verao-93613n.aspx

ou assistir o curso sobre disponível na plataforma EducaPoint:

"Manejo do estresse térmico para aumento da lucratividade na fazenda". (https://www.educapoint.com.br/int/268/)