ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Tipos de contrato de serviço terceirizado de criação de novilhas

POR CARLA MARIS MACHADO BITTAR

E LUCAS SILVEIRA FERREIRA

CARLA BITTAR

EM 15/12/2006

9 MIN DE LEITURA

2
0
A especialização da pecuária leiteira nos Estados Unidos tem resultado no crescimento de serviços terceirizados, como o de criadores de novilhas. Estes prestadores de serviço são responsáveis pela criação dos animais de reposição, permitindo aos produtores focalizar a gerência e os recursos aos animais em produção. Quando se trabalha com este sistema, o produtor recebe animais de reposição de melhor qualidade, que em muitos casos são superiores às bezerras criadas na própria fazenda.

Entretanto, devido a muitos fatores, o sistema nem sempre trabalha perfeitamente e o produtor pode acabar pagando um alto preço, com animais com peso, tamanho e condição de escore corporal inadequados no momento do parto, resultando em menor potencial de produção. Para novas fazendas ou propriedades em expansão, isto pode ser especialmente sério devido à redução no fluxo de dinheiro como resultado de uma menor produção de leite.

Contratos bem sucedidos para criação de novilhas são dependentes de uma comunicação eficaz, de benefícios mútuos para produtores e criadores, dos adequados programas de manejo sanitário e de alimentação, e da integridade dos indivíduos envolvidos. É importante salientar que este tipo de serviço ocorre não só nos EUA, mas também na Nova Zelândia, sendo o sistema de criação baseados em pastagens.

Diferentes tipos de contratos podem ser usados para proteger o produtor e o criador. A maioria destes contratos é similar àqueles utilizados na pecuária de corte. Com pagamentos por dia de permanência na propriedade, por kg de ganho de peso ou um preço determinado para todo o tempo de vigência do contrato que pode ser até o pré-parto da novilha. Entretanto, existem diferenças de acordo com o sistema de produção, podendo gerar contratos bem mais sofisticados do que aqueles baseados somente no kg de ganho de peso.

Para explicar o que os diferentes contratos, Wickham (1997) apresentou aqueles utilizados (Choice Heifers Systems) por uma empresa prestadora deste tipo de serviço na Nova Zelândia, a New Zeland Grazing Company Limited, durante a 1a. Reunião Nacional da Associação de Criadores de Novilhas nos EUA (Professional Dairy Heifers Growers Association).

Os sistemas de pastejo oferecidos por esta prestadora de serviço estão divididos em duas categorias principais: Taxa Linear (Flat rate) e Garantias (Guaranteed). Estas duas categorias, por sua vez, são divididas em diferentes sistemas de pagamento, cada um delineado para um diferente propósito, como esquematizado abaixo:


Sistemas de Taxa Linear (Flat Rate)

No sistema de Taxa Linear (Flat Rate) não há garantia de peso final e não se pré-determina um preço para pagamento das taxas de pastejo dos animais. Cada acordo é decidido por seus méritos, levando-se em conta alguns fatores como a raça do animal, época do ano, tamanho e maturidade do animal e outras condições especiais. Um valor é aplicado para todos os rebanhos em qualquer acordo - por isso, o termo Flat Rate.

Dentro deste sistema ainda existem três formas de pagamento: o pagamento semanal; o pagamento por ganho de peso e o pagamento pela manutenção dos animais.

1) Semanal (Flat rate weekly) - Este tipo de contrato é principalmente aplicado em situações em que a permanência dos animais no criador terceirizado é de curta duração: extensão um contrato do tipo Garantido (Guaranteed); permanência de animais durante uma estação de pastejo, seja de verão ou de inverno; permanência de tempo curto para recuperação de peso vivo. Neste sistema não existe pagamento por peso vivo, e sim um pagamento semanal. Dessa forma, o criador de novilhas não tem um incentivo de criar estes animais até seu máximo potencial em termos de ganho de peso. Entretanto, deve ser oferecido alimento suficiente para mínima manutenção de condição corporal e peso vivo dos animais.

2) Ganho de Peso (Flat rate weight gain) - Como o nome sugere, são contratos com pagamento por ganho de peso durante o período em que animal está na propriedade prestadora de serviço. O peso inicial e final é ajustado por uma quantidade padrão (por exemplo, 0,5 kg/dia) para correções entre o dia da pesagem e o dia do transporte dos animais.

Entretanto, uma vez que o peso final não é conhecido até o final do contrato, o criador é pago por uma taxa progressiva semanalmente, resultando em um crédito a frente do final do contrato. Em condições ideais, ao final, os valores devem coincidir de forma que não haja dívida entre o contratante e o contratado. Na prática, a conta final do contrato pode variar entre um grande valor devido, se os animais apresentarem ganho de peso acima da expectativa, ou um grande crédito a ser retornado ao dono dos animais se estes apresentarem ganho abaixo do esperado.

Os sistemas de Ganho de Peso são melhores adaptados para animais que tem peso abaixo do peso objetivo e oferecem um pequeno incentivo aos criadores em relação ao sistema de garantias, porque estes atraem pagamentos para alto peso vivo. O sistema de Ganho de Peso não é adaptado para animais grandes ou adultos que tem alta exigência de mantença, mas que tem um potencial de ganho de peso limitado.

3) Manutenção (Flat rate maintenance) - As limitações do sistema de Ganho de Peso para animais grandes e adultos foram grandemente superadas com a introdução deste sistema. Neste contrato, o pagamento por ganho de peso é dividido em dois. Adicionalmente ao pagamento por ganho de peso, existe uma taxa paga por manutenção baseada no peso inicial do animal, que é paga por quilograma por semana, como no exemplo: novilha de 250 kg x $1,00/100 kg x 50 semanas = $125,00.

Sistema de Garantias (Guaranteed)

O sistema de Garantias, por outro lado, tem garantia de peso final e um preço pré-determinado e previamente combinado, porém alterável. Cada animal tem seu próprio preço, de acordo com a criação, idade e sistema de alocação, o que se refere a taxa de crescimento do animal. Existem também diferenças de preços entre bezerras desaleitadas e novilhas.

O sistema de Garantias surgiu a partir do desejo de produtores e prestadores de serviço de contratos com cálculos do preço final menos complicados, com pagamento semanal e melhor fluxo de caixa durante o contrato. Existia também uma demanda por maiores garantias em pesos por parte dos produtores; enquanto as prestadoras de serviço queriam introduzir um conceito de garantia individual aos animais, ao invés de médias de grupo e correções de peso de acordo com a idade animal. De acordo Wickham (1997), estes foram conceitos revolucionários que ainda não eram empregados por qualquer outra empresa no mundo que não a New Zealand Grazing Company Limited.

O sistema de garantias é em sua essência, um sofisticado contrato de manutenção, no qual cada animal é alocado em uma garantida curva de crescimento para um peso final, baseado em seu peso inicial e sua raça, corrigido pela data de nascimento e as expectativas do cliente, o chamado Sistema Nominal (Nominated System). Esta curva de crescimento é denominada de Sistema de Alocação (Allocated System) e se refere a taxa ou velocidade de crescimento do animal, que pode ser subdividida em Elite, Super, Padrão, Mínimo, Orçamento, conforme determinação do cliente.

O peso final garantido para cada nível é determinado de acordo com pesos finais encontrados na cadeia leiteira. Se um animal não se qualificar de acordo com as exigências de garantia para a classe Orçamento ou Mínimo, este é recolocado no nível mínimo, porém sem garantias de peso final.

Ao invés de utilizar medidas absolutas de monitoramento do crescimento como base para o cálculo do pagamento do peso final, o sistema de garantias utiliza o peso relativo ao nível ou classe de garantia ao qual o animal foi alocado.

Entre as vantagens deste tipo de contrato, destacam-se:

Não há necessidade de pagamento progressivo antes do final do contrato. Os pagamentos são divididos entre pagamentos semanais padronizados pagos durante o contrato e um pagamento final baseado no peso acima ou abaixo do peso no dia da pesagem;

Não há necessidade de ajustar pesos iniciais e finais, desde que o período entre a pesagem e o transporte para a volta à propriedade seja razoavelmente curto;

Preços para bezerras desaleitadas e novilhas podem ser diferentes e não há necessidade de pesagem ao final de cada período para calcular o ganho de peso de cada período separadamente;

Planejamentos orçamentários são mais fáceis. É simplesmente verificar o peso médio ou individual a qualquer momento e calcular o pagamento final;

Existe uma escala de garantia de pesos finais, conforme o sistema de alocação. Produtores, têm uma clara indicação, no momento do fechamento do contrato, quais são as expectativas;

Planejamentos orçamentários com alimentação também são mais simples. Cada animal pode ser identificado como abaixo do peso, podendo o criador ajustar o regime alimentar conforme necessidade, garantindo o peso final de acordo com o sistema de alocação;

Penalidades no pagamento, como no caso de morte de animais, podem ser definidas e padronizadas no contrato, assim como ocorre para peso final, com uma fórmula usando peso inicial.

Referências:

Wickman, I.W. Guaranteed contracts In: Proc. Facing the challenge head on - First National Professional Dairy Heifer Grower´s, Atlanta, p.43-47, 1997.

Comentário

Nos últimos meses temos visto grande debate a cerca deste tópico: a terceirização da criação de novilhas. Foram publicadas matérias nas revistas Balde Branco e Leite DPA, além de nosso último Radar Técnico, o qual recebeu muitos comentários e indagações. Isto evidencia que este é um assunto ainda a ser mais explorado e entendido por técnicos e produtores. É importante salientar que as experiências descritas na Revista Balde Branco se referem a uma cooperativa que compra animais na região e faz a recria, vendendo os animais aos cooperados quando aqueles se encontram com aproximadamente 4 meses de gestação.

O serviço terceirizado funciona de uma forma diferente. O prestador de serviço cria os animais do contratante, ou seja, o produtor leva suas bezerras para serem recriadas em uma outra propriedade, pagando por este serviço através de contrato. A principal vantagem deste tipo de serviço, em comparação à compra de animais mesmo que recriados em sistema especializado nesta atividade, é a certeza da qualidade genética dos animais que substituirão vacas descartadas.

Os diferentes tipos de contrato apresentados neste Radar Técnico foram apresentados por um técnico de uma prestadora de serviço da Nova Zelândia e demonstra que os contratos podem ser realizados das mais diversas maneiras, agradando ambas as partes (contratante e contratado) para a produção de novilhas de reposição de alta qualidade, com peso, tamanho e condição corporal adequados ao parto. Ao que tudo indica, o maior fator de impacto no preço final da novilha recriada por serviço terceirizado é sua taxa de ganho de peso e a duração deste contrato.

Em sistemas baseados em pastagens, altos ganhos de peso ocorrerão somente com a suplementação com alimentos concentrados o que deverá refletir fortemente no custo por kg de ganho. O sistema de Garantias aplicado por esta empresa parece ser bastante justo e tem como objetivo garantir a produção de animais com características adequadas de modo a não reduzir seu potencial de produção de leite. Detalhes sobre o manejo sanitário, alimentar e reprodutivo não foram apresentados neste trabalho, mas é de se esperar que sejam bem definidos no momento da contração do serviço.

Existe grande expectativa de que estes serviços, seja a recria contratada ou criadores especializados que vendam seus animais já em gestação, cresça e se desenvolva no Brasil, assim como nos EUA e na Nova Zelândia.

CARLA MARIS MACHADO BITTAR

Prof. Do Depto. de Zootecnia, ESALQ/USP

LUCAS SILVEIRA FERREIRA

Engenheiro agronômo formado pela UFSCar e Doutor em Ciência Animal e Pastagens pela ESALQ - USP na área de nutrição e avaliação de alimentos para bovinos. Atualmente exerce a função de Nutricionista de Ruminantes na Agroceres MMX Nutrição Animal

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JOCIANO JUCA DA SILVA

LIMOEIRO DO NORTE - CEARÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 26/03/2010

Eu sou jociano juca da silva, o endereço de e-mail é o mesmo, queria colocar algo no site sobre a cooajap, cooperativa agropecuaria jaguaribe apodi, e colocar varias fotos e comentarios sobre a empresa,
queria tambem uma ajuda sobre como fazer um contrato pra criação de gado de recria.
CARLOS EDUARDO FREITAS CARVALHO

GOIÂNIA - GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 16/12/2006

Muito interessante o artigo. Apenas gostaria de acrescentar que, tendo em vista a grande eficiência que foi a criação de novilhas para seus cooperados, mesmo estas adquiridas em outra região, a intenção da Confepar é pegar as bezerras recém-nascidas dos próprios produtores e entregá-las próximo ao parto, deixando o produtor despreocupado com este setor da atividade, que envolve um cuidado muito especial quando bem feito.
MilkPoint AgriPoint