ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Gestão do bem-estar animal no período de transição

AGRINDUS/SA

EM 18/10/2021

3 MIN DE LEITURA

5
5

Bem-estar animal e produção sustentável estão cada vez mais presentes quando se fala em uma pecuária profissional e esse é um processo inexorável na atividade.

Quando se trata do período de transição, considerado o estágio de maior importância no ciclo produtivo das vacas leiteiras, muitos são os aspectos que devem ser levados em consideração e o bem estar entra na ordem de prioridade.

Esse Período de Transição compreende as 3 semanas pré-parto e 3 semanas pós-parto, (Alvez et al.,   2009) onde as vacas passam por diversas alterações metabólicas para suprirem o aumento das demandas energéticas (Reis et al., 2016) e estão susceptíveis a ocorrência de doenças (Esposito et al.,  2014; Ingvartsen e Moyes, 2013), gerando grandes perdas econômicas aos produtores.

O objetivo é preparar as vacas para parirem em boas condições, com uma taxa de descarte reduzida. A fazenda Santa Rita - Agrindus, uma das maiores produtoras de leite do Brasil, localizada em Descalvado (SP), procura investir em bem estar animal nesse período também e as vacas respondem de forma muito clara.

O pré-parto na fazenda é dividido entre vacas e novilhas, respeitando a hierarquia dos animais, onde as vacas ficam alojadas em um compost barn dos 60 dias antes do parto e separadas aos 30 dias no mesmo galpão, com dieta específica para cada fase, ventilação controlada de acordo com a temperatura ambiente, aspersão na linha de cocho, dieta balanceada. A cama do compost é de maravalha e revolvida duas vezes ao dia.

vacas em compost barn
Compost barn - Vacas de 30 a 60 dias pré-parto. Fonte: Agrindus

Além disso, a fazenda procura trabalhar com um número adequado de animais no compost, evitando perdas no desempenho e competição por um excesso de animais.

Aos 15 dias antecedentes ao parto, essas vacas (multíparas), são transferidas para um compost em túnel de vento, onde se consegue controlar a temperatura pensando em estresse térmico, tendo anexo a esse túnel uma baia de parição para as vacas, onde os partos são monitorados, e a medida que entram em trabalho de parto são direcionadas para essa baia, com acesso a comida, água e conforto.

  compost barn em tunel de vento
Compost Barn em túnel de vento. Fonte: Agrindus

A literatura hoje é muito clara mostrando os cuidados a serem tomados quanto ao controle térmico dos animais, controle de ambiência, resfriamento e muitos são os impactos negativos em não oferecer esse bem-estar, como menor produção de leite, menor reprodução e até mesmo impactos a longo prazo, como na saúde das bezerras dessas vacas que estão passando por um estresse térmico, mas outro ponto importante e que a Agrindus se preocupa é com a dieta dos animais nesse período.

A fazenda trabalha com a dieta acidogênica para as vacas, mantendo um balanço cátion aniônico negativo, garantindo um correto metabolismo do cálcio, e para avaliar a eficiência da dieta, é realizada a avaliação do PH de urina das vacas semanalmente e diariamente avaliação do consumo.

As novilhas do pré-parto na fazenda Agrindus, são alojadas em um free stall, com ventilação, aspersão, todo conforto em camas de areia que são repostas semanalmente e em torno de 10 dias antes do parto são transferidas para as baias de parição, onde os partos podem ser monitorados de perto.

Todos esses cuidados dependem de um trabalho em equipe, que é exclusiva para o setor e a Agrindus busca trabalhar a gestão com capacitação constante e treinamentos para os gerentes e mão de obra, buscando sempre motivar as pessoas. Essa motivação garante desempenho de trabalho e reduz limitações para o sistema, garantindo todo potencial de produção.

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário, isso nos ajuda a saber que conteúdos são mais interessantes para você. Quer escrever para nós? Clique aqui e veja como!

Autor
Luana Seara

5

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

WENILTON SANTOS SEARA

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 21/10/2021

Parabéns Luana
ANDRE CAMPOS E CAMPOS

POMPÉU - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 19/10/2021

Parabéns Luana !
RODRIGO DE ALMEIDA

CURITIBA - PARANÁ - PESQUISA/ENSINO

EM 18/10/2021

Olá Luana

Obrigado por compartilhar. Fiquei com uma dúvida; por que transferir as vacas multíparas para o compost em túnel de vento somente 15 dias antes da data prevista do parto? Por que não aos 30 dias? Alguma limitação de espaço?

Uma outra pergunta; as vacas e as novilhas no pré-parto ficam em lotes separados mas recebem a mesma dieta acidogênica por 30 dias, é isto?

Obrigado e parabéns pelo trabalho.

Prof. Rodrigo de Almeida
UFPR
LUANA SANTOS SEARA

DESCALVADO - SÃO PAULO - MÉDICO VETERINÁRIO

EM 21/10/2021

Olá professor, tudo bem? As vacas ficam em um compost barn desde os 60 dias antecedentes ao parto, e aos 30 dias pré parto, são segregadas dentro desse mesmo galpão, onde se inicia a dieta acidogênica. Em torno de 15 dias pré parto, os animais são transferidos para um outro compost, onde tem uma baia de parição e para facilitar ainda mais a observação desses animais.


Quanto à dieta acidogênica, somente as vacas recebem.
EM RESPOSTA A LUANA SANTOS SEARA
RODRIGO DE ALMEIDA

CURITIBA - PARANÁ - PESQUISA/ENSINO

EM 22/10/2021

Muito obrigado Luana pela resposta.

Se me permite, tenho mais uma pergunta... Desde o momento que pararam de fornecer dieta acidogênica às novilhas, notaram algum benefício ou diferença (além obviamente do menor custo alimentar)?

Obrigado

Prof. Rodrigo de Almeida
UFPR
MilkPoint AgriPoint