FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Sorvete com probióticos: agregando funcionalidade e diversificando o mercado

POR VIVIAN CRISTINA DA CRUZ RODRIGUES

E ADRIANE ELISABETE ANTUNES DE MORAES

ADRIANE ELISABETE ANTUNES DE MORAES

EM 13/04/2020

1 MIN DE LEITURA

0
0

Como bem sabemos os leites fermentados representam o carro-chefe da veiculação de probióticos (micro-organismos benéficos que equilibram nossa flora intestinal). Essa supremacia de mercado vem de longa data e deve continuar fortalecida, visto que probióticos em leites fermentados são um tipo bem-sucedido de “união estável”.  No entanto, o desenvolvimento de outros produtos carreadores de micro-organismos do bem são uma estratégia interessante para encantar e/ou fidelizar clientes.

O sorvete seria um bom candidato para adição de probióticos, tanto pelo fato de ser um produto bem aceito, como por ser tecnologicamente factível manter a viabilidade das culturas durante o seu shelf life

Um artigo recentemente publicado pela British Journal of Nutrition mostrou que o sorvete não apenas protegeu de forma eficiente as culturas probióticas incorporadas ao produto, como também foi capaz de modular de forma significativa a flora intestinal e aumentar a produção de ácidos graxos de cadeia curta.

Mas, por que isso seria uma coisa boa? Os ácidos graxos de cadeia curta são produzidos quando bactérias presentes no intestino fermentam carboidratos e proteínas encontrados em alimentos como o sorvete. Esses ácidos graxos ajudam a manter o intestino saudável, protegido de bactérias causadoras de doenças, auxiliando também na absorção de minerais e na prevenção de alguns tipos de câncer e outros distúrbios intestinais.

O estudo também fez um alerta de que, mesmo um sorvete com propriedades funcionais, deve ser consumido como alimento ocasional porque é uma sobremesa com alta densidade energética (rica em gordura e açúcar). Ainda assim, representa uma opção atraente quando pensamos em novas alternativas para aumentar a ingestão diária de probióticos.

Referências

Rodrigues et al. Modulation of the intestinal microbiota and the metabolites produced by the administration of ice cream and a dietary supplement containing the same probiotics. British Journal of Nutrition 1-12, 2020.

Ríos-Covián et al. Intestinal short chain fatty acids and their link with diet and human health. Frontiers in Microbiology 7, 1-9, 2016.

VIVIAN CRISTINA DA CRUZ RODRIGUES

Mestra em Ciências da Nutrição e do Esporte e Metabolismo (FCA/UNICAMP). Graduação em Nutrição (UFV).

ADRIANE ELISABETE ANTUNES DE MORAES

Docente da Faculdade de Ciências Aplicadas-FCA/UNICAMP. Graduação em Nutrição (UFPEL), Mestrado em Ciência e Tecnologia Agroindustrial (FAEM/UFPEL), Doutorado em Alimentos e Nutrição (FEA/UNICAMP), Pós Doutorado no TECNOLAT/ITAL.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.