FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Globobióticos: novo conceito chegando!

ADRIANE ELISABETE ANTUNES DE MORAES

EM 24/01/2020

1 MIN DE LEITURA

4
5

Todos nós moramos em algum lugar ou em mais de um. Somos moradores de nosso próprio corpo, embora não exclusivos moradores, já que muitos organismos tomam carona nesta morada, especialmente micro-organismos que habitam nossa pele, mucosas e intestino. Moramos em nossa própria residência, de forma compartilhada com outras pessoas ou não. Também é fato que todos nós, 7,7 bilhões de humanos, temos uma mesma casa: planeta Terra. O mesmo planeta alberga uma infinidade de habitantes pertencentes à outras espécies. Diante de números tão expressivos, é de se esperar que problemas proporcionalmente grandes precisem ser enfrentados.

Neste contexto emerge o conceito de globobióticos, que seriam definidos como "micro-organismos vivos, produtos microbianos ou substratos seletivamente utilizados por micro-organismos, empregados de forma a contribuir para a sustentabilidade do nosso planeta".

As linhas de aplicação dos globobióticos seriam na recuperação da produtividade de terras danificadas por uso excessivo e/ou por depósito de poluentes. Outro exemplo seria reduzir a emissão de metano pela manipulação do microbioma ruminal em gado leiteiro ou de corte. A atmosfera também poderia ser beneficiada pelo sequestro de carbono por atividade microbiana para mitigar mudanças climáticas globais. Outra grande potencialidade é a diminuição do emprego de promotores de crescimento na pecuária (que podem levar a resistência de bactérias ao princípio ativo de antibióticos). Uma opção neste sentido que tem alcançado sucesso é o uso de estratégias biológicas, tais como os probióticos.

Pensar no mundo como nossa casa comum é o primeiro passo para grande mudanças.

Fonte:

Probiotics, Prebiotics and Globobiotics! ISSAP Science Blog. https://isappscience.org/probiotics-prebiotics-and-globobiotics/?fbclid=IwAR34rXvgLfTVFgGVraVuooRB6vDZKRg4EOzy3jYXGIIUXHN6Zk4W5Kg5dK0. Acesso em 22/01/2020.    

ADRIANE ELISABETE ANTUNES DE MORAES

Docente da Faculdade de Ciências Aplicadas-FCA/UNICAMP. Graduação em Nutrição (UFPEL), Mestrado em Ciência e Tecnologia Agroindustrial (FAEM/UFPEL), Doutorado em Alimentos e Nutrição (FEA/UNICAMP), Pós Doutorado no TECNOLAT/ITAL.

4

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CLAUDIO MANOEL LIVRAMENTO

TOMAZINA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 27/01/2020

A mesma importante função microbiológica que observamos nas composteiras, na biotransformação das palhadas do Plantio Direto, na decomposição de troncos dos Sistemas Agroflorestais e em todos os processos naturais de redução dos Sistemas Permaculturais e afins ...
ADRIANE MORAES

EM 27/01/2020

Com toda a certeza Claudio!

Os sistemas biológicos desempenham importante papel nos processos de decomposição, compostagem e biotransformação.

Receba um abraço

Adriane
GEREMIAS MENDES

UBIRATÃ - PARANÁ - REVENDA DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS

EM 27/01/2020

A MAIS PURA VERDADE, TEMOS QUE REPENSAR NOSSA MANEIRA DE TRABALHAR E IMPLANTAR NOVAS TENDENCIAS O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL.
ADRIANE MORAES

EM 27/01/2020

Concordo Geremias!

Agradeço seu comentário.

Receba um abraço

Adriane