ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Direto ao Ponto Saúde: Doenças respiratórias em bovinos

MSD SAÚDE ANIMAL - MAXI-LEITE

EM 25/11/2021

3 MIN DE LEITURA

0
0

Independente do sistema de produção adotado, problemas com a sanidade do rebanho sempre causam enormes prejuízos e demandam mão de obra extra para tratamento. Entre as doenças mais comuns que acometem os bovinos, estão as doenças respiratórias, sendo as mais importantes o complexo chamado de doença respiratória bovina (DRB) e a tuberculose.

Doença Respiratória Bovina (DRB)

A DRB, também conhecida com pneumonia ou broncopneumonia, acomete principalmente bezerros e está em segundo lugar no ranking de doenças que causam maior índice de mortalidade em fase de aleitamento, além de liderar como causa de morte após o desmame.

Os prejuízos financeiros não se resumem apenas aos gastos com medicamentos e assistência do médico veterinário. A presença desta doença nos estágios iniciais da vida do animal pode impactar toda sua vida produtiva e reprodutiva, aumentando a idade ao primeiro parto, além de comprometer o ganho de peso e a produtividade na primeira lactação.

A DRB pode ser causada por diversos patógenos, atuando juntos ou isoladamente, entre eles vírus e bactérias. Os principais agentes são:

  • Vírus Respiratório Sincicial Bovino (BRSV)
  • Manhheimia haemolytica
  • Vírus da Parainfluenza Bovina (BPIV-3)
  • Pasteurella multocida
  • Herpesvirus Bovino tipo 1 (BOHV-1)
  • Mycoplasma bovis
  • Vírus da Diarreia Viral Bovina (BVDV)
  • Histophilus somnus
  • Coronavírus (BCoV)

Para diagnosticar a DRB é necessário conhecer os animais e observar a mudança de comportamento e a manifestação de alguns sintomas, entre eles: aparência abatida, diminuição do apetite, febre, dificuldade na respiração, tosse, secreção nasal e em alguns casos, secreção ocular.

Doenças respiratórias em bovinosNem sempre há tempo e recurso necessário para coletar a amostra e processá-la para depois prescrever um tratamento. Os exames de identificação de agentes exigem mão de obra altamente qualificada e treinada. O grande problema das broncopneumonias são os processos inflamatórios intensos que ocorrem no pulmão o que leva por sua vez quadros de consolidação (hepatização) pulmonar. Pode-se iniciar um tratamento com um anti-inflamatório não esteroidal (flunixina meglumina) nos sinais leves/precoces e caso não haja uma resposta positiva por parte do animal, entrar com AINE + antibiótico.

É importante ficar atento ao manejo e as instalações de maneira geral, observando fatores de risco como: falha da transferência da imunidade passiva em decorrência da falta ou baixa qualidade de colostro, protocolos de vacinação inadequados, manejos que causam estresse ao animal, dietas mal formuladas e falhas na biosseguridade da propriedade, além de fatores ambientais prejudiciais e desencadeadores dessa enfermidade. Pode incluir também alta lotação no bezerreiro.

Tuberculose bovina

Além da DRB, a tuberculose também é uma enfermidade respiratória que acomete rebanhos bovinos. Causada pelo Mycobacterium bovis (M. bovis), a tuberculose bovina é responsável por grandes prejuízos e é considerada uma zoonose significativamente importante para a saúde pública. No Brasil, foi criado um Programa de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose) com objetivo de reduzir o aparecimento da doença no país.

Entre os sintomas que o animal apresenta quando está contaminado pela tuberculose, estão: emagrecimento, tosse, falta de ar, mastite, infertilidade e queda na produção de leite. A transmissão dessa enfermidade é por vias aéreas, e dentre elas, a inalação de aerossóis é a mais comum.

Ingestão de leite cru de animais infectados também pode constituir uma possível via de transmissão, além de contato com secreções nasais dos animais contaminados. Para diagnóstico é utilizado a tuberculinização, um teste que pode ser realizado de três formas: caudal, cervical simples ou cervical comparada.

A melhor forma de controle e erradicação da doença está na prevenção de entrada de animais que estejam positivos no rebanho, e eliminar animais que eventualmente testaram positivo nos testes realizados, visto que não existe vacina disponível.

Prevenir e controlar as doenças da forma mais rápida possível é o melhor caminho para evitar prejuízos econômicos e danos ao rebanho!

Para saber mais clique aqui.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint