ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Direto ao Ponto Mastite: perigo da mastite em primíparas

MSD SAÚDE ANIMAL - MAXI-LEITE

EM 27/07/2021

2 MIN DE LEITURA

0
0

A mastite é uma afecção muito frequente em rebanhos leiteiros, trazendo enormes prejuízos para os produtores. A ocorrência da doença em qualquer estágio da vida do animal é extremamente prejudicial, principalmente em primíparas, pois interfere diretamente na vida útil do animal. 

Os casos de mastite em primíparas normalmente ocorrem no início da lactação, associados a infecções anteriores ao parto. Contudo, as infecções também podem ocorrer após o parto. Um fato que contribui para o aumento do prejuízo causado pela doença é a ausência de rotina de identificação da doença em primíparas na maioria das fazendas.

Novilhas com alta CCS no período pós-parto podem manter a CCS elevada ao longo da lactação. Estes animais apresentam redução do desenvolvimento da glândula mamária durante a primeira lactação, uma vez que o úbere do animal ainda está em desenvolvimento após o primeiro parto, comprometendo toda a produção futura.

Direto ao Ponto MastiteA doença pode se apresentar tanto na forma clínica (menos comum) como subclínica e as bactérias mais prevalentes pertencem ao grupo de Shaphylococcus não-aureus, embora casos de Staphylococcus aureus, estreptococcus ambientais e coliformes também sejam frequentes. 

Entre os fatores mais associados com o desenvolvimento da mastite em novilhas e aparecimento da doença no pós-parto está o fornecimento de leite contaminado às bezerras em aleitamento e a mamada cruzada entre os animais, possibilitando a infecção. 

No caso dos patógenos ambientais, o maior risco de infecção ocorre no período de pré-parto em que há maior desenvolvimento da glândula mamária, menor capacidade de defesa imunológica e a sobrecarga com a produção de colostro. 

Para identificar a mastite em primíparas o ideal é incluir a análise do leite destes animais na análise mensal de CCS individual ou CMT, em fazendas que possuem essa rotina de diagnóstico. Outra opção é avaliar o leite do animal pelo CMT após o quinto dia pós-parto – opção viável também para vacas em ordem de parto superiores. 

Ao constatar a infecção, deve-se coletar leite para cultura microbiológica, a fim de identificar o patógeno causador. Assim, é possível realizar o tratamento mais adequado, além de ajudar na identificação da origem do problema para tomar medidas de prevenção. 

Como prevenção da mastite em primíparas, pode-se adotar as seguintes medidas: 

  • uso de instalações individuais para as bezerras durante a fase de aleitamento para evitar a mamada cruzada; 

  • descarte ou separação de bezerras com hábito de mamada cruzada; 

  • pasteurização do leite utilizado para aleitamento das bezerras; 

  • controle de moscas nas instalações e no ambiente de criação das bezerras; 

  • manter elevado padrão de higiene das instalações para parição das novilhas; 

  • formulação de dietas para fornecer adequadas quantidades de vitamina E e selênio na alimentação; 

  • uso de vacinação para aumentar a imunidade (vacinas contra coliformes e S. aureus).

Além disso, em rebanhos com alta prevalência de mastite em primíparas, uma opção é utilizar o tratamento de vaca seca (antibioticoterapia) também em novilhas, 60 antes da previsão do parto. Pode-se também fazer uso de selantes de teto para evitar contaminações com patógenos ambientais.

 

Para saber mais entre em contato pelo box abaixo ou clique aqui.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint