Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Leite & Mercado > Giro Lácteo

Pesquisa avalia criação de ovinos em sistemas agroflorestais no Mato Grosso

postado em 09/09/2016

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Com objetivo de recuperar áreas degradadas de pastagens utilizando o sistema silvipastoril para criação de ovinos, foi realizada recentemente uma reunião técnica na Comunidade Nova Esperança, no município de Poconé. A coordenadora do Projeto de Recuperação de Pastagens Degradadas no Sistema Silvipastoril, Marilene de Moura Alves, que também é pesquisadora da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), explica que esta é uma alternativa sustentável para a agricultura familiar na criação de ovinos da raça Santa Inês.

ovinos sistemas agroflorestais

A proposta é a implantação de sistemas agroflorestais (Saf’s) como forma de uso e manejo da terra, onde árvores são utilizadas em associação com cultivos agrícolas e com animais, numa mesma área e de forma simultânea. Durante a reunião técnica, o médico veterinário da Empaer, João Batista Vechi, falou aos produtores sobre o manejo reprodutivo e sanitário, construção das instalações, e formação e divisão de pastagens para ovinos.

O projeto será executado pela Empaer, em parceria com a Fapemat e Fundação de Amparo à Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Mato Grosso (Fundaper). Os recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (Fapemat) são na ordem de R$ 47 mil para aquisição de animais, construção das instalações, recuperação das pastagens, entre outros.

Em Brasília, a Comissão Nacional de Ovinos e Caprinos da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) se reuniu no final do mês de agosto para debater as principais demandas da ovinocaprinocultura. O registro de queijo artesanal foi um dos temas em destaque no encontro, que contou com a participação de produtores rurais, especialistas do setor agropecuário, representantes de Federações da Agricultura e Pecuária dos estados, do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Outro tema discutidos foi a falta de registro de queijos artesanais, tradicionalmente produzidos a partir de leite cru. Para o presidente da Comissão, Ivo Santiago, muitos produtores de queijo ovino e caprino não expandem a produção por não poderem comercializar o produto legalmente. Os representantes do Mapa, Clério Alvez e Heber Brenner, informaram que órgão está trabalhando para publicar Instrução Normativa regulamentando a agroindústria de pequeno porte.

A assistência técnica e gerencial também foi discutida na reunião. Conforme o assessor técnico da CNA, Rafael Linhares, mais de 600 produtores de ovinos e caprinos estão sendo atendidos pelos técnicos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR). Segundo ele, com boa gestão e assistência técnica, o produtor pode aumentar a produtividade e a rentabilidade.

Outros temas de destaque no encontro, foram: diagnóstico nacional da ovinocaprinocultura, políticas públicas no semiárido voltadas à produção agropecuária e Programa Nacional de Sanidade Ovina e Caprina. 

As informações são do portal Agronotícias MT.  

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade