FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

A nova era da pecuária leiteira

POR NAYARA MAGALHÃES GONÇALVES

PRODUÇÃO

EM 19/03/2019

25
28

A projeção para a população na terra para 2050 é de que tenhamos 9,7 bilhões de pessoas no planeta, ou seja, aproximadamente 2 bilhões a mais de pessoas a serem alimentadas. Para que seja possível atender a essa crescente demanda nos tempos mais modernos, o produtor rural transformou-se em um empresário rural, cada vez mais competitivo que por auxílio da tecnologia, tem tido total controle sobre a produção, processamento, estoque e distribuição do alimento.

A cada ano que se inicia, novas tecnologias na criação e manejo de vacas leiteiras são lançadas no mercado. Atualmente, a digitalização, que consiste em transferir e armazenar informações para o computador e ou nuvem de dados, tem sido o que se destaca neste setor. Hoje em dia nas fazendas de leite, diversos são os catalizadores que podem ser utilizados e que vão contribuir diariamente no sistema produtivo. O objetivo principal é a coleta de dados de maneira acurada, rápida e que agilize na tomada de decisão.

Equipamentos como medidores de atividade possuem o sensor acelerômetro que auxilia por exemplo na identificação do melhor momento para inseminar a vaca, onde o equipamento capita o aumento de atividade do animal, verifica se há persistência neste aumento de atividade e então emite o alerta de início do cio. Esses equipamentos geram gráficos com início e término do cio, sugerindo o melhor momento para se inseminar, o que contribui na elevação da taxa de inseminação da propriedade e também na redução do período de serviço.

Além disso os medidores de atividade também são importantes para o bem-estar dos animais. Vacas doentes ou com claudicação se movimentam menos e o produtor recebe assim que detectado um alerta sobre baixa atividade, o que é excelente pois potencializa o tempo de resposta para os cuidados de um animal doente. 

Existem também no mercado, ordenhadeiras com medidores do fluxo de leite, detectores de sangue, mensuração de tempo de ordenha, condutividade, reguladores de vácuo, identificação de deslizamento e queda das teteiras e obstrução do fluxo de leite. Todas essas informações geram dados que merecem ser analisados com cautela, pois dizem muito sobre a eficiência do manejo de um dos momentos cruciais da rotina da fazenda, onde o produto leite, que paga a conta, está sendo retirado.

Também encontramos em fazendas modernizadas equipamentos que auxiliam e muito produtores, colaboradores e consultores na gestão do rebanho, como softwares para o controle zootécnico, sanitário e financeiro, além de também oferecerem módulos de comparação entre rebanhos onde consultores podem construir o benchmarking das fazendas assistidas por eles e os produtores podem verificar seu ranking entre fazendas com mesmo perfil.

Os softwares estão tão sofisticados que oferecem a possibilidade de visualizar e até mesmo inserir dados do próprio smartphone, além de poderem interagir com controladores de ordenha, detectores de cio, portões eletrônicos e alimentadores automáticos por exemplo, integrando todas as informações em um único sistema.

A oferta tecnológica é ampla e diversificada, sendo que cada produtor pode optar pela escolha das ferramentas que mais se adequam à sua realidade. É sabido que para se fazer uso de muitas dessas ferramentas tecnológicas, é necessário investir, para progredir e reduzir seus custos, e vale ressaltar que o agronegócio caminha para a próxima década focado na modernidade e competitividade. O uso da tecnologia torna o produtor ainda mais resiliente e ela se fará essencial para aqueles que quiserem permanecer no mercado.

O objetivo principal de todo esse trabalho que vem sendo desenvolvido nos últimos anos é agregar praticidade, facilitar a execução de tarefas e tornar o produtor mais competitivo. Os dados gerados diariamente nas fazendas são muito valiosos para o produtor, mas é fundamental utilizar-se de ferramentas certas que irão receber as informações 24 horas por dia, organizá-las e transformá-las em gráficos e números fáceis de serem interpretados no computador. Isso se faz possível através da conciliação entre sensores e software.

Independentemente do nível tecnológico que sua fazenda esteja, o fato é que o famoso dilema de “tempo é dinheiro” procede, e o principal objetivo da digitalização deste setor é justamente contribuir para que todos os envolvidos deixem de perder seu valioso tempo. As ferramentas digitais ajudam o produtor/consultor nas tomadas de decisão, pois os auxiliam no diagnóstico da fazenda de maneira precisa e rápida. O levantamento de dados e sua análise que antes podiam demorar dias, horas ou até meses, atualmente pode ser realizado com poucos clicks.

É importante salientar que decisões devem ser baseadas em dados e não no feeling do produtor. Nesse mundo digital, a tecnologia se faz permanente, devido seus benefícios. É um caminho sem volta.

Acompanhem a sequência de artigos e esteja sempre antenado com as novidades tecnológicas da pecuária leiteira no Brasil e no mundo e comentem com quais curiosidades de outros países relacionados a pecuária leiteira vocês gostariam de se informar. No próximo artigo explicarei sobre os principais sensores existentes hoje e suas atribuições e benefícios na agropecuária, com relatos de quem já os vem utilizando.  

NAYARA MAGALHÃES GONÇALVES

Médica veterinária pela UFV, ex-estagiária do PDPL/PCEPL-UFV e Gerente de Suporte e Desenvolvimento de Mercado na Uniform-Agri, que desenvolve e comercializa software para pecuária leiteira.

25

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

FRANCISCO NETO

CURVELO - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 25/03/2019

Boa tarde, Nayara.

Parabenizo pela excelente publicação e espero ansiosamente as próximas.

As grandes referências na produção de leite atuais tem nos mostrado cada vez mais a importância da utilização de ferramentas tecnológicas a favor de um processo de melhoria continua, estamos presenciando um momento único na atividade, da transição da pecuária "convencional" a digital. Atualmente muitos dos profissionais tem atuado como "Bombeiros", sempre apagando fogo, quando na verdade deveríamos prevenir o incêndio, nesse contexto destaco a importância das tecnologias para que possamos prevenir e não remediar!

Forte abraço.
GUSTAVO HENRIQUE TEODOLINO DE ANDRADE

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 25/03/2019

Excelente texto! Estamos no momento da virada. Nós técnicos teremos que nos preparar pra ajudar os produtores. Parabéns!!!
NAYARA MAGALHÃES GONÇALVES

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - TÉCNICO

EM 27/03/2019

Obrigada pelo seu comentário Gustavo.
A utilização da tecnologia pelos técnicos é fundamental para disseminação
e aceitação da tecnologia pelos produtores.
O preparo realmente é necessário pois de nada vale uma ferramenta tecnificada e
moderna nas mãos de quem não sabe operar/ analisar. Parabéns por compreender
a importância dos técnicos nessa nova era digital.
GABRIEL NASCIMENTO

RIBEIRÃO PRETO - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 25/03/2019

Parabéns pelo artigo Nayara.
NAYARA MAGALHÃES GONÇALVES

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - TÉCNICO

EM 27/03/2019

Obrigada Gabriel!
Espero que possa acompanhar os demais.
MAURÍCIO XAVIER

ITABERABA - BAHIA - ESTUDANTE

EM 22/03/2019

Excelente texto! Muito bem direcionado e demonstra claramente como a utilização de tecnologia tem melhorado a eficiência de produção de leite.
NAYARA MAGALHÃES GONÇALVES

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - TÉCNICO

EM 27/03/2019

Obrigada pelo seu comentário!
Espero que possa acompanhar os próximos artigos.
RODRIGO NEVES

EM 21/03/2019

Excelente artigo!
NAYARA MAGALHÃES GONÇALVES

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - TÉCNICO

EM 27/03/2019

Obrigada pelo seu comentário Rodrigo!
JEFFERSON LUIZ

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS

EM 20/03/2019

Excelente Nayara. Estou ansioso para ler seus próximos artigos aqui no Milkpoint.
NAYARA MAGALHÃES GONÇALVES

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - TÉCNICO

EM 27/03/2019

Obrigada pelo seu comentário Jefferson!
ERNANI PAULINO DO LAGO

VIÇOSA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 20/03/2019

É isso aí Nayara, mais prevenção e menos tratamento, mais saúde e menos doença, mais TECNOLOGIA e menos ESTETOSCÓPIO. Espero um dia ver todas as nossas grandes fazendas implantando softwares e tecnologias agregadas para monitorar a saúde dos animais. E nossos veterinários fazendo bom uso disso! - Em um futuro próximo todos os veterinários de grandes rebanhos terão que dominar o uso dessas tecnologias se quiserem se manter à frente - é o que tenho dito!. Previna o problema detectando os fatores de risco que levariam o primeiro animal a ficar doente e você estará protegendo todo o rebanho (e também sua lucratividade). Melhor que isso só vacina!! Parabéns e grande abraço, Ernani
NAYARA MAGALHÃES GONÇALVES

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - TÉCNICO

EM 27/03/2019

Muito obrigada pelo comentário Ernani!
Eu também espero ver as fazendas brasileiras prosperando e usufruindo
da tecnologia da melhor maneira possível. A prevenção é sempre o melhor caminho,
para vacas mais saudáveis, produtivas e longevas!
MARCOS INÁCIO MARCONDES

VIÇOSA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 20/03/2019

Olá Nayara. Parabéns pelo texto. O Brasil precisa realmente virar a página da pecuária de leite e partir para tecnologias que aumentem nossa eficiência de produção. Quando rodamos o mundo percebemos ainda mais o potencial que temos. Muitos país fazem milagre com o que tem, especialmente em virtude do uso deste tipo de tecnologia. Isso precisa ser largamente explorado e tudo passa por uma mudança de cultura em nossos produtores. Um abraço, Marcos Marcondes.
NAYARA MAGALHÃES GONÇALVES

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - TÉCNICO

EM 25/03/2019

Muito obrigada pelo comentário Marcos.
Exatamente, concordo com você!
Quando vemos o sistema de produção em outros países nos damos conta do quão grande é o nosso potencial, que infelizmente é subutilizado justamente por crenças de produtores e até mesmo consultores.
Entendo que quando lidamos com a implementação de um novo sistema, a mudança é gradual... Mas em algum momento ela acontece. Espero compartilhar informações que nos questione sobre o quanto podemos aprimorar e aceitar a tecnologia na pecuária leiteira, para então acelerar essa mudança cultural e nos destacar cada vez mais neste setor.
IARA OLIVEIRA

EM 20/03/2019

Excelente matéria! Parabéns Nayara.
CONSTANTE PAULINHA

EM 20/03/2019

Sensacional!! Tecnologia de ponta no desenvolvimento!!!
DAYANA CARVALHO

EM 20/03/2019

Muito bom !!! ????????????????
ANDRÉ NAVARRO LOBATO

VIÇOSA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/03/2019

Muito boa matéria, parabéns Nayara!

Interessante também são os brincos com identificados por sensores a laser espalhados no galpão, que dão informações como a frequência de ruminação, se as vacas estão em pé ou deitadas (e quanto tempo ficam assim), quantas vezes procuraram o cocho, etc. Isso pode nos dizer muito sobre o estado de estresse dos animais e auxilia no diagnóstico precoce de várias doenças.

A atividade está cada vez mais necessitada de tecnologias que contribuam no monitoramento para futuras tomadas de decisões.
NAYARA MAGALHÃES GONÇALVES

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - TÉCNICO

EM 20/03/2019

Obrigada pelo comentário André!
Também já existem para grandes rebanhos os sistemas de GPS que mostram além dessas
informações que você mencionou a localização exata de cada vaca dentro do estábulo,
onde vemos a planta baixa do local e gráfico de pontos representando os animais de forma dinâmica e em tempo real no software. ;)
O que facilita muito encontrar qualquer o animal de maneira rápida!
BRUNO VICENTINI

LAVRAS - MINAS GERAIS

EM 19/03/2019

Boa matéria! Um bom caminho será buscar desenvolver tecnologias economicamente viáveis aos pequenos e médios produtores que desejam evoluir e prosperar na atividade!
NAYARA MAGALHÃES GONÇALVES

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - TÉCNICO

EM 20/03/2019

Obrigada pelo Comentário Bruno!
Diria que a tecnologia para esses clientes já existe. O que precisamos na verdade e
enfatizar aos pequenos e médios produtores a importância de se utilizar a tecnologia
que se aplica para cada perfil a seu favor.
Como mencionei, para progredir é necessário investir ;)
O retorno financeiro vem com a melhoria exponencial na eficiência no manejo.
AMANDA NERI DE SOUZAA

VIÇOSA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/03/2019

Excelente matéria Nayara!
EDUARDO HENRIQUE FORMIGA AREAS

EM 19/03/2019

Boa matéria Nayara. Gostaria de ler mais sobre tipos/modelos de dispositivos disponíveis IoT disponíveis no mercado.
NAYARA MAGALHÃES GONÇALVES

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - TÉCNICO

EM 20/03/2019

Olá Eduardo, Excelente sugestão!
Muito obrigada.