FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Testes de capacidade de serviço em reprodutores ovinos

POR DANIEL DE ARAÚJO SOUZA

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 25/05/2010

3 MIN DE LEITURA

3
0
A pecuária ovina possui um rebanho de quase 14 milhões de cabeças, sendo, atualmente, quase todo direcionado para a produção de carne. Considerando que 55 a 60% do efetivo brasileiro é composto por fêmeas em reprodução e que, na ovinocultura comercial, praticamente, todo o rebanho de cria é concebido sob condições naturais de cobertura, a capacidade reprodutiva dos carneiros é essencial para o processo produtivo e o sucesso econômico do empreendimento.

Capacidade de serviço refere-se a uma medida do número de serviços (cópulas) que um reprodutor realiza sob condições definidas de avaliação, sendo uma característica diretamente relacionada à libido e à capacidade de cobertura. Por libido (ou desejo sexual), entende-se como a "vontade e ânsia" que um macho manifesta para tentar montar e servir uma fêmea, enquanto que, capacidade de cobertura (ou de monta) diz respeito à capacidade física do macho para executar o serviço (montar e copular).

As características produtivas e reprodutivas positivas são irrelevantes se um carneiro é incapaz de localizar e servir fêmeas receptivas. Porém, e apesar da importância da capacidade de serviço para a produtividade do rebanho, os reprodutores ovinos são frequentemente vendidos e usados sem receber qualquer tipo de avaliação para essa característica.

No teste de capacidade de serviço (TCS), os carneiros a serem testados são colocados individualmente (a priori) em um pequeno piquete ou área confinada com 2 ou 3 ovelhas em estro (natural ou hormonalmente induzido) por um período de 20 minutos. Durante o teste, procura-se avaliar a libido (nível de interesse sexual, incluindo montas e serviços), o tempo de reação (intervalo de tempo entre a cognição masculina de um estímulo apropriado e o primeiro serviço), a capacidade de servir (número de serviços por teste) e a capacidade de cobertura (relação do número de montas sobre número de cópulas).

Inicialmente, os carneiros em teste devem receber 10 minutos de estimulação sexual prévia. É crucial que os carneiros jovens ou novatos sejam avaliados separadamente dos carneiros mais velhos para evitar que os fatores de dominância social prejudiquem ou invalidem os resultados finais.

As ovelhas a serem utilizadas no TCS devem ser fortes e estarem em boa condição corporal, e antes do início do teste, a vulva de cada uma das ovelhas deve ser lubrificada com 5 a 10 ml de gel lubrificante estéril para reduzir o trauma tecidual devido às coberturas repetidas.

Para a classificação do comportamento sexual dos carneiros, é viável utilizar a pontuação preconizada por Chenoweth (1984) para touros, porém adaptada com alguma modificação para carneiros, conforme a Tabela 1 abaixo:

Tabela 1 - Classificação do comportamento sexual de reprodutores ovinos.



Assim, para a classificação final da capacidade de serviço e considerando um teste de 20 minutos, uma pontuação igual ou inferior a 7 é considerada questionável, 8 baixa, 9 média, e 10 alta. Carneiros que tenham obtido resultados questionáveis devem ser reavaliados sob condições diferentes ou em dias diferentes para assegurar que bons reprodutores não sejam descartados equivocadamente.

Embora o exame andrológico ajude a identificar reprodutores com potencial para conceber mais ovelhas, é o TCS que permite a identificação de carneiros que servem mais fêmeas, de forma a possibilitar a exploração do potencial de cobertura desses animais, que é uma das formas mais rápidas e mais simples de reduzir custos, conforme já abordado no artigo "Otimizando o uso de reprodutores".

Figura 1 - Reprodutores da raça Dorper e White Dorper trabalhando a campo em uma relação 1:52 em estação de monta de 42 dias sobre um lote de ovelhas da raça Santa Inês e Somalis que alcançaram taxa média de concepção de 93,2%.



Além disso, o uso de reprodutores com maior capacidade de serviço tem beneficiado as taxas de concepção, o tempo para concepção, a duração da estação de monta e de parição, a homogeinidade dos cordeiros à desmama, o uso mais eficiente da equipe operacional e a fertilidade da progênie desses reprodutores, uma vez que o comportamento sexual é uma característica herdável e independente.

Finalmente, as correlações entre as características examinadas no exame andrológico (circunferência escrotal, consistência testicular e epididimária, e volume, qualidade e morfologia seminais) e as avaliadas no teste de capacidade de serviço (libido e capacidade de monta) são próximas de zero, ressaltando que o TCS deve ser utilizado como avaliação complementar ao exame andrológico.

DANIEL DE ARAÚJO SOUZA

Médico Veterinário, MBA, D.Sc., especializado no sistema agroindustrial da carne ovina. Consultor da Prime ASC - Advanced Sheep Consulting.

Facebook.com/prime.asc

Twitter.com/prime_asc

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ELDAR RODRIGUES ALVES

CURITIBA - PARANÁ

EM 24/06/2010

Olá. Tenho um rufião vasectomizado e ele cobrio 56 ovelhas em 2 dias (algumas mais de uma vez) que estavam sincronizadas, fiquei de boca aberta com o vigor!
DANIEL DE ARAÚJO SOUZA

FORTALEZA - CEARÁ

EM 09/06/2010

Olá Caio,

Segue uma rotina que você pode estar aplicando para a realização do TCS:

1. Antecipadamente, checar a condição corporal, a condição física e a saúde dos cascos e membros locomotores dos reprodutores a serem testados;

2. Induzir o estro [cipionato de estradiol (ECP®) - 2 mg IM] de 2 a 3 ovelhas em bom estado corporal e saudáveis ou utilizar algumas fêmeas em estro natural;

3. Confinar as ovelhas a serem utilizadas em um pequeno piquete ou baia (chão seco e que permita aderência), com espaço suficiente para permitir livre movimentação dos animais mas que não permita dispersão;

4. Lubrificar a vulva de cada ovelha com 5 ml de gel lubrificante;

5. Inicialmente, colocar um reprodutor mais experiente (de boa libido) para ser testado (tempo de 20 minutos), de forma a permitir que os outros carneiros visualizem a performance do mesmo;

6. Testar cada reprodutor individualmente por 20 minutos, registrando todas as manifestações comportamentais para, posteriormente, estabelecer a classificação, segundo a tabela do artigo;

7. Reavaliar os reprodutores que tenham obtido pontuação igual ou inferior a 7.

Obrigado por sua participação e desculpe a demora!!!!

Abraços,

Daniel
CAIO ALVES DA COSTA

BOA VISTA - RORAIMA - PESQUISA/ENSINO

EM 27/05/2010

Muito interessante esse artigo sobre TCS Daniel.

Gostaria, se fosse possível, que você me disponibilizasse uma tabela com o teste e passos de realização mais detalhados.

Desde já agradeço à atenção.
Obrigado.
MilkPoint AgriPoint