FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Produção de cabras leiteiras no semi-árido

VÁRIOS AUTORES

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/10/2008

3 MIN DE LEITURA

7
0
Nos últimos anos, a caprinocultura leiteira vem assumindo importante papel no contexto do agronegócio brasileiro. Atualmente, a produção de cabras leiteiras vem se caracterizando como uma atividade de grande importância cultural, social e econômica para a região, desempenhando um papel crucial no desenvolvimento do Nordeste.

A região semi-árida nordestina tem vocação natural para a produção animal e, em particular, para a exploração da caprinocultura, sendo que o leite tem alto valor nutritivo e os derivados lácteos têm boa aceitação no mercado (FILHO & ALVES APUD NUNES 2002).

No entanto, atualmente, a produtividade alcançada pelos produtores ainda encontra-se em baixa. O que pode ser considerado como um entrave para a inserção competitiva no mercado nacional de produtos pecuários.

A caprinocultura leiteira vem passando por transformações estruturais e os sistemas produtivos tradicionais deverão emergir em novas formas de organização com enfoque no agronegócio.

Segundo MORAES NETO et al., (2003), a caprinovinocultura representa uma excelente alternativa de trabalho e renda, tendo em vista a produção de alimentos de alto valor biológico (leite, carne e vísceras), bem como de pele de excelente qualidade, além da adaptabilidade dos animais aos ecossistemas locais.

Segundo HOLANDA JÚNIOR (2006), a produção comercial brasileira de leite de cabra está concentrada nas regiões Nordeste, Sudeste e Sul do Brasil, onde são coletados pelas principais indústrias de processamento cerca de oito mil toneladas de leite de cabra por ano (GUIMARÃES & CORDEIRO, 2003), citados por HOLANDA JÚNIOR (2006).

Na região Nordeste, parte da produção não é enviada para as indústrias especializadas no processamento, sendo destinada ao consumo familiar ou comercializada misturada ao leite de vaca (SIMPLÍCIO & WANDER, 2003).

A comercialização ocorre principalmente na forma de queijo e fluido (leite in natura, resfriado e congelado). Uma parcela expressiva da produção é destinada ao consumo familiar, sendo o restante entregue aos pontos comerciais ou vendido diretamente aos consumidores, com ou sem transformação na propriedade ou em outros laticínios.

A oferta cada vez mais variada de produtos tem exigido maior eficiência de todos aqueles envolvidos na atividade e, nesse sentido, devem ser considerados dois pontos de fundamental importância.

O primeiro ponto é a qualidade aplicada ao leite, referindo-se à sua qualidade higiênica, composição, volume, sazonalidade, nível tecnológico e saúde do rebanho. Os ganhos em eficiência no processamento industrial, aliados às características organolépticas do produto final, fazem com que a qualidade da matéria-prima seja um atributo cada vez mais considerado pelas indústrias de laticínios.

O segundo é a produtividade. A tendência mundial na atividade leiteira é de redução das margens de lucro e os processos de industrialização do leite e distribuição de derivados têm exigido volumes crescentes. Maior produtividade diminui o capital investido por litro de leite produzido, reduzindo o custo e, conseqüentemente, aumentando o lucro.

Segundo BORGES & BRESSLAU (2002), antecipar estas tendências e adequar-se da melhor forma possível pode significar a sobrevivência do produtor, que deve buscar a especialização na produção de leite para melhor aproveitamento dos fatores de produção como, capital, terra e trabalho e aumento da produtividade do rebanho e do volume de produção.

Acredita-se que a caprinocultura leiteira, modelada em planos estratégicos, visando ao seu fortalecimento e à sua ampla expansão, apresentar-se-á como um instrumento capaz de contribuir de forma significativa, a alcançar os objetivos das políticas de Segurança Alimentar e Nutricional no Brasil. Mas, para tanto, precisa-se de ações corretas e atitudes dignas, desde a parte governamental até o criador e, também, de uma forte união entre todos os setores competentes, pois, só assim, poderá contribuir para um futuro melhor e um milênio sem fome.

Referências Bibliográficas

BORGES C.S H. P. ; BRESSLAU S. Produção de leite de cabra em confinamento. In: VI Simpósio de Pecuária do Nordeste - PECNORDESTE III Semana da Caprino ovinocultura Brasileira Fortaleza, junho 2002

FILHO,N.A.; ALVES,O.M. Potencialidades da cadeia produtiva da ovinocaprinocultura na região Nordeste do Brasil. Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste- ETENE. Sobral: Banco do Nordeste do Brasil, 2002.

HOLANDA JÚNIOR, E. V. Sistemas de produção de pequenos ruminantes no semi-árido do nordeste do Brasil. 53 p. (Documentos / Embrapa Caprinos, 2006.

MORAES NETO, O.T., A. Rodrigues, A.C.A. Albuquerque e S. Mayer. 2003. Manual de capacitação de agentes de desenvolvimento rural (ADRs) para a Caprinovinocultura. SEBRAE/PB. João Pessoa. 114 p.

SIMPLÍCIO, A. A.; WANDER, A. Organização e gestão da unidade produtiva na caprinocultura. In: CONGRESSO PERNAMBUCANO DE MEDICINA VETERIN ÁRIA, SEMINÁRIO NORDESTINO DE CAPRINO-OVINOCULTURA, 5, Recife, Brasil. Anais... Recife, Brasil, p. 177-187, 2003.

SUELI FREITAS DOS SANTOS

Zootecnista

MARCO AURÉLIO DELMONDES BOMFIM

7

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

RODRIGO TENÓRIO PADILHA

NATAL - RIO GRANDE DO NORTE - OVINOS/CAPRINOS

EM 26/11/2008

O Ceará já chegou a ser o maior produtor de leite de cabra do Nordeste e por falta de incentivo e apoio do estado, não conseguiu se manter e vendeu a maioria do seu rebanho para o Rio Grande do Norte e hoje está tentando reaver esse mercado através da Caprileice, no nome do seu Presidente Tufi Said.

O negócio da caprinocultura leiteira e de corte, como também a ovinocultura dá certo, só que o governo olha para essas atividades como atividades de subsistência, quer dizer só serve para o pobre ter algo que comer e as vezes vender. Tenho me deparado sempre com a mesma coisa, o nordeste sempre é o primeiro a introduzir e querer incentivo em alguma atividade agropecuária, mas por falta de apoio e por falta de visão de nosso governantes sempre acontece que outra região aproveita o "Boom" do setor e dispara na frente do Nordeste, assim aconteceu com a Cana-de-açúcar e agora com a caprinovinocultura.
UBIRATAN TAVARES

UNAÍ - MINAS GERAIS - REVENDA DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS

EM 26/11/2008

Mas uma grande maneira de aumentar a produção além da melhoria genetica é a retirada dos animais em aleitamento das mães e substituir por leite de vaca ou sucedâneo
SUELI FREITAS DOS SANTOS

ITAPIPOCA - CEARÁ - PRODUÇÃO DE CAPRINOS DE LEITE

EM 30/10/2008

Prezados Daniel P. Gomes e Claudio C. N. Lucena, concordo plenamente com as colocações dos dois, e me coloco a disposição para qualquer informação que venham buscar. Através dos trabalhos que estão sendo desenvolvidos em parceria com a Universidade Federal do Ceará e Embrapa Caprinos, objetivamos mostrar para as classes: produtora e consumidora, o valor nutricional do leite caprino, no qual já és conhecido no meio científico e sua importância na alimentação humana. E que este produto é uma excelente fonte alimentar, por apresentar em sua composição, constituíntes funcionais e de alto valor biológico.
CLAUDIO CEZAR NEIVA DE LUCENA

SÃO FRANCISCO DO SUL - SANTA CATARINA

EM 22/10/2008

Ilmo. Sr Daniel Pimentel Gomes, concordo com sua colocação e só será superado esses obstáculos, com um trabalho cuidadoso de orientação e esclarecimento aos conssumidores e até mesmo os próprios produtores. Temos que buscar apresentar o leite de cabra com todas suas qualidades alimenticias e isso uma propraganda direta. Estou trabalhando em um projeto pessoal e espero realiza-lo em breve e o carro chefe será o leite de cabra, mas é difícil reunir informações.
DANIEL PIMENTEL GOMES

FORTALEZA - CEARÁ - PRODUÇÃO DE CAPRINOS DE LEITE

EM 21/10/2008

Aqui no nordeste temos que vencer duas barreiras;oleite de cabra não é remédio e outra é a cultura arraigada de sempre que o leite tem que ser de vaca,quando o maior programa de inclusão social do país é o leite de cabra e muito mais bem remunerado,precisamos das induções dos poderes público pra que se deslanche o consumo e a produção de leite de cabras..
SUELI FREITAS DOS SANTOS

ITAPIPOCA - CEARÁ - PRODUÇÃO DE CAPRINOS DE LEITE

EM 21/10/2008

Prezado Elcio do Couto Rosa,
fico feliz pelo seu interesse na caprinocultura e agradeço pelas sugestões que poderão ser abordadas nos próximos artigos.
Abraços,
ELCIO DO COUTO ROSA

RIBEIRÃO PRETO - SÃO PAULO

EM 20/10/2008

Gostaria de um artigo mais completo, um conteúdo que se demonstrasse sua rentabilidade e demonstrativos de produção em diversas situações, a alimentação, os custos de implantação e desenvolvimento de cabras em áreas do Nordeste, principalmente no Semi-árido, terras arenosas, mas se tratadas são produtivas, um atrtigo que poderia incentivar o aparecimento de um número maior de produtores.
- Sei de experiência, que na criação de ovinos de modo técnico, consegue-se maior rentabilidade do que engordar bois, e quase na proporção de 5 parfa 1. Gostaria de que um bom entendedor, fizesse este estudo. Obrigado, Élcio
MilkPoint AgriPoint