FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

O dom de produzir leite

POR FABRÍCIO NASCIMENTO

ESPAÇO ABERTO

EM 04/03/2019

20
40

Robert Wong diz que quanto mais cedo descobrirmos o nosso dom, melhor o universo conspira ao nosso favor. São inúmeras as coisas que nos fazem apaixonados pela atividade leiteira, para quem gosta e ama o que faz, cada detalhe pode se tornar um acontecimento.

O brilho nos olhos de um produtor ao ver o nascimento de uma bezerra, a esperança que determinado animal seja uma boa vaca e o carinho dedicado a uma pequena bezerrinha: só quem gosta vai entender. A alegria de ver uma vaca bem alimentada, ruminando e confortável, nos deixam cheios de orgulho. Cada vez que nos deparamos com um resfriador cheio, podemos visualizar o resultado da nossa dedicação. 

Qualquer erro de manejo ou dieta, a vaca nos dá um feedback muito rápido: se errar durante o dia, na ordenha da tarde ela já responde produzindo menos, o que nos permite corrigir o mais breve possível. Ver o negócio prosperar, mesmo em tempos difíceis, aumenta ainda mais a nossa satisfação e o nosso orgulho em ser produtor. O dom de produzir leite nos faz diferentes de quem produz por produzir.

Respeite seu dom, trabalhe em algo que lhe dá prazer, que te deixa satisfeito e com uma vontade inabalável de fazer cada dia melhor. Feliz do produtor, que tem esse dom de produzir um dos únicos alimentos que consumimos desde o nascimento até o fim de nossas vidas.

Muitos vão chamar de loucura, muitos serão negativos, mas não vamos dar ouvidos, nosso dom é produzir leite e não escutar pessoas negativas e frustradas, isso é trabalho para psicólogos.

A nossa missão é entregar um alimento de qualidade na mesa de cada um. Para isso, buscamos cada dia mais melhorar, cada dia nos entregarmos ainda mais à atividade, produzindo com amor, com dedicação, carinho e respeito por quem vai consumir. 

E aí, qual seu dom?  O leite mexe com você a ponto de te fazer sonhar? Você se imagina realizando sonhos produzindo leite daqui há 10 anos?

FABRÍCIO NASCIMENTO

Produtor de leite em Jóia, Rio Grande do Sul

20

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

RAFAEL

TEÓFILO OTONI - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 11/03/2019

Filho e neto de produtores rurais, desde os 11 anos trabalho na roça, apesar de hoje aos 28 anos também exercer um cargo público, há 05 anos atrás entrei no projeto balde cheio, iniciei produzindo 30 l/dia, deu certo apesar das dificuldades, tempo seco (nordeste de minas, t.otoni) baixos preços do leite, alcancei a produção de 150l/dia, fundimos o negócio (eu e meu pai), aprendemos juntos o manejo da fertilidade do solo e manejo do rotacionado como também a importância do acompanhamento veterinário, unimos as forças e hoje produzimos 370l/dia, usando 1,2 há sendo Mombaça e tifton85, meu sonho é abrir mão do cargo público e me dedicar integralmente a produção leiteira, se trata de dom, de levantar todos os dias ás 4 da manhã feliz por iniciar mais uma jornada.
FABRÍCIO NASCIMENTO

EM 07/03/2019

Rafael obrigado por o comentário! São depoimentos como este teu que me fazer ver que não sou o único que ama o que faz e que se sente feliz em poder levantar de madrugada para fazer ordenha .
WALDEMIRO PIMENTEL ATAÍDE

EM 11/03/2019

Excelente matéria
FABRÍCIO NASCIMENTO

EM 07/03/2019

Muito obrigado Waldemiro!
JOSÉ CARLOS AZEVEDO

CAMPOS DOS GOYTACAZES - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 11/03/2019

Boa noite: Filho e neto de produtor rural, perdi meu pai aos 9 anos, afastado por imperiosa necessidade por imposição à vida do campo. Ainda com 2 anos, nos meus primeiros passos, fui parar de baixo de uma vaca, que com uma patada deixou-me uma marca no rosto, hoje quase imperceptível. Voltei ao terminar os meus estudos e pelo casamento, 15 anos depois. Mesmo assim, com todo o sacrifício imaginável ainda me ligo à produção leiteira sem contar com qualquer planejamento oriundo de recursos técnicos, orientação aprendida desde os tempos de nossos parentes, seculares na arte da produção leiteira, por vezes, até nem dando para pagar as despesas daquela época, aprendi a fazer Silagem, dela nunca me afastarei. É o recurso que a natureza proporciona pelo plantio em sua própria área e em seguida a estocagem. Bendita Silagem.
Imagino, hoje, se o meu pessoal antigo, teria condições para o enfrentamento desgastado de nosso tempo. Apoio, insignificante, quase zero. Sei que nossa qualidade em vacas, sustenta o padrão estabelecido ao nosso critério. Quase sempre novilhas de primeira ou segunda cria, desfazendo das matrizes com até 08 crias, se tanto. Nunca esquecendo da preparação de silagem, a tônica para o desenvolvimento simplório de atividade leiteira. Somente leiteira, não havendo descartes de bezerras perfeitas para continuar no rebanho provinciano. É de bom alvitre informar que a nossa região, Noroeste Fluminense sofre as consequências de desmatamento constante. Não há por parte dos proprietários rurais ou mesmo pelos meios de sustentação "a nossa disposição", qualquer disposição de alterar o que chamamos de Efeito Estufa. Nada favorece a nossa condição de ter o Dom Para Fabricar Leite. É sacrifício bruto, na própria manutenção do rebanho. Passam os dias, acompanhamos somente notícias desfavoráveis, principalmente nos preços dos produtos veterinários; acompanhamos as orientações modestas dos Colunáveis x Artigos. E a dificuldade está a bater em nossas cancelas com oferecimentos não condizentes com a nossa condição monetária. Vida que Segue! Assim mesmo o DOM PARA FABRICAR LEITE continua intacto, acreditem.
Jornadas cada vez mais cedo, mas feliz ao completar em 2019 os meus 75 anos com plena saúde e aptidão para produzir o leite. Quem sabe, ainda não descobrirão os nossos anseios por uma vida de menos sacrifícios. Tomara!!! JOSÉ CARLOS AZEVEDO, pequeno produtor de leite e aposentado como advogado.
FABRÍCIO NASCIMENTO

EM 11/03/2019

José muito obrigado por o comentário!
Inspiradora e motivadora sua história!
ANETUSA CORTEZ GOMES DA SILVA

NOVA XAVANTINA - MATO GROSSO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 06/03/2019

Leite é vida ... Temos aue valorizar essa atividade leiteira.. #leiteévida
FABRÍCIO NASCIMENTO

EM 06/03/2019

Anetusa exatamente isso, leite é vida, o único alimento que consumimos desde o nascimento até o fim de nossas vidas.
DIOGO VALERIO KRAUSS REIS VIEIRA

LAMBARI - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 06/03/2019

iniciei uma pequena produçao a poucos dias, e esse texto me trouxe a sensação do que estou fazendo, é a coisa ao qual eu deveria estar fazendo a mais tempo, apesar da pouca experiência, tenho a sensação de que " tenho o dom de produzir leite ".
FABRÍCIO NASCIMENTO

EM 06/03/2019

Diogo, que bom que descobriu teu DOM, experiência você vai adquerindo com o tempo.
DUARTE CESAR SILVEIRA CALDEIRA FERNANDES

MINAS GERAIS

EM 06/03/2019

Importante texto. Muito importante num "mar" de opiniões negativas referentes à atividade. Seu conteúdo representa um importante alicerce para quem vai lidar com este segmento. Como em qualquer outra atividade, as dificuldades existem. Acredito que o caminho para nos fortalecer e obter resultados positivos é trilharmos com foco na qualidade e na produtividade. Parabéns ao articulista !
FABRÍCIO NASCIMENTO

EM 06/03/2019

Duarte César, obrigado por o comentário!
Exatamente, dificuldades haverão em qualquer atividade, cabe a nós sabermos lidar com elas.
GEISSON SCHIRMANN VASCONCELOS

EM 06/03/2019

É mais precisamos ter lucro, só de paixão ninguém sobrevive! E o nosso capital e o nosso trabalho precisa ser remunerado, ou as pessoas vão cansar e investir em outra atividade!
FABRÍCIO NASCIMENTO

EM 06/03/2019

Geisson se você tiver o dom, o resto vem por consequência, a Fazenda de leite é uma empresa, e como tal deve gerar lucro e satisfação para o proprietário.
TOBIAS RENAN HELLER PEGLOW

SÃO LOURENÇO DO SUL - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 06/03/2019

parabéns... a paixão nos faz sonhar e acreditar cada vez mais no que fazemos...tenho 21 anos e ja dobrei a produção da minha propriedade e de meus pais. Sou filho e neto de produtores e um dia pretendo ser pai e avô de produtores mais eficientes, mais rentáveis e mais apaixonados pelo dom de alimentar o mundo, nunca perdendo a mais inpportante das caracteristicas a esperança...
FABRÍCIO NASCIMENTO

EM 06/03/2019

Tobias muito bom teu comentário, motivador ver alguém tão empolgado .
MAURÍCIO MARTINS PINTO

NANUQUE - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 06/03/2019

Eu sou apaixonado pela atividade, já estou com 59 anos, mas como tive que gastar muito em formação de pastagens na terra que temos, só agora estamos reunindo um rebanho de 30 vacas, sendo 22 no curral, com produção de 230 litros/dia, em regime total a campo....
Gostaria muito de adquirir umas vacas pra aumentar minha produção.
Alguém aí pode me ajudar, não posso pagar tudo na hora, mas não tenho uma dívida vencida, tudo em dia.... Se alguém puder, me ajude preciso de comprar pelo menos 10 vacas(ou se surgir uma parceria, aí podemos receber até 40 cabeças pra criar muito bem, estou com 100 hectares de pastagens exuberantes, raças que mais admiro e gosto, girolanda, jersolanda,5/8 holandês, sindi) pra ter uma produção razoável.
Estou aberto ao diálogo,,, abraço e paz aí pra quem ler.....
FABRÍCIO NASCIMENTO

EM 06/03/2019

Maurício, a compra de animais de fora tem que ser bem planejada, você precisa ter consciência de que vai aumentar o manejo e a necessidade de aliemntos. E sempre ir comprando de acordo com o orçamento da Fazenda.
JEAN DE PINHO MENDES

PARNAÍBA - PIAUÍ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/03/2019

Parabéns pelo texto! Não me vejo sem minhas vacas!! Como me vejo daqui a dez anos? Produzindo mais leite!!! Só não concordo em dizer que não devemos reclamar. Devemos sim reclamar, nada de ficar calado enquanto somos submetidos a toda forma de manobra para manter o ganho dos outros. Nada de me conformar com uma margem cada vez mais espremida, sendo ludibriado pelo falso elogio de que se vc sobreviveu, é porque foi eficiente. Ser eficiente é nossa obrigação, cortar gastos, planejar bem com um bom auxílio técnico é indispensável. Porém, não podemos viver eternamente do amor pela atividade. Sejamos competentes e apaixonados!
FABRÍCIO NASCIMENTO

EM 06/03/2019

Jean, não falei em não reclamar neste artigo, mas sou adepto da ideia de que reclamar não leva a nada, eu mudei a realidade da propriedade no momento em que parei de reclamar e comecei a cuidar de coisas que eu podia mudar, da porteira pra dentro.