FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Sindileite/SC: esclarecimento sobre preço dos lácteos

O Sindicato das Indústrias de Laticínios de SC – SINDILEITE – SC vem a público repassar algumas informações importantes quanto à evolução dos preços dos lácteos e no estado de Santa Catarina, fenômeno que se repete no Brasil todo.

O custo de produção do leite longa vida (UHT), vinha em patamares muito altos a vários meses, e não restou alternativa a não ser a redução da produção especialmente em indústrias que conseguem ter esta flexibilidade na produção, fato esse que ocorreu em todo Brasil.

Esta redução de produção de leite UHT, veio acompanhada da entressafra e também de uma severa seca que está comprometendo a oferta de matéria prima do campo. Nos últimos meses a produção no Sul recuou mais de 20%, e com isso os preços do leite UHT naturalmente iriam subir como sobe todos os anos neste período.

Vale ressaltar que o leite UHT é um produto com variação semanal de preços, tanto para cima quanto para baixo, e é altamente sensível ao nível de produção no campo, diferentemente de outros lácteos que mantem uma curva mais estável. Os preços do leite UHT vinham em uma curva de estabilidade de preços desde novembro/19 a fevereiro/20, enquanto isso os custos da matéria prima (leite) no mesmo período, subiu 10% (dez por cento), sem considerar os aumentos de outros insumos de produção.

Já os queijos estão sofrendo os efeitos contrários, muito leite que saiu do UHT foi destinado para este produto, consequentemente os estoques aumentaram e os preços estão em queda.

O leite em pó está com preço oscilando para cima e para baixo dentro de uma normalidade.

Os outros produtos lácteos como iogurtes, bebidas lácteas entre outros, também estão com preços estáveis, e as gorduras (creme e manteiga) em queda.

Com a disparada do dólar os preços dos insumos para produção se elevaram consequentemente o custo unitário subiu pressionando as indústrias.

O custo de fretes subiu muito porque os retornos das transportadoras não existem mais em função da paralização de atividades, e assim pagamos a ida e a volta.

No campo, além da estiagem que está comprometendo a produção temos um sistemático aumento de custo de produção, principalmente em itens essenciais, como milho e da soja.

A infeliz coincidência está levando a conclusões precipitadas sobre o assunto. O fato é que estamos, com oferta menor de matéria prima em função da entressafra, custos de produção maiores nas indústrias, pressão de custos pela escalada do dólar, margens negativas do produto de mais de ano, pressão de custos de produção no campo e finalmente, é normal em todos os anos nesta época o aumento do preço do leite.

Enfim, sobre a pandemia a única certeza que podemos ter neste momento é de que precisamos manter a calma para poder tomar as decisões certas no momento certo, priorizando a segurança das pessoas sem perder de vista nosso compromisso de prover alimentos para a população.

As informações são do Sindileite/SC.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.