FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Para onde está se movendo o setor lácteo da Argentina?

POR STEPHANIE ALVES GONSALES

E MAYSA SERPA

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 25/11/2020

2 MIN DE LEITURA

0
3

Em 1999, a Argentina produziu 10,3 bilhões de litros de leite e, atualmente, o volume de produção permanece neste mesmo patamar. Ainda que, de uma forma geral, a produção leiteira do país esteja estagnada nas últimas duas décadas, a possibilidade de crescimento ainda é considerada. No início de 2020, antes da pandemia se estabelecer, a projeção de crescimento era de 2,2%, estimando o maior valor dos últimos 5 anos.

Contudo, diante da Covid-19, o cenário não parecia favorável. A situação assustou produtores e indústrias e ameaçou as expectativas, mas, surpreendentemente, o setor lácteo não sofreu grandes impactos. Mesmo com menor rentabilidade e com os produtores argentinos sendo considerados os menos bem pagos do mundo, o setor continuou operando e observou-se um aumento de 9% da produção de leite nas fazendas em comparação com o ano anterior, segundo dados do Ministério da Agricultura do país.

Assim como a produção, a demanda por lácteos também surpreendeu. Com as pessoas em casa, o consumo de leite e derivados cresceu consideravelmente, sendo o isolamento social um fator importante para o aumento de cerca de 2% na demanda. Contudo, ainda que o consumo tenha sido elevado, não foi suficiente para comprometer toda a oferta. Desde 2015, nunca houve tanto leite! Felizmente (para os argentinos)o mercado internacional está suficientemente aquecido para que a indústria local esteja exportando 46,2% a mais que no ano passado, sendo o Mercosul o principal destino.

A maior parte do comércio de lácteos no Mercosul acontece entre Brasil (comprando) e Argentina (vendendo). Para ambos os países, esta relação tem crescido em importância nos últimos anos e cerca de 30,5% da exportação dos lácteos da Argentina vem para terras brasileiras. Além do Brasil, Chile, Peru, Uruguai, Paraguai e Colômbia estão entre os destinos do leite argentino.

Diante de tudo isso, fica o questionamento: qual o futuro do leite na Argentina e quais os impactos para o Mercosul, sobretudo o Brasil?

Estas perguntas poderão ser respondias no Dairy Vision 2020! Este ano, o evento terá sua primeira edição on-line, entre os dias 1 e 4 de dezembro, com 30 palestras. Alejandro Galetto e Laura Gastaldi ministrarão o tema “Mudanças no setor lácteo da Argentina e possíveis efeitos no Mercosul”, abordando o contexto de produção, mercado e relações do país. Além desta palestra, no painel “Tendências de Mercado para 2021”, vários especialistas tratarão dos mercados na Europa, Brasil, Rússia, EUA, Ásia e Rússia.

O evento está imperdível! Entre no site, confira nossa programação e se inscreva no evento. Em um mundo de constantes transformações, faça a diferença e seja um protagonista!

Dairy Vision 2020: Para quem quer ser protagonista em um mundo de grandes transformações.

STEPHANIE ALVES GONSALES

MAYSA SERPA

Médica Veterinária e mestranda em Sanidade Animal pela UFLA, Editora Assistente de Conteúdo MilkPoint.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint