ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Índia: setor de lácteos segue forte e estável

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 17/02/2021

4 MIN DE LEITURA

0
0

A Índia é um dos maiores produtores de leite do mundo e, embora sua população seja responsável pela maior parte do consumo da produção nacional, não há dúvida de que a produção está se mantendo forte, com um crescimento constante do volume ao longo dos anos.

De acordo com a empresa de dados de mercado Statista, a indústria de laticínios ao longo dos anos evoluiu para incluir uma variedade de produtos. Manteiga, paneer (um queijo indiano), requeijão e iogurte formam a indústria de produtos lácteos processados ??na Índia. No entanto, no mercado organizado, a manteiga e o queijo dominaram o mercado lácteo. 

6 principais estados produtores de leite

  • Uttar Pradesh (16,3%),
  • Rajasthan (12,6%),
  • Madhya Pradesh (8,5%),
  • Andhra Pradesh (8,5%)
  • Gujarat (7,7%)
  • Punjab (6,7%)

Juntos, eles representaram 60% da produção total de leite no Ano Fiscal Indiano (IFY) 2018/2019 (abril-março). Além disso, a disponibilidade per capita de leite na Índia foi estimada em 394 gramas/dia (média nacional).

Produção de leite

O Censo Pecuário de 2019 afirma que a população de gado leiteiro de raças exóticas e cruzadas aumentou 32% em relação ao último Censo (2012). O que contribuiu significativamente para a produção geral de leite: essas raças têm maior produção de leite de 7,95 kg/vaca contra 3,01 kg/vaca para raças indígenas.

O estado de West Bengal agora lidera a população de gado (9,85%) na Índia, seguido por Uttar Pradesh (9,7%), Madhya Pradesh (9,7%), Bihar (7,9%), Maharashtra (7,2%) e Rajasthan (7,2%). Os 6 estados juntos constituem 50% da população bovina total da Índia (20º Censo Pecuário), informou o USDA.

Estima-se que 49% da produção de leite da Índia se origina de búfalos (35% búfalos indígenas e 14% búfalos indefinidos (aqueles que não são selecionados ou criados para produtividade). Uttar Pradesh tem a maior concentração de população de búfalos com 33%, seguido por Rajasthan (12,4%) e Madhya Pradesh (9,5%). Devido ao maior teor de gordura no leite dos búfalos, alguns produtores preferem esses animais, pois com o alto teor de gordura um preço mais alto pode ser obtido no mercado.

Comércio e consumo

A Índia exporta leite em pó desnatado regularmente para países como Bangladesh (o maior comprador), Afeganistão, Malásia, Paquistão e Emirados Árabes Unidos. A previsão é de que as exportações totais de manteiga em 2020 aumentaram de 50.000 toneladas em 2019 para 55.000 toneladas, devido à demanda modesta de compradores tradicionais e novos. Os principais compradores são Egito, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Austrália e Estados Unidos da América.

O USDA acrescenta ainda que as principais importações de laticínios da Índia incluem leite em pó, gorduras e óleos, caseína, manteiga, soro de leite, queijo e lactose. Historicamente, a Índia importou apenas leite em pó e manteiga em quantidades limitadas quando era evidente que a produção doméstica era insuficiente ou para ajudar a controlar a inflação.

No ano passado, em 1 de fevereiro de 2020, o Ministro das Finanças Nirmala Sitharaman apresentou o orçamento anual do Governo da Índia (GOI) para o Ano Fiscal Indiano (IFY) 2020/21. O GOI, com efeito imediato, aumentou as tarifas sobre diversos alimentos e produtos agrícolas, inclusive laticínios. O imposto básico de importação sobre manteiga, ghee e óleo de manteiga (Código SH 0405) foi aumentado de 30% para 40%.

A demanda por ghee (manteiga clarificada) e manteiga, ainda é robusta (ghee é um dos laticínios de valor agregado mais consumidos). Com o crescimento dos consumidores de média e alta renda, há um aumento na demanda por produtos lácteos fermentados, como iogurte, bebidas à base de iogurte, queijo processado, queijo (por exemplo, mussarela, pasta, aromatizado e condimentado), e a demanda por sorvetes também está crescendo.

O aumento da renda disponível, a urbanização, a mudança no estilo de vida, as famílias de dupla renda e outras mudanças demográficas estão impulsionando a demanda por produtos lácteos processados ??ou com valor agregado.

Segurança do leite

Devido aos problemas e preocupações quando se trata de segurança e qualidade do leite, há um forte impulso e demanda por leite embalado em temperatura ultra-alta (UHT). O relatório do USDA acrescenta que os laticínios privados e cooperativos não têm sistemas de coleta separados para leite de vaca e de búfala, o que significa que o leite embalado é principalmente uma mistura dos 2 e apenas alguns processadores comercializam leite de vaca puro.

A coleta de leite de fazendas leiteiras predominantemente de pequeno porte na Índia é um grande desafio e ainda requer investimentos em infraestrutura e sistemas de aquisição. No entanto, existem planos em vigor para fazer ajustes às questões atuais com segurança alimentar a este respeito. O governo da Índia (GOI) lançou um programa para manter a qualidade do leite a fim de garantir a segurança alimentar nas fazendas e vilas, um esquema chamado

“Fortalecimento da Infraestrutura para Qualidade e Produção Limpa de Leite”. Além disso, o Ministério das Indústrias de Processamento de Alimentos do GOI também fornece subsídios ao setor privado e cooperativas de laticínios para construir uma infraestrutura de cadeia de frio.

Figura: Produção e rendimento de leite em regiões selecionadas.

 

Perspectiva futura

A produção mundial de leite deve crescer 1,6% a.a. (para 997 toneladas em 2029) durante a próxima década, mais rápido do que a maioria das outras principais commodities agrícolas. De acordo com a FAO, a Índia e o Paquistão deverão contribuir com mais da metade do crescimento da produção mundial de leite na próxima década.

Prevê-se também que representem mais de 30% da produção mundial em 2029. A produção ocorrerá principalmente em pequenos rebanhos de algumas vacas ou búfalos. Espera-se que os rendimentos continuem crescendo rapidamente e contribuam mais para o crescimento da produção.

As informações são de FAO, USDA, Statista, publicados pelo Dairy Global, traduzidas pela Equipe MilkPoint.

*Fonte da foto do artigo: Freepik

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint