ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

CholiPEARL: para uma transição segura, saudável e eficiente

NOVIDADES DOS PARCEIROS

EM 29/07/2022

2 MIN DE LEITURA

0
0

O período de transição, compreendido entre as últimas semanas antes- até as primeiras após o parto é uma fase crítica para a vida produtiva da vaca leiteira. A transição de prenhe-não lactante para não prenhe-lactante exige diversas adaptações no metabolismo para suportar a produção de leite. A demanda por nutrientes aumenta repentinamente, em um momento em que o consumo de alimento é relativamente baixo. Esta diferença entre demanda e suprimento de energia, neste período, é conhecida como balanço energético negativo (BEN). Notadamente um dos principais efeitos do BEN é a extensa mobilização de tecidos corporais, particularmente gordura, na forma de ácidos graxos não esterificados (AGNE).

A maioria desses AGNE que chegam ao fígado são oxidados para produção de energia ou convertidos em metabolitos intermediários como o beta-hidróxido butirato (BHBA), e em uma menor extensão, a síntese de lipoproteína de muito baixa densidade (VLDL). O fígado bovino tem capacidade limitada de sintetizar e secretar VLDL, comprometendo assim a exportação de triacilgliceróis durante extensos períodos de captação hepática de AGNE, causando a lipidose hepática. Estudos demonstraram que em torno de 50-60% das vacas leiteiras, no período de transição, passam por moderada a severa lipidose hepática. Este acúmulo de ácidos graxos no fígado tem sido associado à retenção de placenta, cetose, deslocamento de abomaso e comprometimento da função imune e reprodução.

A suplementação de vacas leiteiras periparturientes com colina protegida no rúmen tem sido utilizada como estratégia para melhorar o metabolismo energético. Umas das principais funções da colina é a síntese de fosfatidilcolina, um componente essencial das membranas celulares. Adicionalmente, a fosfatidilcolina é necessária para a síntese e secreção VLDL, minimizando o acúmulo de gordura no fígado. Assim, a colina é um componente primordial para aliviar a gravidade e incidência da gordura no fígado de vacas leiteiras no período de transição. Devido ao extenso metabolismo ruminal, fontes de colina devem ser encapsuladas para preveni-la da degradação pelos microrganismos do rúmen.

Nas últimas décadas diversas pesquisas demonstraram os benefícios da suplementação com colina protegida, sobre a saúde e produção de vacas leiteiras no período de transição. Recentemente, uma meta-análise foi publicada pelo grupo de pesquisa da Universidade da Flórida, onde foram compilados mais de 20 publicações. O resumo com os principais resultados está apresentado na figura abaixo.

A suplementação com Colina protegida aumentou o consumo de alimento e a produção de leite e reduziu a incidência de doenças como retenção de placenta e mastite.

 

Referências:

Arshad et al., 2019. Journal of Dairy Sci. 103:282-300

Bisinotto et al., 2011. AABP Proceedings

Bobe et al., 2004. Journal of Dairy Sci. 87:3105-3124

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint Logo MilkPoint Ventures