FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Você realmente sabe comprar inoculantes?

Durante as minhas apresentações e visitas às propriedades, eu tenho percebido que a maioria dos produtores e técnicos não sabe escolher o inoculante. Baseado nesta constatação, resolvi escrever este artigo na tentativa de esclarecer que os produtos comerciais são muito específicos, ou seja, os inoculantes não são iguais e, por trás de uma escolha, deve haver critérios técnicos.

Inoculantes bacterianos são aditivos utilizados na confecção de silagens com o objetivo de corrigir alguma ‘falha’ que a massa ensilada apresenta e, por meio do manejo, a propriedade ainda não consegue controlá-la. As silagens podem apresentar fermentação indesejável (por exemplo: silagem de capins tropicais) ou elas podem ser susceptíveis à deterioração aeróbia (quando a silagem aquece e é atacada por mofos durante a fase de desabastecimento). Percebam que os problemas apresentados são bem distintos, o que nos remete a pensar que diferentes ‘ferramentas’ devem ser utilizadas para corrigir tais ‘falhas’.

No mercado atual há 3 tipos de inoculantes:

i) Os que contém bactérias que melhoram a fermentação;

ii) Os que contém somente a bactéria Lactobacillus buchneri (somente ela controla a deterioração) e;

iii) Os que associam os dois tipos, denominados de combo.

Para auxiliar na compreensão sobre o uso adequado de cada produto, abaixo há uma tabela que associa a silagem com o inoculante a ser adquirido. Lembrem-se que qualquer aditivo deve ser utilizado de forma estratégica, ou seja, somente quando algum problema existir. Pois é possível confeccionar silagens de alta qualidade sem o uso desses produtos.

Lembrem-se também que para um inoculante ser eficaz, vários fatores precisam estar em sintonia, tais como: qualidade (marca), dose a ser aplicada, homogeneidade com o alimento, condições ambientais no momento da aplicação e acima de tudo aquilo que discutimos neste texto: compatibilidade com o problema a ser enfrentado.

Recomendação do inoculante de acordo com a silagem a ser confeccionada

1Melhoradoras de fermentação: Enterococcus faecium, Lactobacillus paracasei, Lactobacillus plantarum, Lactobacillus rhamnosus, Lactococcus lactis, Pediococcus acidilactici, e Pediococcus pentosaceus.

2Combo: produto que associa a bactéria Lactobacillus buchneri às melhoradoras de fermentação.

Thiago Fernandes Bernardes será um dos palestrantes do Interleite Brasil 2019, evento que começa na semana que vem nos dias 07 e 08 de agosto em Uberlândia/MG. Ele falará sobre "Do campo ao cocho: o que há de novas tecnolgogias para a produção e alimentos conservados?" no painel "Gestão da Produção de Silagem e Alimentos nas Fazendas". 

Há 25 anos crescendo junto com o setor leiteiro, o Interleite Brasil é o evento que reúne toda a cadeia produtiva para falar de mercado, gestão, inovação e futuro.  Neste ano, novamente em Uberlândia/MG, nosso compromisso é fazer um evento imperdível, daqueles que você não se arrepende jamais de ter participado!  Neste ano, o Interleite Brasil contará com várias inovações. Uma delas é um painel de debate junto aos laticínios focado no relacionamento com o produtor e a coordenação da cadeia láctea. Algo totalmente novo e que também pretende movimentar o público e agregar no setor são os casos de sucesso oriundos de outros países. Resumindo? Você não pode perder! Confira a programação completa e faça a sua inscrição! 

THIAGO FERNANDES BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

RODRIGO BRAGA

EM 30/07/2019

Excelente o tema e o espaço para debate.
Comprar inoculante é realmente algo muito técnico e temos alguns fatores determinantes para fazer a escolha e termos resultados. Gostaria de ressaltar alguns pontos:
1) Existe mais um fator importantíssimo a ser considerado na "hora da escolha": Concentração de bactérias inoculadas/grama de silagem. O conceito de inocular é AUMENTAR a concentração de bactérias "melhoradoras de fermentação" e, ou, "controladoras de fungos" na silagem para que o pH caia rapidamente e assim seja feita a preservação dos nutrientes da silagem. Ou seja, quanto maior o número de bactérias inoculadas por grama de silagem, maior a eficiência.
2) Outro ponto, que na minha opinião, os técnicos cometem muito erro, é dizer que inoculante deve ser usado em situações estratégicas. Um bom inoculante tem dois grandes benefícios: Preservar nutrientes da forragem (existem várias comprovações que silagem sem inoculante pode ter de 5 a 12% de perdas e uma silagem bem feita e inoculada terá seus nutrientes conservados); Evitar presença de fungos, mofos, leveduras (uma silagem de cana ou grão úmido o problema não é baixar pH, e sim controlar a presença de fungos (toxinas). Por isso é importante trabalhar com inoculantes específicos. Um pré-secado é muito difícil conseguir a compactação excelente, o que cria um ambiente favorável ao aparecimento de fungos, por isso a importância de se utilizar inoculante sempre). Silagem de milho planta inteira bem feita não terá aparecimento de fungos, mas a questão é fazer a fermentação o mais rápido possível para preservar nutrientes e melhorar digestibilidade.
3) Devemos ter muito cuidado ao afirmar o seguinte: "Somente a bactéria Lactobacillus buchneri (SOMENTE ela controla a deterioração)"; Existem as bactérias propiônicas que apresentam uma eficiência maior por precisarem de menos açucares (glicose/frutose) para converter em ácido "benéfico" para conservação das silagens. Tanto é verdade que muitas empresas que antes só usavam bactéria L.Buchneri, hoje utilizam bactéria propiônica.

Parabenizo o autor pela escolha do tema. É algo muito importante a ser discutido e a conservação de forragens na propriedade representa um fator muito importante, tanto para resultado na produção quanto na saúde financeira da propriedade.
ROBERTO BROMI CARGNIN

BENTO GONÇALVES - RIO GRANDE DO SUL - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 30/07/2019

THIAGO FERNANDES BERNARDES

Quando menciona no texto "para um inoculante ser eficaz" porque não mencionou a preocupação deste inoculante ter sido conservado refrigerado? Isso é o mais determinante na escolha de um bom inoculante.
Incrível que temos produtos no mercado de empresas multinacionais que na Europa e EUA recomendam que o inoculante deve ser mantido refrigerado e aqui no Brasil, pode tudo. Pode ficar fora da refrigeração que as bactérias tem o "super poder" de resistir ao calor. Piada pronta...