ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Silagens de grãos: onde não pode haver erros?

Atualmente, cerca de 50% das propriedades incluem silagens de grãos (grãos úmidos, reconstituídos ou espigas) na dieta de bovinos leiteiros ou de corte. Vários fatores levam a este cenário, mas a principal justificativa é que silagem de grãos potencializa a eficiência alimentar, ou seja, reduz custo de produção com alimentação.

Contudo, não é simples a produção e uso destas silagens, uma vez que as mesmas demandam mais profissionalismo em termos de gestão econômica e técnica. Abaixo serão apontados os fatores técnicos que não podem sofrer falhas quando as silagens de grãos começam a fazer parte do plano alimentar dos animais:

i) Umidade: As silagens de grãos devem ser produzidas com aproximadamente 35% de umidade (intervalo entre 33 a 38%). Se as mesmas estiverem com 30% de umidade a fermentação desejável não irá se consolidar (perdas) e a disponibilização do amido não será potencializada. Se produzidas com mais de 40% de umidade (grãos úmidos e espigas) os grãos não acumularam o ótimo de amido. Portanto, 35% de umidade é o alvo.

ii) Moagem: Para silagem de grãos úmidos e reconstituídos, a granulometria afeta o desempenho do moinho, a fermentação e o desempenho animal. Partículas entre 5-8 mm são indicadas para vacas em lactação e 10 mm para bovinos de corte. Sorgo deve ser moído mais fino (3 mm).

iii) Aplique aditivos: As silagens de grãos possuem alto valor agregado e são propensas à deterioração aeróbia. Portanto, todas as técnicas capazes de evitar deterioração devem ser usadas. Aplique inoculantes a base de Lactobacillus buchneri ou sais ácidos.

iv) Use lona com barreira ao oxigênio: A vedação é uma etapa que possui baixo impacto sobre o custo de produção e define o selamento da silagem, ou seja, evita deterioração durante a estocagem. Portanto, invista em plásticos de alta qualidade, optando por aqueles com barreira ao oxigênio.

v) Estocagem mínima: Armazene a massa por um período mínimo de 60 dias. Este tempo é necessário para as enzimas dos grãos e as bactérias potencializem a disponibilização do amido.

vi) Nutrição: Quando silagens de grãos são usadas na dieta o sítio de digestão do amido fica concentrado no rúmen. Este fato pode levar os animais à manifestar acidose lática ruminal. Portanto, atenção ao balanço entre fibra fisicamente efetiva (poder de mastigação) e amido fermentável, proporção de amido proveniente da silagem e de grãos secos (em média 65:35), fontes de proteína degradável no rúmen e uso de aditivos tamponantes. Silagens de grãos exige nutrição com maior grau de refinamento.

THIAGO FERNANDES BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.