FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Qual a relação entre uma silagem de milho de qualidade e a economia no uso de concentrado?

POR RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

E THIAGO FERNANDES BERNARDES

THIAGO FERNANDES BERNARDES

EM 01/04/2013

3 MIN DE LEITURA

15
0
Para a pecuária em geral, o ano de 2012 trouxe dificuldades tanto para a produção de leite como a de carne, principalmente com a elevação nos preços dos insumos, grãos e da seca enfrentada em algumas regiões do Brasil.

Para a pecuária leiteira, como mostra o artigo “CEPEA: Produção segue em queda e preços ao produtor, em alta” publicado no MilkPoint recentemente, houve retração na produção de leite, porém a demanda por produtos lácteos permanece, o que está gerando elevação no preço do leite pago ao produtor.

Este artigo tem como objetivo levar ao produtor a ideia de que, com a produção de silagem de milho de qualidade, é possível ter economia no uso de concentrados, principalmente do milho. É importante se atentar que a produção de silagem se concentra em um período específico do ano (outubro-abril, dependendo da região), tendo o produtor a possibilidade de nova lavoura somente no ano seguinte. Dessa maneira, o adequado investimento na lavoura e os manejos corretos que contemplam o processo de ensilagem garantem ou potencializam que a silagem de milho produzida tenha qualidade nutricional satisfatória. Porém, muitas vezes parte do processo de ensilagem é negligenciado e o resultado final é redução na qualidade deste alimento.

Imaginemos um rebanho leiteiro hipotético de vacas em lactação, com produção média diária de 28 kg de leite ao longo de sua lactação. Qual seria o efeito, em termos nutricionais e de custos de produção, se utilizássemos uma silagem de milho com 2% a mais de PB (saindo de 6% e chegando a 8% deste componente) e de 10% a mais em NDT (comparando uma silagem com 65% vs. 75% de NDT)?
Iremos considerar o custo da silagem de milho de R$ 98,90/ tonelada de matéria verde e seu teor de matéria seca de 32%. A dieta e o custo das toneladas dos ingredientes concentrados utilizados nesta comparação estão apresentados abaixo (Tabela 1).

Tabela 1. Ingredientes, proteína bruta, NDT e custos da tonelada para formulação da dieta.

Quando utilizou-se os ingredientes acima e se procedeu com a formulação da dieta, considerando a silagem de milho com 6% de PB e 65% de NDT (silagem de baixa qualidade) a formulação e o custo da dieta são apresentados na Tabela 2:

Tabela 2. Formulação e custos para dieta com silagem de baixa qualidade.

Na outra comparação, agora utilizando silagem de milho com 8% de PB e 75% de NDT (silagem de alta qualidade) para a mesma vaca, a formulação e o custo da dieta são apresentados na Tabela 3

Tabela 3. Formulação e custos para dieta com silagem de alta qualidade.

As grandes diferenças que podemos observar entre essas duas formulações é que potencializamos o uso da silagem de milho (aumento de 4,22 kg, o que equivale a 9,91% de aumento) e aumentamos do uso do farelo de soja (diferença de 0,23 kg entre as dietas, equivalente a 6,44% de aumento), entretanto ocorreu redução do uso de milho de 3,06 para 1,19 (diferença de 1,87 kg entre as dietas), representando redução de 38,88%.

Para esse cálculo específico podemos resumir a economia observada na Tabela 4, onde mesmo aumentando o volume de silagem e farelo de soja, a redução no uso do milho e da uréia representou economia ao produtor. Para os cálculos abaixo foram considerados a lactação de 305 dias, assumindo a mesma dieta e os mesmos valores dos ingredientes para todo o período.

Tabela 4. Formulação e custos para dieta com silagem de alta qualidade.


Os valores mostram que com o aumento na qualidade da silagem de milho é possível economizar R$ 152,52 por lactação de cada vaca. Se considerarmos o valor do litro de leite pago ao produtor de R$ 0,90, com a redução dos custos de alimentação seria possível economizar por volta de 170 litros de leite/vaca/lactação ou 4,62 sacos de milho/vaca/lactação.

Logicamente que muitos cenários podem ser construídos ao redor dessa discussão, mas a principal finalidade deste artigo é alertar ao produtor que é possível produzir silagem de qualidade, e o grande destaque quando se fala em qualidade é a energia. Pelos cálculos realizados, é evidente que a contribuição em aumento de NDT é superior à contribuição pela elevação nos teores de proteína bruta.

Os manejos de ensilagem e abertura são fundamentais para manutenção da qualidade da silagem, dessa forma, fica a dica para quem ainda irá colher a safrinha e para todos que abriram ou abrirão seus silos nos próximos meses. Além de a silagem ser o ingrediente de maior proporção na dieta de um animal, quem é o responsável por sua produção é o produtor de leite, diferentemente do milho e da soja que na maioria das vezes chegam à propriedade de caminhão e ensacadas.
 

RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

Zootecnista pela Unesp/Jaboticabal.
Mestre e Doutor em Ciência Animal e Pastagens pela ESALQ/USP.
Gerente de Nutrição na DeLaval.
www.facebook.com.br/doctorsilage

THIAGO FERNANDES BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

15

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 30/04/2013

Prezado Humberto,



Muito obrigado!



Forte abraço!!!



Rafael Amaral
HUMBERTO MARCOS SOUZA DIAS

ALFENAS - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 20/04/2013

Parabéns, Rafael! Muito bom.
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 03/04/2013

Prezado Eduardo,



O valor nutritivo da silagem de sorgo é bastante semelhante a silagem de milho, porém consideramos que a qualidade da silagem de sorgo é cerca de 85 a 90% a do milho, visto a maior dificuldade da quebra do grão durante o processo de ensilagem.



Atenciosamente



Rafael & Thiago
EDUARDO G. XAVIER

RIO GRANDE - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 03/04/2013

Rafael e Thiago,

parabéns pelo artigo. Em nossa região utilizamos bastante silagem de sorgo, característica daqui. Essa conta segue a mesma utilizando silagem dessa planta?



Att.
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 02/04/2013

Prezado Porteira Adentro,



Obrigado pelos comentários.



Utilizamos a relação de ingestão entre FDN e PV de 1,48.



Gostaria de ressaltar que utilizei valores médios para toda a lactação, o que nutricionalmente falando não é recomendado. A intenção das dietas em questão é mostrar que podem ocorrer alterações significativas entre silagens de milho com qualidade diferentes.



Atenciosamente



Rafael & Thiago


RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 02/04/2013

Prezado Santo,



Sem dúvida a silagem nunca irá substituir o concentrado, porém a partir do momento em que o produtor tiver subsideos para maximizar a produção de sua silagem, e aqui eu incluo assistência técnica direcionada para produção de silagem é possível obter silagens de excelente qualidade ao custo exatamente igual, apenas alterando erros de manejo.



O exemplo mostrado não é para ser seguido a risca, mais é somente para demonstrar que alterando o valor nutritivo do alimento, a formulação muda.



Atenciosamente



Rafael & Thiago
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 02/04/2013

Prezado Diogo,



A diferença seria ainda inferior porém com poucas diferenças. A quantidade de farelo de soja seria 3,72 e o custo por kg de leite de R$ 0,3565.



Atenciosamente



Rafael & Thiago
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 02/04/2013

Prezado Fernando,



A melhoria da qualidade da silagem pode ser proveniente de vários fatores, como:



Escolha do híbrido, eficiência na colheita, enchimento e  compactação adequado, vedação adequada, uso de aditivos, correto manejo de pós abertura entre outros.



O grande destaque que gostaríamos de focar é que é possível encontrar silagens com qualidade diferentes e para obtenção da melhor silagem vários poderão ser os fatores.



Atenciosamente,



Rafael & Thiago
COWTECH - CONSULTORIA E PLANEJAMENTO

LENÇÓIS PAULISTA - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 02/04/2013

Prezados Rafael e Thiago,



Muito interessante o tema e conceito debatido!



Me chamou um pouco atenção a quantidade de silagem de milho oferecida na dieta hipotética. No limite da capacidade de ingestão de FDN (considerando 1 a 1,2% como possível/Mertens, 1988). Não seria muito "puxado" para 28 kg de leite (desafio)?. Na teoria a vaca come, na prática, não tenho visto no campo vacas produzindo 28 litros em média com essa ingestão de volumoso. Usualmente, as dietas comerciais que acompanhamos operam com 37 a 42 kg de matéria original/cabeça/dia com silagem de milho + subprodutos (polpa e caroço) + concentrado. Em termos de silagem de milho os números que mais  encontro são valores entre 23 a 30 kg de MO de silagem de milho/cab/dia para vacas em lactação. Considerando 21 kg de MS como consumo médio e 40% de silagem na MS temos 8,4 kg de MS da mesma. Considerando 33% de MS nesta suposta silagem temos o equivalente a cerca de 25 kg de silagem de milho.



Enfim, vamos lá!



Um abraço aos parceiros, até!
SANTO OLIVATTO

IPUÃ - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/04/2013

silagem de milho sem duvida e um bom volumoso para o gado de leite,porem,é caro e não vai subistituir a raçaõ concentrada. concordo plenamente com o amigo CLAUDIO de Morrinhos, a produçaõ de  leite esta cada dia mais amarrada agricultura de grãos pois se o produtor não estiver bem equipado com maquinas e implemento, e for pagar para fazer tudo o lucro que ja é pequeno...some.
DIOGO AUGUSTO CLETO SOUTO

ARAPOTI - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 02/04/2013

Excelente artigo Rafael e Thiago, é o que sempre digo, produtor que faz o custo final por litro de leite produzido, nunca abre mão da silagem de milho......se vc tivesse travado a mesma quantidade de  uréia para ambas as dietas a diferença seria mais significativa?
FERNANDO ALBERTO JACOVACI

PESQUISA/ENSINO

EM 02/04/2013

Bom dia..

Quando é proposto este aumento de qualidade na silagem de milho ( PB e NDT), às melhorias são respostas de uma possível utilização de aditivos? Se sim, qual seria a indicação dos senhores tratando-se de silagem de milho?

Ou por ser silagem de milho, e a mesma possuir um bom perfil de fermentação, não é necessário o uso de aditivos? e apenas com um  bom planejamento e manejo é possível obter essas melhorias.

Obrigado,

Abraço, excelente artigo!
RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 01/04/2013

Prezado Gustavo,



As literaturas para produção de silagem de qualidade são diversas. Recomendo o curso sobre produção de silagens que o Agripoint oferece, lá poderá encontrar bastantes aspectos práticos.



Também existem vários artigos publicados aqui que podem auxiliar na confecção de silagem. Caso queira literatura cientifica, recomendo os anais do International Silage Symposium realizado em 2009 e 2011 pela ESALQ.



Com relação ao Estilozantes para a ensilagem, comente que o processo de fermentação de alimentos com elevado teor de proteína é bastante complexo. Outro fator que deve estar alinhado é com relação ao manejo desta leguminosa.



Atenciosamente



Rafael & Thiago
CLÁUDIO DALLARA ALEXANDRE

MORRINHOS - GOIÁS

EM 01/04/2013

Caros autores, faço parte de uma cooperativa que tem mais de quatro mil associados e que 16% dos produtores são responsáveis por mais de 92% do total de leite arrecadado. Esse texto só vem caracterizar que, a produção de leite anda de mãos dadas com a agricultura especializada, e no caso da minha região, se o produtor necessitar de serviço terceirizado, as porcentagens de proteína bruta e NDT, irão continuar puxando o tapete da tão sonhada produtividade ou melhor, lucratividade.

Grande Abraço.
GUSTAVO PRATES

NITERÓI - RIO DE JANEIRO - PESQUISA/ENSINO

EM 01/04/2013

Prezados,

Poderiam me indicar literatura para produção de silagem de qualidade em silo horizontal (Chão impermeabilizado com manta plastica). Gostaria de vossa opinião sobre o cultivo de  "Estilozantes campo grande" como fonte de proteína na produção de leite, como simples pastagem e na produção de silagem.

Abraço,