FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Produção de silagens mistas

POR THIAGO BERNARDES

THIAGO FERNANDES BERNARDES

EM 27/11/2015

2 MIN DE LEITURA

16
0
Frequentemente eu sou indagado sobre a possibilidade e quais seriam os ganhos quando silagens mistas (associação de duas ou mais culturas) são produzidas. Esta é uma prática que foi divulgada há muitos anos (década de 70) e, no passado, a associação entre milho e soja era a mais praticada. Neste último caso, a principal justificativa utilizada era opção por aumentar a concentração de proteína bruta da silagem por meio das plantas de soja. É importante ressaltar que as principais culturas utilizadas para a produção de silagem no Brasil (milho, sorgo, cana-de-açúcar e capins tropicais) são fontes de energia.

A proteína bruta que irá compor a dieta dos animais, na maioria das situações, será fornecida por meio de um concentrado proteico. Outros países são dependentes de proteína oriunda de plantas, como ocorre com o cultivo de alfafa; porém, esse não é o modelo de produção mais utilizado nas fazendas zootécnicas brasileiras. A associação entre plantas com baixa e alta concentração de proteína pode ser praticada por aqui, mas eu vejo este cenário para pequenos produtores, os quais possuem menos recurso financeiro para a compra de concentrado e ainda conseguem ter maior controle do estágio de desenvolvimento das culturas (produzem em menor escala), fator que se torna decisivo para a produção de silagens mistas e que irei discutir a seguir.

Atualmente, alguns produtores e técnicos também citam opções como cana-de-açúcar com capim, cana-de-açúcar com milho, sorgo com milho e outras. Nestes casos não vejo justificativa para tais associações. Na realidade, estas associações levam a uma maior dificuldade do ponto de vista de manejo, pois a ensilagem de uma só cultura é complexo, imaginem a associação. É raro duas culturas atingirem o ponto ideal de colheita na mesma época. Então, quando a mistura ocorre uma das culturas estará jovem ou em estágio avançado de maturidade, o que trará consequências negativas para a conservação da massa e sobre o valor nutritivo da silagem. Além das consequências negativas apontadas anteriormente, a colheita e a homogeneização das culturas também se tornarão complexas. Portanto, a recomendação é que cada cultura, principalmente as gramíneas, seja ensilada isoladamente.

Há situações em que a mistura ocorrerá de maneira natural. Por exemplo, o milho é uma espécie muito cultivada para a recuperação de pastos degradados (sistemas integrados). Quando este estiver apto para ser colhido, o capim estará em desenvolvimento avançado e, desse modo, haverá mistura desta forrageira com o milho, o que se torna justificável.
 

THIAGO BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

16

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 27/12/2017

Douglas, procure trabalhar com a plataforma da colhedora um pouco mais alta. Essa alternativa irá diminuir a quantidade da braquiaria colhida. Colhedora tracionada por trator colhe menos braquiaria que as autopropelidas.



Att,

Thiago Bernardes
DOUGLAS BIGLIA

RIVERSUL - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/12/2017

gostaria de saber se a brachiaria em excesso na roça de milho pode causar algum dano à silagem, tenho medo de não fermentar de maneira ideal
WELBER BRAGA

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 03/12/2015

É possível associar  milho com soja ou milho com guandu para ensilagem. Se possível qual a melhor  maneira de se fazer tenho uma área irrigada por gotejamento de 3 ha. desde já agradeço.
MARCELO AUGUSTO BARBOSA FIGUEIREDO ALVES

GUARATINGUETÁ - SÃO PAULO - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 03/12/2015

Se me permitem uma intervenção, a associação ou consórcio de culturas para ensilagem, como o milho, com capim, visando a recuperação de pastos degradados, é uma fantástica estratégia da integração lavoura-pecuária, através da qual são investidos recursos financeiros na recuperação dos tais pastos degradados, principalmente em corretivos e fertilizantes, a serem remunerados pela cultura principal - o milho - ensilado ou colhido os seus grãos.

Utilizei esta técnica com muito sucesso em Campo Verde, no Mato Grosso, enquanto administrava fazendas de pecuária de corte, onde plantamos milho para colher grãos, consorciado com braquiaria brizanta cultivar marandu, seguindo à risca as recomendação da EMBRAPA no que batizou de sistema Santa Fé. Porém, o sucesso do sistema consiste em suprimir por um tempo o capim para que a cultura principal, o milho, possa de desenvolver, o que se faz com a defasagem da semeadura de ambas no tempo (com duas operações de semeadura) ou defasagem da germinação, semeando capim à profundidades maiores, de forma que sua emergência ocorra depois do milho. A supressão também é garantida com herbicidas sobre o capim (atrasina) em sub-dose. Essas medidas são necessárias, caso contrário o capim "abafa" o milho. Seguindo esses preceitos, não há problemas na colheita do milho, pois o capim lá instalado se desenvolve pouco.

Agora, pensando em silagem, sinceramente não vejo nenhuma vantagem em não retardar o desenvolvimento do capim para que o milho se desenvolva. Se ambos crescerem juntos será formada uma massa de milho + capim, talvez com mais massa vegetal, mas certamente resultando em silagem de valor energético e digestibilidade inferior à silagem só de milho. Qual a vantagem? E aí sim daria trabalho pra colher.
THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 02/12/2015

Caro Thalles,

As duas forrageiras apresentam fermentação indesejável devido as suas características como plantas. Desse modo, eu não vejo como uma associação adequada. Leucena ou qualquer outra leguminosa poderá ser ensilada com uma outra gramínea que tenha fermentação desejável, como o milho e o sorgo. Contudo, conforme comentei no artigo, acho que estas misturas seriam viáveis somente para pequenas propriedades.



Att,



Thiago Bernardes
THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 02/12/2015

Corrigindo a resposta dada ao Jéferson



Onde se lê: ou seja, há... leia-se: ou seja, não há...
THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 02/12/2015

Caro Jéferson,

A minha opinião sobre esta prática está descrita no artigo em questão, ou seja, há justificativa operacional, nutricional ou de qualquer outra ordem que justifique a associação de milho com sorgo.

Att,

Thiago Bernardes
THALLES VEIGA

PAVÃO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/12/2015

Olá pessoal,

Professor Tiago,

Outro dia em pesquisa sobre o tema abordado, me deparei com um material que dizia a respeito da silagem de capim - elefante em consórcio com a leguminosa leucena (Leucaena leucocephala), com o intuito de uma melhora no nível proteico desta silagem. Em fim, gostaria se possível, de ter um parecer do professor a respeito desta possibilidade.   



abraço a todos!



Thalles Veiga
JÉFERSON GUSTAVO PUHL

SANTA ROSA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/12/2015

Esqueci de mencionar que só trabalho com a raça Jersey.

Obrigado!!
JÉFERSON GUSTAVO PUHL

SANTA ROSA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/12/2015

Olá Thiago, tudo bem?!

Tenho uma propriedade na região noroeste do RS, com cerca de 35 cabeças no total.

Ouço experiências de produtores que misturaram sementes de sorgo junto com as de milho e semearam na mesma linha, na proporção de 15% de sorgo para 85% de milho. Ainda não fiz a experiência, dizem que no safrinha funciona bem.

Qual a sua opinião sobre isso, levando em conta estágios de maturação, competição entre plantas (duas culturas na mesma área simultaneamente), o fator "ensilagem", conservação, valor energético, tendo em vista que na minha propriedade a silagem tem a função de equilíbrio energético e não como fonte de proteína, que aqui vem da ração+pastagem.

Desde já, muito obrigado.

Abraço!!
THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 01/12/2015

Cara Ana,

Não conheço bem a realidade da região, portanto é mais difícil opinar. Contudo, não entendi porque o sorgo é plantado em áreas mais ingrimes. Pelo fato do milho ser uma cultura nobre?

Também não entendi porque os dois são colhidos em associação sendo que esta prática poderia ser feita separadamente.

Você poderia esclarecer melhor estes pontos?



Att,



Thiago Bernardes
WELBER BRAGA

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 01/12/2015

É possível associar  milho com soja ou milho com guandu para ensilagem. Se possível qual a melhor  maneira de se fazer tenho uma área irrigada por gotejamento de 3 ha. desde já agradeço.
ROBERTO MAGALHAES SÁ

SÃO MIGUEL DAS MATAS - BAHIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/11/2015

Gostaria de ter capon ou Cana ,com algum tipo de leguminosa,que no corte pra silagem,fossem cortadas juntas
ANA LUIZA BACHMANN SCHOGOR

CHAPECÓ - SANTA CATARINA - PESQUISA/ENSINO

EM 30/11/2015

Bom dia Thiago,

Aqui na região de Chapecó tenho encontrado milho e sorgo plantados em uma mesma área destinada à ensilagem. A prática é plantar sorgo em áreas mais íngremes, e milho nas mais planas (na mesma época). Ainda, o espaçamento entre linhas é aumentado, justamente para permitir uma colheita sem tombamento ou esmagamento das linhas laterais. O fato é que os silos ficam com mesclas das culturas, e concordo que todo o manejo fica dificultado (ensilagem, valor nutricional, densidade, etc...). Mas, o que dizer de uma situação como essas visto que foi a melhor alternativa encontrada por produtores para poder aproveitar melhor as áreas? Lembrando que as propriedades tem cerca de 25 ha, em média 30 vacas em lactação e, também temos observado falta de silagem para os animais. Fica evidente a necessidade de assistência para planejamento alimentar por aqui...
THIAGO BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 28/11/2015

Caro Max,

A integração entre a forrageira a cultura anual, nesse caso o milho é uma maneira interessante para se recuperar pastos degradados. Essa ferramenta de manejo surgiu nos últimos anos e continuará sendo implantada pelos os seus casos de sucesso.

Para resolver da colhedora basta adotar estratégias que evitem o seu travamento, tal como reduzir a velocidade de colheita e manter sempre aceleração alta.

Att,

Thiago Bernardes
MAX ANTÔNIO SOUZA MORAIS

GUIA LOPES DA LAGUNA - MATO GROSSO DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/11/2015

Boa tarde. Nosso fornecedor de semente de milho para silagem observa que plantar brachiaria junto ao milho faz dificultar o trabalho da colheita, com risco de embuchar a maquina. Como resolver isso? obrigado. max (plantio de 15 hectares)
MilkPoint AgriPoint