ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Perdas em silagens: corrija os problemas do topo

O topo e as laterais superiores de um silo, de modo geral, apresentam algumas características, as quais são diferentes da região central, tais como:

I) A densidade (kg forragem/m³) é inferior
II) A quantidade de oxigênio proveniente do ambiente que penetra na massa é maior


Essas particularidades fazem com que a região periférica apresente perfil de fermentação diferente, pois muitos microrganismos necessitam dessas condições para sobreviver e também é a região que mais sofre perdas, principalmente aquelas relacionadas à deterioração aeróbia, a qual é caracterizada pelo intenso desenvolvimento de fungos.

Isso nos faz pensar que, em um silo nós podemos ter duas silagens. Ou seja, aquela localizada no centro, onde a fermentação ocorreu de forma satisfatória e o oxigênio não traz grandes efeitos negativos e a outra localizada na periferia, onde a composição química será inferior devido ao consumo dos nutrientes por parte dos microrganismos oportunistas e onde também poderá ter presença de moléculas consideradas inibidoras de consumo ou que podem afetar a saúde animal e humana, como é o caso das micotoxinas.

Portanto, um importante objetivo ao produzir uma silagem é fazer com que a região periférica seja igual ou similar à região central, de modo que poucas alterações nutritivas ocorram. Trocando em miúdos, necessitamos produzir uma única silagem, independente do local onde ela esteja no silo. Esta estratégia evitará que parte do alimento seja descartado durante o desabastecimento e que os animais tenham queda de desempenho por conta das condições encontradas na silagem periférica.

Para que isso ocorra, abaixo estão assinaladas algumas ferramentas de manejo que podem ser instaladas ao produzir a silagem e ao desabastecer o silo:

1. Potencialize a compactação da massa: Isso pode ser realizado por meio de máquinas/tratores pesados, além de permanecer compactando por um longo período de tempo após o silo ser abastecido. Em silos do tipo superfície, compacte-os no sentido longitudinal e transversal.

2. Em silos trincheira, evite ultrapassar a altura das paredes: Ao ultrapassa-las, toda a massa de silagem que está acima da parede terá menor densidade e maior contato com o oxigênio, o que ocasionará a situação relatada acima;

3. Potencialize a vedação: Procure utilizar filmes plásticos (lonas) que possuam barreira ao oxigênio. Somado a isso vede bem as laterais revestindo as paredes de silos trincheira com lona, associado a materiais pesados, tais como sacos de areia/brita;

4. Utilize adequada taxa de retirada: Quando o silo estiver aberto procure retirar fatias homogêneas ao longo da face de, pelo menos, 30 cm e 50 cm no inverno e no verão, respectivamente, de modo que o avanço da massa seja o mais rápido possível.

5. Sempre descarte silagem deteriorada: Ao perceber que a silagem está com odor e coloração alterados, descarte-a imediatamente. Silagem deteriorada deprime consumo e, em algumas condições mais severas pode levar o animal a óbito.

 

THIAGO FERNANDES BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

5

COMENTÁRIOS SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Seu comentário será exibido, assim que aprovado, para todos os usuários que acessarem este material.

Seu comentário não será publicado e apenas os moderadores do portal poderão visualizá-lo.

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

VILSON TAVARES TAVARES SILVA

AURORA DO TOCANTINS - TOCANTINS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/03/2016

realmente  Tiago. O  meu e  muitos outros que faz silos por aqui. são direto na terra.

muito obrigado pela resposta e orientação. Abraços.
THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 01/03/2016

Caro Ednaldo,



Por favor leia a matéria no link abaixo, a qual se refere a este assunto.

http://www.milkpoint.com.br/radar-tecnico/conservacao-de-forragens/e-possivel-realocar-a-silagem-96675n.aspx



Att,



Thiago Bernardes
THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 01/03/2016

Caro Vilson,

Eu imagino que o teu silo seja diretamente na terra. Caso positivo, você pode colocar plástico para silagens que não produzem chorume. Outros materiais, como palhas podem ser colocados em qualquer ocasião.



Att,



Thiago Bernardes
EDNALDO OLIVEIRA SANTOS

NOVA CANAÃ - BAHIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 28/02/2016

quero saber se posso carregar uma carreta de silagem ai no sul de minas e traze-la e ao chegar aqui, com 24 horas depois, posso ensilar novamente em um silo trincheira, e se a silagem desidratada mantem a qualidade
VILSON TAVARES TAVARES SILVA

AURORA DO TOCANTINS - TOCANTINS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 26/02/2016

Parabéns . Materia muito boa . tenho uma duvida .Gostaria de saber se é recomendado colocar alguma coisa por baixo do silo. Ou seja uma lona , palha de arroz. etc...



     Muito obrigado.