FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Movendo grandes quantidades de silagem

O reajuste na quantidade de silagem estocada na fazenda é algo comum e, desse modo, muitos me questionam se é possível mover (realocar de um silo para o outro) grandes quantidades de silagem.

Sim! É possível realocar a silagem, mas este processo envolve descarregamento, transporte, recompactação e vedação, ou seja, todos os procedimentos adotados quando se ensila originalmente. Então, a realocação requer de maneira contundente uma gestão precisa dos diversos estágios pelos quais ela passa. A propriedade precisa estar preparada para descarregar toda a massa e vedá-la em outro silo no menor tempo possível. Portanto, mais um questionamento nos vem em mente: Qual é o intervalo de tempo que todas essas ações devem ser executadas?

Por exemplo: a estabilidade da silagem de milho, em contato com o ar, tem duração que varia de 30 a 40 horas. Isso significa que a silagem se mantém inalterada em termos de perdas de nutrientes por esse período de tempo. Isso ocorre porque o contato com o oxigênio presente no ar ativa os microrganismos que causam tais perdas. Silagens de milho e sorgo são consideradas pouco estáveis porque possuem abundância de nutrientes para o crescimento dos microrganismos deterioradores. Desse modo, todas as operações devem ocorrer neste intervalo de tempo, o qual é considerado curto dependendo da quantidade a ser movida.

Em alguns casos, o produtor pode prever que a silagem produzida poderá ser realocada. Se isso ocorrer, ele pode lançar mão de aditivos que prolonguem a estabilidade da silagem por mais de 100 horas. Estes aditivos possuem ácidos que inibem/retardam o crescimento dos microrganismos.

Inoculantes a base da bactéria Lactobacillus buchneri ou ácidos são exemplos de prolongadores da estabilidade para silagens de cereais. Contudo, isso não significa que a reensilagem possa durar 100 horas. A aplicação do aditivo é utilizada com o objetivo de garantir que a realocação não seja prejudicada pela falta de tempo em executar as ações.

Ainda quanto ao uso de aditivos, os mesmos não devem ser aplicados quando tiver ocorrendo a remoção, pois o produto (silagem) já está pronto. Aditivos só apresentam resultado quando aplicados na matéria-prima original (forragem ou grãos).

Nos últimos anos, o comércio de silagem em fardos (500 kg) e em pequenos sacos (40 kg) apresentou acentuada elevação no Brasil, mas muitos produtores ainda necessitam mover silagem em grande escala. Em algumas situações não há envolvimento de comercialização, mas sim de mudança de local por algumas razões, o que exige a realocação. Independente do motivo fica aqui a informação que é possível realocar grandes volumes de silagem sem que haja perdas elevadas.

-----

Você gostaria de saber mais sobre produção e manejo de silagem? O artigo é de Thiago Fernandes Bernardes, Professor de Conservação de Forragens da Universidade Federal de Lavras que também uma dos instrutores da plataforma de cursos on-line, EducaPoint. Confira abaixo os cursos ministrados por ele:

Produção e uso de silagem de grãos de milho: grãos úmidos, reconstituídos e espigas

Produção e utilização de silagens

Processo de ensilagem: da colheita da planta de milho ao desabastecimento do silo

Para ter acesso aos cursos completos, você pode adquirir um ou vários deles e ter o acesso vitalício. Ou se preferir, pode se tornar um assinante e ter acesso à todos cursos da plataforma (que hoje já são mais de 140!).

Mais informações:
contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082 

 

 

 

THIAGO FERNANDES BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 28/03/2019

Caro Romulo,

Não há estudos até o momento que tenham avaliado realocação em grande escala; portanto, não temos um valor de perdas que podemos considerar como 'normal'.

O correto é não realocar. É sempre assim que produtores e técnicos devem pensar. Porém, na prática nem tudo sai conforme o planejado.

Att,
Thiago Bernardes
ROMULO DUTRA ULIANA

PIRASSUNUNGA - SÃO PAULO - ESTUDANTE

EM 28/03/2019

No processo produtivo do silo alguns consideram aceitáveis e previsíveis perdas variando entre 10 e 15% devido ao processo fermentativo, as perdas que ocorrem na ensilagem, retirada e fornecimento aos animais.

Professor, existe uma % "aceita" de perdas devido a realocação? Podendo então ser calculado uma possível realocação antes do inicio da produção?