FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Forragem suplementar: Faça a escolha correta para o seu rebanho

POR THIAGO FERNANDES BERNARDES

E RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

THIAGO FERNANDES BERNARDES

EM 29/10/2013

4 MIN DE LEITURA

20
0
A utilização de forragens suplementares está além da necessidade de fornecimento de alimentos durante o período da estacionalidade de produção das plantas forrageiras. Com a intensificação dos sistemas de produção de leite ou de carne, a utilização de forragem suplementar visa o suprimento adequado de nutrientes para os animais, a fim de possibilitar desempenho satisfatório e também menor dependência do uso de alimentos concentrados. Existem várias formas de reservar alimentos para os animais, seja como cultura para uso in natura (diferimento das pastagens; capim-Elefante; cana de açúcar; palma forrageira) ou como alimento conservado (silagem ou feno).

No Brasil, ainda que se respeitando as especificidades de cada região, os alimentos conservados constituem a maior parte da fonte de forragem suplementar. A ensilagem é o processo de conservação de forragem mais comumente utilizado, principalmente em propriedades produtoras de leite. Entre várias alternativas possíveis, o milho tem sido a cultura predominante para produção de silagem. Entretanto, a silagem de milho apresenta elevado custo de produção, somente sendo justificada quando produzida de forma tecnificada para resultar em forragem de alta qualidade.

Contudo, a escolha mais adequada pela fonte de forragem suplementar não é um processo simples e requer análise criteriosa das condições de produção e necessidades específicas para sua utilização. Nesse contexto, alguns aspectos devem ser observados, quais sejam:

- Adaptação às condições de clima e solo de determinada região

As culturas do sorgo e do milheto são boas alternativas para confecção de silagem em regiões com índices de pluviosidade baixos. No Nordeste do País, por exemplo, mesmo com situação adversa (falta e má distribuição das chuvas) a cultura do milho ainda é a principal opção para ensilagem. Tal fato é principalmente devido aos aspectos culturais (tradição familiar em produzir o milho para grãos), juntamente com a carência de extensão rural. Em Pernambuco, a Empresa de Pesquisa Agropecuária (IPA) tem desenvolvido variedades de sorgo mais adaptadas às condições do semi-árido e mesmo assim, a silagem de milho prevalece entre os produtores. Dessa forma, a escolha inadequada da forrageira para a ensilagem, tem proporcionado resultados negativos, como: perda da cultura, baixa produção de MS/ha e péssima qualidade do material ensilado.

- Produção de forragem por hectare (t MS/ha)

A cultura do sorgo, também se destaca pela produção de MS/ha (13-15 t), sendo uma particularidade, a utilização da sua rebrota. Em condições adequadas de clima e fertilidade do solo a rebrota pode alcançar cerca de 40% da produção do primeiro corte, ampliando o potencial de utilização da cultura.

A cana de açúcar apresenta um dos maiores potenciais de produção de MS/ha (cerca de 50 t). Além de ser sua colheita ideal na época seca de ano, a cana de açúcar possui cultivo fácil e de tradição no País.

- Potencial de produção animal (nível de exigências nutricionais)

É sabido que as plantas forrageiras de clima tropical não suprem totalmente as demandas de energia e proteína de bovinos, principalmente aqueles de alto desempenho. Contudo, no tocante às silagens, reconhecidamente, a de milho possui maior valor alimentício e por isso mesmo, é mais indicada para alimentação de animais com elevado nível de exigências. Seguindo o mesmo raciocínio, tem-se que a silagem de sorgo é a que mais se aproxima do valor nutritivo da silagem de milho (cerca de 90%). Por essa razão, a silagem de sorgo tem sido indicada para animais de produção de leite e carne. A cana de açúcar foi muito recomendada para animais com produção mais discreta, contudo isto vem sendo modificado.

Consideram-se animais de baixo potencial de produção de leite àqueles com produção por lactação (305 dias) menor que 5.000 kg. Animais com produção entre 5.000 e 9.000 kg seriam de médio potencial. Finalmente, para produções acima de 9.000 kg por lactação, teríamos animais de alto potencial e, por conseguinte, alta demanda nutricional. Essa classificação não é um padrão fixo de identificação do potencial de produção, mas nos permite relacionar melhor o nível de exigências nutricionais com a forragem a ser utilizada. Seguindo tal definição, teríamos animais de baixo, médio e alto potencial, aqueles que apresentassem produção diária menor que 16,0 kg; até 30,0 kg e acima de 30 kg, respectivamente.

Normalmente as recomendações técnicas para uso da cana de açúcar têm sido feitas para a alimentação de animais de baixa produção de leite, normalmente até 10,0 kg/dia. Alguns experimentos utilizando animais de médio potencial, embora tenham apresentado resultados satisfatórios, têm recomendado a cana de açúcar para vacas com produção inferior a 20 kg/dia. Um exemplo disso é encontrado no trabalho de Mendonça et al. (2004), que alimentaram vacas em lactação com dietas de relação forragem:concentrado de 60:40, sendo a silagem de milho ou a cana de açúcar como forragem exclusiva. A produção de leite foi de 22,0 e 19,2 kg para as vacas alimentadas com silagem de milho e com cana de açúcar, respectivamente. Entretanto, em um dos tratamentos cuja relação forragem:concentrado foi de 50:50, as vacas produziram 20,1 kg/dia com a cana de açúcar.

E o que dizer de vacas Holandesas de alta produção de leite, recebendo cana de açúcar como volumoso exclusivo? Essa resposta foi encontrada no trabalho de Corrêa et al. (2003) que avaliaram o desempenho de vacas Holandesas alimentadas com silagem de milho ou com cana de açúcar, utilizando dietas com relação forragem:concentrado de 45:55. A cana de açúcar deprimiu o consumo (23,1 versus 21,5 kg/dia) e a produção de leite (34,4 versus 31,9 kg/dia). Os autores concluíram que a cana parece ser uma alternativa para alimentar grupos de vacas Holandesas durante fases da lactação nas quais a demanda nutricional não seja a máxima. Resultado como esse, onde vacas alimentadas com cana de açúcar suportaram produção de leite de até 32 kg/dia, nos condiciona a repensar os conceitos mais tradicionalistas com relação à utilização dessa forragem.
 

ARTIGO EXCLUSIVO | Este artigo é de uso exclusivo do MilkPoint, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem prévia autorização do portal e do(s) autor(es) do artigo.

THIAGO FERNANDES BERNARDES

Professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) - MG.
www.tfbernardes.com

RAFAEL CAMARGO DO AMARAL

Zootecnista pela Unesp/Jaboticabal.
Mestre e Doutor em Ciência Animal e Pastagens pela ESALQ/USP.
Gerente de Nutrição na DeLaval.
www.facebook.com.br/doctorsilage

20

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MILTON SHIGUEO SATO

REGENTE FEIJÓ - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 12/02/2014

aos professores: atualmente trato o meu rebanho c/ cana no inverno. estou pensando em substituir a cana por silagem de grama estrela pre-secado . qual a opinião dos senhores sobre silagem de capim? o nosso rebenho tem media de 16l/vaca dia, c/ concentrado23% de proteina e 78%ndt. na proporção de 3,5:1.
EDWARD ZACKM

LONDRINA - PARANÁ - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 04/11/2013

Prezados Thiago e Rafael,

Parabens pelo artigo, como sempre assuntos aplicaveis a campo...

Porém, quando vi o titulo do artigo, achei que abordariam algo sobre a suplementação volumosa para animais em pastagens de alto desempenho e a dificuldade em executar essa suplementação. Já tive essa situação , tanto no corte quanto leite, ao tentar fazer esse manejo e os animais não aceitarem mais o pasto, ficando ao redor dos cochos durante todo o dia...a idéia era aliviar a pressão de pastejo e aumentar a capacidade de suporte, porém na pratica não foi tão facil. Algum comentário a respeito? Forte abraço.

ERNESTO

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 03/11/2013

Caro Thiago, parabens pelo artigo.

Me ajude com esses numeros por favor.

Baseado no artigo do "poltalklff", a Cana de acucar custando R$139,00 e o milho R$150,00 a tonelada ensilada, e baseando um consumo diario de 30kgr cada, a cana custaria R$4.17 e o milho R$4.50, dando uma diferenca de R$0.33 de custo o que nao justificaria perder sequer 1 litro de leite. Portanto optar pela silagem que aumenta producao seria mais barato.

Claro que esse eh um calculo a grosso modo e deve ser melhor formulado.

O que reinforca seu artigo no ponto que cada caso/regiao/clima/fertilidade, etc influi no resultado final da viabilidade de cada alimento/investimento.

Grato
RONALDO MARCIANO GONTIJO

BOM DESPACHO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 31/10/2013

Caro Walter,



Se tem água para irrigação é lógico que é melhor irrigar o pasto que usar silagem de milho.
WALTER GARCEZ DE CARVALHO

ARACAJU - SERGIPE

EM 30/10/2013

Silagem de milho ou irrigação ? Vacas girolando, 15 kg média dia, 2 ordenhas com pastejo de brachiaria e concentrado durante as ordenhas . 1.200 mm por ano com 4 meses de sêca não tão intensa . Qual a melhor opção ?
TARLEI TELIO VINHAL

CARMO DO PARANAÍBA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/10/2013

caro thiago ,gostaria de saber a sua opniao sobre silagem de capim  mombaca para vacas jersolandas com producao de 12,15 litros dia  ja possuo este pasto 10 hectares porem sao distantes da ordenha 2 km seria uma alternativa para evitar o deslocamento dos animais ate no pasto? tbem gostaria de parabeniza - lo pelo otimo artigo
OCTAVIO CORCETTI DE PAIVA

VARGINHA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/10/2013

thiago, qual a melhor alternativa para essa vaca com produçao de 32 kg de leite/dia

ela comer esses 33-35 kg de cana(in natura) em quantas vezes ao dia ?

quanto mais dividir o trato é melhor?

THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 30/10/2013

Caro Mauro, eu entendi que você não possui, até o momento, tecnologias para produzir silagem de cana. Desse modo, sugiro que a cana fresca continue sendo a melhor opção. Por favor, leia o artigo que está no link abaixo, o qual pode te ajudar a reduzir a frequencia de cortes na capineira.



Att,



Thiago Bernardes



http://www.milkpoint.com.br/radar-tecnico/conservacao-de-forragens/canadeacucar-saiba-como-reduzir-a-frequencia-de-cortes-na-capineira-sem-utilizar-cal-micropulverizada-78873n.aspx
THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 30/10/2013

Caro Otávio e demais leitores, fiquem atentos que eu apresentei apenas um exemplo. A dúvida inicial era: quantos kg de cana de açúcar in natura uma vaca comeria produzindo 32 kg de leite. Portanto, respondi que cerca de 33-35 kg/dia.

Contudo, ressalto que isso não é receita de bolo. Cada produtor deve procurar o seu nutricionista para tal cálculo. Nutrição de bovinos, especialmente os leiteiros, não é realizada na base da tentativa e erro. É necessário que a pessoa tenha um diploma para tal tarefa.



Att,



Thiago Bernardes
VICTOR HUGO CAINELLI

SANTA MARIA - RIO GRANDE DO SUL - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 30/10/2013

Houve durante o artigo uma citação "fazer silagem de milheto????"Gostaria de saber maiores informações sobre como fazer e se possive ou onde achar literatura???

ANDRE NOGUEIRA

IBIÁ/ MG - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/10/2013

Olá, bom dia a todos, antes de mais nada gostaria de parabeniza-los pelo artigo pois esse é um assunto que gera muitas dúvidas e dá muita discussão. Dentro dessas dúvidas a minha é que eu gostaria de entender melhor essa relação entre volumoso e concentrado. Ela é em percentagem? Ex. 45 : 55, a dieta do animal seria 45 % da necessidade diária de  MS suprida com cana e 55% da necessidade diária da  MS suprida com concentrado? Qual seria a relação ideal de kg de produção de leite para kg de concentrado por animal dia?



No aguardo do retorno, agradeço pela oportunidade.



Att.

André Nogueira
DANIEL CONTESSOTTO

ITAPIRA - SÃO PAULO

EM 30/10/2013

Parabéns pelo artigo Prof. Thiago e Prof. Rafael. Grande abraço da JF Máquinas
JEVERANIO FURTADO

GOIÂNIA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/10/2013

Bom Dia: Srº Thiago Fernandes Bernardes & Rafael Camargo Do Amaral

Gostaria de sabe ser cana de açúcar e melhor que capim tifton 85, capim feno, pois estou liberando na minha fazenda 800 hectares para esse plantio desses dois capins ser e melhor e planta a cana no lugar do capim vou planta tudo de cana, pois os 800. Hectares têm três pivôs centrais nesses 800 He obrigados pela atenção de vocês muito obrigado esperou a resposta de vocês mais breve.



Diretor geral

Jeveranio furtado

PAULO AFONSO DE ALMEIDA

ARACAJU - SERGIPE

EM 30/10/2013

Já procurei e não encontro a receita correta para fazer silabem de cana! Pode me auxiliar nessa direção?
MARTINHO MELLO DE OLIVEIRA

PARANAÍBA - MATO GROSSO DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/10/2013

Entendo que a cana de açucar com concentrado na época da entressafra, como uma das mais viáveis formas de custo-benefício, principalmente com uma variedade bem macia.
MATIAS

MUTUM - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/10/2013

boa tarde!estou na região da zona da mata mineira e estou plantando milho para silagem neste periodo de chuvas na entre-safra gostaria de plantar sorgo e queria saber se existe alguma variedade disponivel para tal periodo que havera menos chuva?
MAURO WELLINGTON G PEREIRA

OURO FINO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/10/2013

Prezados Thiago e Rafael,

Parabéns pelo artigo.

Na oferta de cana-de-açucar de açucar ainda encontramos uma dificuldade, que a forma de ofertá-la. Picar a cana todos os dias demanda muita mão-de-obra. Fazer silagem de cana, não tive sucesso. Perdemos muito, provavelmente por não saber fazê-la corretamente. Gostaria, se possível, de instruções de como fazer essa silagem ou uma sugestão da melhor maneira de ofertar esse volumoso.

Desde já agradeço.
OCTAVIO CORCETTI DE PAIVA

VARGINHA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/10/2013

Thiago, só nao entendi esta relaçao de volumoso:concentrado de 45:55..

simplificando ela comeria 33-35kg de cana e 10kg de raçao comercial(22%p) ?



THIAGO FERNANDES BERNARDES

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 29/10/2013

Caro Otávio, vacas com essa produção consumirão cerca de 22 kg de MS/dia. Se você considerar uma dieta com relação volumoso:concentrado de 45:55, elas deverão ingerir 10 kg de MS de cana. Caso o volumoso tenha 30% de MS, o consumo será de 33-35 kg de cana/vaca/dia.
OCTAVIO CORCETTI DE PAIVA

VARGINHA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/10/2013

Uma vaca para produzir 32 litros de leite/dia,ela precisa comer quantos kg/dia de cana ?