FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Como a crise do coronavírus vai influenciar na demanda de produtos lácteos?

Primeiramente, como estamos em uma semana de muitas notícias a toda hora, faço questão de registrar que escrevo às 15 horas do dia 13/03, quando o Brasil está se preparando para a fase mais aguda da crise do coronavírus, com inúmeras medidas para tentar reduzir o contágio, como cancelamento de eventos, estimulo ao home office, lavagem das mãos, etc. E como tudo isso pode afetar o consumo de lácteos? Bem, é um grande exercício de “futurologia”, mas tem algumas previsões mais prováveis, já que, certamente, o consumidor ficará mais em casa:

- Forte crescimento do consumo nos lares, com redução no consumo em restaurantes e fora de casa em geral: com a restrição dos deslocamentos e concentrações de pessoas, esta semana já foi possível notar restaurantes mais vazios – este consumo vai certamente se deslocar para os lares.


- Nos lares, teremos dois aumentos – dos serviços de delivery, aonde o último final de semana já demonstrou grande crescimento, e da compra especulativa para estoques, como aconteceu na Itália, por exemplo. Logo, produtos secos como leite UHT e leite em pó podem se beneficiar desta antecipação de compras por parte do consumidor;

- Destaque particular para o novo segmento das “Dark Kitchens”, que através dos aplicativos de entrega, tem tido crescimento exponencial;

- Outros segmentos que devem reduzir consumo drasticamente:

  • Catering – tanto aéreo como para grandes embarcações;
  • Eventos – fornecimento de alimentos para estádios, rodeios, festas, shows, etc.
  • Lojas de conveniência – com o menor fluxo de pessoas, lojas de passagem devem sofrer com reduções;
  • Shoppings e praças de alimentação – para evitar concentrações, estes locais devem perder frequência, o que é bastante preocupante para estes operadores.

Desta forma, acredito que todas as empresas devem estar refazendo suas estratégias para este novo cenário, buscando reduzir seus riscos em alocar produtos em canais que terão grandes perdas em detrimento de outros que podem ter maior demanda. Certamente, quem conseguir ler melhor as mudanças de mercado, pode se beneficiar da crise.

Abraço a todos.

ROBERTO DENUZZO

Diretor da RDC Consultoria. Executivo experiente no ramo de alimentos, com mais de 25 anos de experiência no setor.

4

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MARCOS RODRIGUES BRAGANÇA

GOIÂNIA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/03/2020

Ótimo comentário, vai na contramão das indústrias que anunciam queda do preço do leite.
ANDRÉ TAKAHASHI

EM 20/03/2020

O fato é um só, todos estão perdendo. Me sinto mal em pensar na frase "se beneficiar da crise"... o que devemos fazer é fomentar novas ideias para que toda cadeia continue viva. É como dirigir um carro, você dirige pra você e para os outros motoristas, só assim se evitam os acidentes.
ADE SCHEMITC

MARAU - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/03/2020

Minha preocupação também é quanto a coleta do leite aqui na propriedade. Será que vão ser normal ? Ou tem riscos de jogar leite fora ?
PEDRO H OLIVEIRA

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 17/03/2020

Já tive notícias de uma empresa que vende fermentos que queda enorme no faturamento...