ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Alimentadores automáticos para bezerras: será apenas um sonho de consumo?

POR PDPL/PCEPL-UFV

PDPL/PCEPL-UFV

EM 18/10/2017

3
0
*Por Amanda Neri de Souza. Estudante de Medicina Veterinária, estagiária da Labor Rural, estagiária do Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira - PDPLe Programa de Capacitação de Especialistas em Pecuária Leiteira - PCEPL. 

A utilização de sistemas robotizados na pecuária leiteira tem se tornado uma realidade cada vez mais próxima. Diversos modelos de alimentadores automáticos para bezerras estão disponíveis no mercado, e a demanda pelos mesmos surge da necessidade de se padronizar o sistema de criação, resolver problemas de manejo e falta de mão de obra. O uso dos alimentadores permite a otimização da mão de obra dentro da propriedade ou mesmo a redução da necessidade da mesma.

O sistema permite que cada bezerra receba a dieta individualmente, sendo possível programar a máquina para fornecer quantidades diferentes da dieta líquida (leite e/ou sucedâneo) de acordo com a idade do animal, consumo de concentrado, e até mesmo status sanitário. Além disso, é possível fornecer aditivos na dieta líquida, como promotores de crescimento, medicamentos, misturas minerais e vitaminas. Diversos itens podem ser acoplados ao equipamento, como sensor de temperatura no bico, balança que funciona como um método de monitorar o crescimento e ajustar as taxas de alimentação e também o alimentador de concentrado, o qual pode ser ligado ao alimentador de leite/sucedâneo de modo que o fornecimento da dieta líquida seja reduzido com base no aumento do consumo de concentrado.

alimentadores automáticos para bezerras
Fonte: https://pppindustries.co.nz

A quantidade de vezes que o animal receberá a dieta no alimentador pode ser limitada ou não, sendo o mais usual, que cada animal possa se alimentar até 4 vezes ao dia. O ideal é limitar a quantidade de vezes que o animal pode se alimentar no dia. Segundo (Jensen, 2004) os bezerros que receberam 6,4 l em 4 porções ao invés de 8 porções ocuparam o alimentador menos tempo por dia. Dessa forma, o uso do alimentador é otimizado.

Alguns pontos como incidência de doenças devido ao agrupamento, necessidade de abrigo coletivo, ocorrência de mamada cruzada, competição, e o custo de aquisição podem ser considerados entraves na implantação dessa tecnologia. Muitos desses pontos já foram assuntos de experimentos, e há muitas variáveis que determinam a ocorrência dessas situações ou não, sendo elas possíveis de serem controladas com ajustes de manejo. Quando se pensa em custo de implantação desse sistema, a primeira pergunta que surge é: é viável para o meu sistema de produção?

Baseado num período de aleitamento de 75 dias, com fornecimento médio de 4 litros/dia por bezerra, foi realizada uma análise simulada de custo por bezerra desaleitada, considerando os custos operacionais efetivos e custos fixos de dois diferentes métodos de criação de bezerras. Um sistema utilizando o alimentador automático e outro sistema de bezerreiro modelo contínuo, sem automatização. Foram considerados todos os gastos com infraestrutura, dieta líquida, manutenção e mão de obra, além da depreciação e custo de oportunidade do capital investido.

As tabelas a seguir apresentam os custos de cada sistema considerados nessa análise:
 
alimentadores automáticos para bezerras

alimentadores automáticos para bezerras
 

alimentadores automáticos para bezerras

A medida em que se tem incremento no número de bezerras em aleitamento, o sistema automático torna-se mais vantajoso em relação ao sistema convencional. Em um sistema com 180 bezerras/mês a adoção do sistema automático representa uma economia de 36,9 % no custo da bezerra desaleitada, enquanto que com 50 bezerras/mês a economia é de 10%. No sistema com 20 bezerras/mês em aleitamento não houve economia em optar pelo automático, sendo o sistema convencional economicamente mais viável. A economia ao optar pelo sistema automático é atribuída em maior parte à menor necessidade de mão de obra, quando comparado ao sistema convencional.
 
alimentadores automáticos para bezerras

Conclui-se que a medida em que se tem um maior número de bezerras em aleitamento, há redução do tempo em anos para pagar o investimento. Sistemas de alimentadores automáticos não se mostraram viáveis nessa simulação para produtores com 20 bezerras/mês em aleitamento, visto que em sistemas de produção com maior número de animais há diluição dos custos fixos, tornando assim a adoção do sistema viável.

Referências bibliográficas:

- Computer-Controlled Milk Feeding of Dairy Calves: The Effects of Number of Calves per Feeder and Number of Milk Portions on Use of Feeder and Social Behavior, M.B. Jensen, 2004.

- Os valores dos equipamentos foram fornecidos pela Delaval.

 

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

AMANDA NERI DE SOUZAA

VIÇOSA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 20/10/2017

Olá Janaina! Essa análise está em andamento! Assim que os resultadores forem obtidos publico aqui !
JANAINA PAULA DO CARMO

PATROCÍNIO - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/10/2017

qual o ponto de inversão? a partir de qtos animais em aleitamento mês se observou ser mais viável o aleitamento automático?
KAIO SPITZ

POÇOS DE CALDAS - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/10/2017

Tenho um alimentador em minha propriedade e ao meu ver foi um dos melhores investimentos feitos.

Com ele é possível que a pessoa encarregada do bezerreiro tenha tempo para realmente tomar conta dos animais ao invés de lavar balde e esquentar leite boa parte de sua jornada.

Nosso colaborador do bezerreiro fica por conta de manter o ambiente o mais limpo possível, e detectar e curar doenças assim que começam, juntando isso com alguns remédios que damos ao nascimento para prevenção de pneumonia e diarreia e uma boa colostragem, posso dizer com muita satisfação que dos últimos 50 partos só tivemos uma morte.

O sistema é bom mas não faz mágica, tem que ser bem elaborado e muita atenção aos detalhes, principalmente da higiene do local, eu recomendo.