FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Resíduo de cervejaria: qual a qualidade nutricional do subproduto que utilizo na minha propriedade?

POR DANIEL MONTANHER POLIZEL

E LETÍCIA CAROLINA BORTOLANZA SOARES

ESALQLAB

EM 27/10/2020

2 MIN DE LEITURA

9
10

O resíduo de cervejaria – em alguns locais também denominado como cevada – pode ser descrito como uma massa resultante da aglutinação da casca com resíduos do processo de mosturação, podendo apresentar maiores concentrações de proteína e carboidratos fibrosos do que as encontradas em seus cereais de origem. O resíduo de cervejaria apresenta elevada porcentagem de componentes de parede celular, possibilitando o seu aproveitamento como alimento na nutrição de ruminantes. Pode ser classificado em resíduo úmido, resíduo prensado, resíduo seco e levedura de cerveja.

Para cada 100 kg de malte de cevada que se utiliza para elaboração da cerveja, obtém-se de 110 a 120 kg de resíduo úmido de cervejaria. O resíduo úmido é a principal forma de comercialização do resíduo de cervejaria. Esse coproduto, apesar de ser produzido em grande escala – o que é uma vantagem em relação ao seu preço de aquisição – também não sofre interferência da sazonalidade, sendo uma boa opção para o período da seca.

Devido às suas características químicas, alguns nutricionistas e produtores adotam a utilização do resíduo de cervejaria em dietas de vacas leiteiras, compondo parte da fração fibrosa, proteica e também aumentando o teor de extrato etéreo da dieta. Um dos fatores limitantes para o uso da cevada é alto teor de umidade, que irá necessitar atenção quanto ao transporte e armazenamento. Um armazenamento inadequado, pode resultar no aparecimento de fungos e leveduras, que apresentação uma rápida degradação do material através de processos fermentativos.

Nos últimos três anos. o resíduo de cervejaria foi um dos principais coprodutos analisados pela EsalqLab. Devido as características intrínsecas ao processo produtivo, esse coproduto possui uma elevada variação na composição química, conforme apresentado na Tabela 1. A começar pelo teor de MS, que variou de 45,9 e 15,7% entre as amostras é possível notar a importância do monitoramento frequente da umidade desse material, visando os ajustes necessários no preparo das dietas totais (TMR). Importante destacar a concentração de proteína bruta e extrato etéreo, mostrando que a composição desse resíduo é muito variada e que o monitoramento químico/bromatologico é de grande importância para ajustes durante a formulação das dietas.

Tabela 1. Valores médios, máximos e mínimos observados para a composição química de resíduo de cervejaria (cevada).

A variação dos resultados das análises químicas do resíduo de cervejaria ao longo dos anos é apresentada na Tabela 2. Nela é possível observar que não houve variação nos resultados entre os anos analisados, mostrando que a composição estará mais associada as características de produção (matéria prima utilizada, processo industrial, empresa produtora) e também a forma de estocagem na propriedade.

Tabela 2.  Composição de resíduo de cervejaria (cevada) durante os últimos três anos de análises na EsalqLab.

Com o preço atual dos insumos utilizados para compor uma dieta para vacas leiteiras, nada pode ser desperdiçado e os ajustes nas formulações devem ser feitos sempre visando o máximo desempenho e redução dos gastos. Sabendo dessa variação na composição do resíduo de cervejaria, o monitoramento da qualidade química dos lotes é de grande importância. E você, tem monitorado a qualidade do resíduo de cervejaria utilizado em sua propriedade? Conte para nós nos comentários!

Leia também > Polpa cítrica: qual a qualidade nutricional do co-produto que utilizo na minha propriedade?

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário, isso nos ajuda a saber que conteúdos são mais interessantes para você. Quer escrever para nós? Clique aqui e veja como!

Fonte da imagem: Tecnologia no Campo

DANIEL MONTANHER POLIZEL

LETÍCIA CAROLINA BORTOLANZA SOARES

9

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

VICENTE MARIN MUNHOZ

SOLEDADE DE MINAS - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 23/11/2020

Daniel, boa noite!
Tudo bem?
Sou criador de ovelhas e estou interessado em usar cevada. Estou em Soledade de Minas, próximo a São Lourenço MG.
Poderia me prestar consultoria ou indicar alguém que pudesse nos orientar como ensilar esse material e adequa-lo da melhor forma possível a realidade de nossa propriedade?
GIOVANA DALL AGLIO

CARAZINHO - RIO GRANDE DO SUL - ESTUDANTE

EM 29/10/2020

Gostaria de começar a usar, porém não sei como armazeno e por quanto tempo posso armazenar esse produto.
DANIEL MONTANHER POLIZEL

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 30/10/2020

Giovana, o armazenamento sempre é um bom questionamento em relação ao resíduo de cervejaria. Em muitos casos esse resíduo acaba sendo armazenado na forma de silo, pois assim aumenta-se a vida útil do produto.
VINICIUS MACIEL REIS

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 28/10/2020

Eu vejo a cevada como grande aliada na dieta, porém na minha região os fornecedores principais desse subproduto não fornecem análises atualizadas e por várias vezes já me deparei com caminhão já para descarregar em minha propriedade sem que fosse solicitado o produto! Muita umidade; zero análise bromatológica; venda forçada; etc. Não compro mais, prefiro dar um saco de ração que eu saiba exatamente o que estou pagando!
DANIEL MONTANHER POLIZEL

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 30/10/2020

Vinicius, obrigado por compartilhar sua experiência!! Sem dúvida esse é um dos grandes problemas e desafios de trabalhar com coprodutos. Em muitas situações não temos acesso a análise bromatológica do lote comercializado pelo fornecedor, e isso é muito ruim para formular uma dieta adequada.
JOÃO LEONARDO PIRES CARVALHO FARIA

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 28/10/2020

Excelente opção porém que precisa ser trabalhada de maneira técnica, a solução pode acabar virando um problema!
DANIEL MONTANHER POLIZEL

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 30/10/2020

Olá João!! Muito bem colocado!! Com o atual valor dos insumos, o uso de resíduos na alimentação é algo muito importante, mas o resultado só será positivo se essa opção for trabalhada de maneira adequada dentro de cada propriedade.
DANILO AZEVEDO FERRO

EM 27/10/2020

Qual a forma correta de armazenamento? Já utilizei, porém perdia muito... Gosto do produto e de seu custo benefício.
DANIEL MONTANHER POLIZEL

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 30/10/2020

Olá Danilo. Muito importante atentar-se a forma de armazenamento, pois devido a elevada umidade o material pode ter perdas elevadas se mal acondicionado. Muitas propriedades tem utilizado com sucesso o armazenamento desse material na forma de silo.
MilkPoint AgriPoint