ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Farelo de Bolacha: qual a qualidade nutricional do coproduto que utilizo em minha propriedade?

VÁRIOS AUTORES

ESALQLAB

EM 06/06/2024

4 MIN DE LEITURA

0
12

Como abordado em outros artigos da coluna ESALQLAB, a inclusão de coprodutos nas dietas de vacas leiteiras é uma peça-chave para a formulação de dietas eficientes. Neste contexto, a inclusão do farelo de bolacha (Figura 1) na alimentação dos rebanhos pode ser uma boa opção dependendo da disponibilidade e qualidade desse coproduto em sua região. O coproduto em questão apresenta-se como uma fonte acessível de energia, com altas concentrações de carboidratos não fibrosos (principalmente amido) e gordura.

Figura 1. Amostra de farelo de bolacha recebida pelo ESALQLAB.

Amostra de farelo de bolacha recebida pelo ESALQLAB

Obtido através do aproveitamento do resíduo da fabricação de biscoitos, bolachas e outros alimentos, o farelo de bolacha apresenta boa aceitação pelos animais. Outra vantagem é que, embora tenha quantidades de proteínas similares ao do milho, seu preço é mais acessível tornando ele um alimento estratégico para formulação.

O Brasil se destaca como um dos maiores produtores de bolacha do mundo, oferecendo uma ampla variedade de biscoitos e derivados. Desta forma a sua composição nutricional sofre grandes variações influenciadas pelo armazenamento, processamento industrial, matéria prima, região e uma série de outros fatores. Por estes motivos, o farelo de bolacha é um alimento de composição bromatológica heterogênea possuindo amplitudes nos teores de gordura, amido, proteína e fibra.

Com o objetivo de compartilhar e expandir o entendimento sobre a composição do farelo de bolacha, a equipe do laboratório ESALQLAB realizou uma análise retrospectiva em seu banco de dados e apresentou os resultados na Tabela 1. Nesta tabela é possível verificar que é um alimento de baixo teor de fibra em detergente neutro (12,08%) e elevado teor de nutrientes digestíveis totais (88,03%) uma vez que a maior composição deste alimento é baseada em carboidratos não fibrosos (61,34), extrato etéreo (11,44%) e proteína bruta (11,11%). É crucial destacar que o banco de dados possuía valores de matéria seca abaixo de 90%, levantando preocupações com à maior vulnerabilidade dos coprodutos à contaminação por micotoxinas. Essas substâncias tóxicas, geradas por fungos, podem resultar em perdas na produção e afetar a saúde do rebanho quando presentes em altas quantidade nos alimentos.

Tabela 1. Valores médios, mínimos e máximos observados para a composição bromatológica do farelo de bolacha das amostras recebidas pelo ESALQLAB.

Item

Média

Mínimo

Máximo

CV

Amido (%MS)

  46,72

    38,60

60,00

    17,52

Carboidratos não fibrosos (%MS)

61,34

    53,60

69,90

    10,03

Fibra em detergente neutro (%MS)

  12,08

    3,20

20,00

 49,99

Nutrientes digestíveis totais (%MS)

88,03

  76,50

99,00

   8,45

Matéria mineral (%MS)

5,73

    1,60

15,10

 62,58

Proteína bruta (%MS)

11,11

      7,30

15,10

 21,49

Extrato etéreo (%MS)

Matéria seca (%)

11,44

90,77

      5,50

    83,30

    18,20

    95,90

 35,77

  3,19

Fonte: ESALQLAB.

Os carboidratos não fibrosos são os principais constituintes deste coproduto e dentro dos constituintes do CNF o amido é o componente principal, com concentração de 46,72% e coeficiente de variação de 17,52%. É importante ressaltar que devido à alta concentração de amido, a inclusão do farelo de bolacha deve ser feita de forma a balancear as exigências do rebanho e com devida parcimônia para não haver prejuízos com distúrbios metabólicos.

O teor de extrato etéreo nesse alimento apresenta grandes variações (CV = 35,77%; Amplitude = 12,70%) e deve ser monitorado de forma frequente. A média para esse nutriente observado em nosso banco de dados (11,44%) se aproxima dos valores da literatura (CORASSA et al., 2013) e evidencia o farelo de bolacha como fonte de energia.

As amplitudes encontradas por estudo retrospectivo (Figura 2) indicam flutuações significativas no produto, provavelmente atribuíveis ao processo de fabricação e outras variáveis.

Figura 2. Composição bromatológica média do farelo de bolacha de amostras recebidas pelo ESALQLAB.Composição bromatológica média do farelo de bolacha de amostras recebidas pelo ESALQLAB

Fonte: ESALQLAB.

FDN: fibra em detergente neutro; PB: proteína bruta; EE: extrato etéreo; MM: matéria mineral; MOR: matéria orgânica residual.

Conclui-se que a utilização de farelo de bolacha na dieta de vacas leiteiras pode ser uma prática altamente benéfica. Uma vez que ao assegurar a qualidade nutricional do farelo de bolacha, pode-se maximizar a eficiência alimentar, promover a saúde e o bem-estar do rebanho, otimizando assim a produção de leite. Este estudo destaca dessa forma a importância da análise bromatológica para garantir a confiabilidade e o bom desempenho das dietas formuladas.

 

Referências

CORASSA, A. et al. Farelo de biscoito em rações para leitões na fase inicial. Comunicata Scientiae, v. 4, n. 3, p. 231-237, 2013.

 

 

 

 

 

 

LETÍCIA CAROLINA BORTOLANZA SOARES

JOÃO PEDRO MONTEIRO DO CARMO

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

Assine nossa newsletter

E fique por dentro de todas as novidades do MilkPoint diretamente no seu e-mail

Obrigado! agora só falta confirmar seu e-mail.
Você receberá uma mensagem no e-mail indicado, com as instruções a serem seguidas.

Você já está logado com o e-mail informado.
Caso deseje alterar as opções de recebimento das newsletter, acesse o seu painel de controle.

MilkPoint Logo MilkPoint Ventures