ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Por que os aminoácidos são tão importantes?

EDUCAPOINT

EM 28/08/2020

4 MIN DE LEITURA

0
0
Como os aminoácidos são os blocos de construção das proteínas, é fácil entender por que a deficiência de um aminoácido pode limitar a formação de proteínas e a produção de leite. Mas os cientistas do setor leiteiro sabem há mais de uma década que os aminoácidos estão envolvidos em muitas outras funções biológicas.
 
Até o momento, eles identificaram mais de 20 funções, variando da síntese de proteínas à reprodução, desenvolvimento do embrião, crescimento, resposta ao estresse, imunidade e saúde, produção de leite e comportamento. Os aminoácidos também afetam a expressão gênica. Por exemplo, a metionina demonstrou afetar mais de 2.600 genes.
 
Os cientistas identificaram dez aminoácidos essenciais: arginina, histidina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, fenilalanina, treonina, triptofano e valina.
 
A síntese de proteínas é regulada por vários aminoácidos e, portanto, todos os aminoácidos são necessários, de acordo com Mark Hanigan, nutricionista de laticínios da Virginia Tech. Assim, se você tem 120 gramas de metionina na dieta e só precisa de 80 gramas, a dieta pode parecer boa. Mas outros aminoácidos podem ser limitantes. 
 
Isso é o que torna o equilíbrio de aminoácidos difícil. Ainda mais desafiador, os requisitos diários mínimos da maioria dos aminoácidos essenciais ainda precisam ser determinados. Você precisa de ingestão máxima de matéria seca e tempo de ruminação para garantir que as vacas possam utilizar e digerir totalmente a ração que consomem.
 
A ração possui uma grande quantidade de aminoácidos, de forma que o que se faz necessário é aumentar a eficiência em capturá-los. 
 
À medida que você reduz a proteína bruta da ração para economizar dinheiro e reduzir a perda de nitrogênio, o equilíbrio dos aminoácidos se torna cada vez mais importante.
 
Os pesquisadores também sabem que a utilização de proteínas diminui durante o período de transição, começando uma ou duas semanas antes do parto. Isso acontece independentemente dos níveis de proteína bruta e só volta ao normal cerca de quatro semanas após o parto, diz John Osorio, nutricionista da South Dakota State University.
 
Vários estudos mostraram que a suplementação de metionina durante o período de transição aumenta a produção de leite de 3 a 4 quilos por vaca por dia. A produção e o desempenho do leite são fáceis de ver, mas há muito mais do que isso. Muito disso tem a ver com melhor função hepática e redução da imunossupressão.
 
Uma maior função hepática diminui a inflamação e o estresse oxidativo, o que melhora ainda mais o desempenho. Doenças como metrite e mastite também são menos prevalentes.
 
=> Quer aprender ainda mais? Acesse o conteúdo completo do curso Nutrição de vacas leiteiras - proteínas. O curso está disponível para assinantes da plataforma EducaPoint. Clique aqui para saber como assinar.
 
Um ensaio realizado com o rebanho da Universidade de Wisconsin mostrou menos distúrbios de saúde, melhor reprodução e menos abate com suplementação de metionina. Se as vacas apresentavam menos problemas de saúde, elas reproduziam mais cedo.
 
E mesmo em vacas com um ou mais distúrbios de saúde, vacas suplementadas com metionina emprenharam cerca de um ciclo de cio antes, em média, do que vacas controle. As saídas do rebanho também foram menores com a suplementação de metionina. Cerca de 18% das vacas tratadas com metionina foram vendidas ou morreram no final da lactação. Cerca de 23% das vacas controle deixaram o rebanho.
 
Em outro estudo realizado em vacas leiteiras Wisconsin de 300 vacas, a suplementação de metionina teve um efeito profundo nas perdas de prenhez em vacas em segunda lactação e em vacas posteriores. Vacas controle não tratadas tiveram uma perda de prenhez de 20% de 28 a 61 dias após a inseminação. Vacas que receberam metionina suplementar tiveram apenas 6% de perda de gestações durante o mesmo período.
 
O mesmo número de vacas emprenhou em ambos os grupos. Mas as vacas tratadas com metionina tiveram embriões 22% maiores do que os controles. Esse tamanho maior provavelmente resultou em menos perdas.
 
No final, os pesquisadores do setor leiteiro estão apenas começando a avaliar o efeito que os aminoácidos exercem sobre a saúde, o bem-estar e a produtividade do gado leiteiro. Muito mais pesquisas, particularmente em fazendas de laticínios comerciais, são necessárias para entender completamente a biologia dos aminoácidos.
 
Nesse ínterim, os produtores de leite precisam fazer todo o possível para maximizar a ingestão de matéria seca e o tempo de ruminação, ao mesmo tempo em que reduzem a aglomeração e os níveis de estresse em seus rebanhos. À medida que reduzem os níveis de proteína nas rações, a suplementação de aminoácidos com suplementos conhecidos e comprovados e subprodutos de alimentos com digestibilidade conhecida torna-se mais importante.
 
* Baseado no artigo Why Amino Acids Are So Important, de Jim Dickrell.
 
Mais informações:
contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082
 
 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint