FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Implementação de sistema de resfriamento intensivo em uma fazenda de gado leiteiro no sul da Rússia

POR ISRAEL FLAMENBAUM

COWCOOLING - FLAMENBAUM & SEDDON

EM 18/02/2020

5 MIN DE LEITURA

2
11

O processo de resfriamento para reduzir o estresse térmico das vacas foi desenvolvido nas últimas quatro décadas em Israel e é aplicado com um grau diferente de sucesso em muitas fazendas do mundo.

O resfriamento de vacas leiteiras é baseado na rotina diária, que inclui uma combinação de umedecimento e ventilação forçada no pátio de espera e na pista de alimentação. Além disso, as vacas também são ventiladas na área de descanso.

Na primavera de 2017 fui convidado pelo proprietário de uma grande fazenda de gado leiteiro na Rússia, para ajudar a reduzir o estresse térmico das vacas. O motivo foram as grandes quedas na produção de leite e fertilidade das vacas durante os meses de verão. A fazenda está localizada no sudoeste da Rússia (região de Krasnodar), perto do Mar Negro. Esta região é caracterizada por aproximadamente 3-4 meses de verão por ano (entre junho e setembro), no qual as vacas são expostas a condições de estresse térmico em grande parte do dia.

A fazenda consiste em aproximadamente 1.100 vacas holandesas, alojadas em dois estábulos e ordenhadas 3 vezes ao dia, durante aproximadamente 18 horas por dia. Até o verão de 2017, antes do início do projeto, nenhum tratamento de resfriamento era utlizado, exceto um número pequeno e insuficiente de ventiladores instalados no pátio de espera e operados durante o tempo de ordenha, além de um sistema de ventilação e umedecimento precário.

Em preparação para o resfriamento das vacas no verão de 2018, os ventiladores foram instalados no pátio de espera, para manter o vento em uma velocidade de 3 metros/segundo em todo o pátio (veja a figura). Os aspersores (300 lit/h) foram instalados acima do pátio, para proporcionar um bom umedecimento das vacas no menor tempo possível. O processo foi operado por temporizador, com 45 segundos de umedecimento a cada 5 minutos, antes de cada sessão de resfriamento. Os ventiladores foram instalados em todas as pistas de alimentação e operados em combinação com o sistema de umedecimento, quando as vacas retornavam de cada sessão de ordenha. As vacas também receberam tratamento especial de resfriamento entre as sessões de ordenha. Além disso, também foi realizada ventilação forçada no free stall. Portanto, os animais sempre estavam em um local com resfriamento.

Avaliação da eficácia do resfriamento

Para avaliar a eficácia do tratamento administrado, monitoramos a temperatura corporal das vacas durante todo o verão de 2018, utilizando registradores de dados intra-vaginais. Os resultados mostraram que o tratamento funcionou bem e as vacas foram mantidas em conforto térmico (abaixo de 39,0oC) na maior parte do dia, como pode ser visto na Gráfico 1.

Gráfico 1 - Temperatura vaginal média medida em 10 vacas leiteiras, em um intervalo de 10 minutos (iniciando no período noturno), durante as 24 horas de um dia típico de verão.

Produção de leite 

A produção média de leite por vaca aumentou significativamente no verão de 2018, em comparação com o verão de 2017, quando as vacas foram mantidas sem nenhum resfriamento efetivo (Gráfico 2). A análise dos resultados de desempenho quase no final do verão de 2019, quando este artigo foi escrito, mostra uma melhoria ainda maior na produção anual de leite.

Gráfico 2 - Produção média diária de leite por vaca (lit/dia), em 2017 (antes do fornecimento do resfriamento), em comparação com 2018 e 2019 (quando as vacas foram intensamente resfriadas).

Espera-se que a produção anual de leite por vaca na fazenda tenha aumentado, entre 2017 e 2019 (suposição feita em outubro de 2019), em aproximadamente 1600 litros (aumento anual de 6.500 para cerca de 8.000 litros por vaca). Supondo que apenas parte desse aumento possa estar relacionado ao resfriamento, consideramos um acréscimo de 1.000 litros na produção anual por vaca (aumento de 15%). De acordo com estudos anteriores, podemos supor que o aumento de 15% na produção anual devido ao tratamento de resfriamento pode estar relacionado também a uma melhoria de pelo menos 5% na eficiência alimentar (conversão alimentar em leite), nos 100 dias do verão.

Resultados de fertilidade 

O resfriamento intensivo aumentou também a fertilidade das vacas. A taxa de concepção de vacas inseminadas no verão de 2019 foi superior à obtida em 2017, sendo próxima ou acima de 30%, o que é considerado um bom resultado. Resultados de fertilidade mostrados no Gráfico 3.

Gráfico 3 - Taxa média de concepção em 2017 (antes do fornecimento de resfriamento), em comparação com 2018 e 2019, quando as vacas foram intensamente resfriadas.

Assumimos que as taxas de concepção alcançadas nos dois últimos verões têm o potencial de reduzir os "dias em aberto" em pelo menos 5 dias por vaca, representando um total de, pelo menos, US$ 25 por vaca/ano.

Aspectos econômicos do resfriamento

Com base nos resultados reais obtidos no verão de 2018, realizei um estudo econômico, com o objetivo de avaliar a relação custo-benefício da implementação do resfriamento intensivo nesta fazenda. O estudo foi realizado com o uso de um programa especial em Excel, do qual participei do desenvolvimento. Levamos em consideração um aumento de 15% na produção anual por vaca (1.000 litros por lactação), uma melhoria de 5% na eficiência alimentar nos 100 dias de verão e uma redução de 5 "dias em aberto", com o valor de US$ 5 por dia (benefício total de US$ 25 por vaca/ano).

O investimento para a instalação de equipamentos de resfriamento, realizado de acordo com as recomendações, foi de US$ 290.000 (US$ 265 por vaca). O preço do leite pago ao produtor foi de US$ 0,42 e o preço de 1 kg, US$ 0,22. Um aumento de 0,5 kg ração para cada litro adicional de leite foi considerado. O custo de operação do sistema de resfriamento nos 120 dias de verão foi de US$ 50 por vaca. Para a execução do cálculo, assumimos que o investimento no sistema de resfriamento era realizado mediante empréstimo bancário por 5 anos, com juros de 7%.

Com base nos dados apresentados acima, o lucro líquido, devido à implementação do sistema de resfriamento intensivo no verão de 2018, foi de US$ 240 por vaca e US$ 265.000 por fazenda. Com tais resultados, o investimento pode ser compensado em um ano.

Fotos

Figura 1 - Ventiladores e sistema de aspersão instalados no pátio de espera.

Figura 2 - Ventiladores instalados ao longo da linha de alimentação e área de descanso.

Figura 3 - Ventiladores e sistema de aspersão, instalados ao longo da linha de alimentação.

Gostou do conteúdo? Ajude-nos a entender ainda mais o que você gostaria de ver por aqui! 

ISRAEL FLAMENBAUM

Especialista no estudo do estresse térmico em vacas leiteiras, professor na Hebrew University of Jerusalém, tem ministrado cursos e treinamentos sobre o assunto em diversos países.

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

DAVI DIAS DA SILVA

APARECIDA DO TABOADO - MATO GROSSO DO SUL - ESTUDANTE

EM 18/02/2020

Gosto muito de aprender sobre animais
ORLANDO SERROU CAMY FILHO

CAMPO GRANDE - MATO GROSSO DO SUL - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 18/02/2020

Artigos como este nos dão os argumentos necessários para contrapor os defensores dos direitos dos animais quando acusam os produtores de uso de maus tratos. Sempre faço um paralelo com o dia a dia de uma pessoa, questionando se seria ruim estar em um ambiente com a temperatura, umidade, espaço, alimentação e sanidade controlados para atingir o bem estar físico. Ao mesmo tempo, indago os críticos se já observaram as condições de vida de milhões de pessoas que vivem abaixo da linha de pobreza e que dependem de ter alimentos a preços acessíveis. Quem está tendo melhor atenção? Quem deveria ser foco da atenção dos defensores dos direitos dos animais?
MilkPoint AgriPoint