FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

IBR e BVD: como estão diminuindo o lucro da sua fazenda

POR MAURILO CASTRO

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 09/09/2020

3 MIN DE LEITURA

1
4

Você sabe qual ou quais doenças reprodutivas tem acometido seu rebanho? Sabe que atuando atrás das cortinas elas trazem prejuízos produtivos e financeiros consideráveis à sua propriedade?

A eficiência produtiva da vaca não está ligada apenas a fatores nutricionais, infecciosos e de conforto, mas também diretamente influenciada pelo fator reprodutivo, no qual atuam algumas doenças que, de maneira silenciosa, roubam eficiência econômica da atividade. O sucesso da atividade depende de uma boa programação e cuidados com a saúde animal do rebanho, incluindo um protocolo de vacinação aos cuidados de um médico veterinário especializado, com objetivo de diminuir a doenças e até eliminá-las.

Dentre as principais doenças reprodutivas que afetam a pecuária leiteira, muito frequentemente encontramos a IBR (Rinotraqueíte Infecciosa Bovina) e a BVD (Diarreia Viral Bovina) se espalhando pelo rebanho de forma silenciosa causando abortos, perdas embrionárias, infertilidade e defeitos congênitos.

Rinotraqueíte Infecciosa Bovina – IBR

É uma doença causada por um herpesvírus, que tem a habilidade de alcançar os gânglios nervosos, permanecer em estado de latência e ser novamente excretado em condições de estresse, sendo assim, um animal infectado permanece portador do vírus por toda a vida.

A IBR causa impactos na fazenda na maioria das vezes na forma subclínica, tanto com a diminuição da fertilidade por meio de reabsorções embrionárias precoces, repetição de cio e abortos, como também pela diminuição na produção leiteira e retardo no crescimento dos animais jovens.

A transmissão ocorre pela via nasal e pela cópula. Sinais clínicos são enfermidades causadas no trato respiratório superior, facilitando a entrada de bactérias e desencadeando infecções secundárias, acometendo na maioria das vezes os animais jovens.

Diarreia Viral Bovina – BVD

É um doença causada por um pestivirus, que possui dois biotipos diferentes (citopático e não citopático), sendo uma das principais enfermidades de bovinos amplamente distribuída nos rebanhos de todo o mundo. As formas de transmissão são nasal e por cópula e os animais infectados excretam o vírus pela saliva, pela urina, pelo leite e pela secreção nasal.

O grande problema da BVD são os animais persistentemente infectados (PI). Acontecem quando a mãe é infectada pelo vírus entre 40 a 120 dias de gestação. Neste caso, o feto é infectado por via transplacentária e nasce sem problemas. Contudo, a presença deste animal é a causa da permanência da doença no rebanho, sendo responsável  por disseminar o vírus. Nos casos das gestações entre 30 a 90 dias acontecem perdas embrionárias e no final da gestação acontecem os abortos e má formações.

O animal PI pode desencadear a doença das mucosas, sendo um quadro fatal, geralmente entre 6 meses e 2 anos de idade.

Como consigo ser eficiente na sanidade do meu rebanho?

Contamos com alguns pilares para o sucesso: controle, manejo e prevenção. Investindo qualidade na execução destes fatores conseguimos reduzir o risco de propagação das doenças e reduzir as perdas, consequentemente temos retornos produtivos.

As práticas fundamentais para execução dos pilares são:

  • Controle e anotações de todos os dados, os quais chamamos de Índices Zootécnicos;
  • Exames periódicos (ginecológico e sorodiagnóstico) ;
  • Quarentena de animais adquiridos e exame sorológico para entrada no rebanho;
  • Implantação de um calendário sanitário preventivo, seguido à risca conforme a orientação do médico veterinário;
  • Manejo nutricional;
  • Acompanhamento dos animais jovens, já que eles são o futuro na rentabilidade do rebanho.

Para identificar as doenças nos animais, além de observar os sinais clínicos, contamos com testes laboratoriais que devem ser feitos com frequência. Conhecendo as doenças e fazendo um diagnóstico do rebanho, é possível realizar a contenção de surtos e montar um plano de controle.

Há outras doenças que podem acometer sistema reprodutivo como: brucelose, campilobacteriose, tricomonose e neosporose, sendo muito importante ressaltarmos que cada fazenda tem um desafio diferente e devemos investigar qual agente tem afetado o rebanho. As perdas podem acontecer em períodos diferentes e de maneira silenciosa, deixando vacas mais tempo vazias. E vaca vazia significa menos leite e menos bezerras.

A prevenção é o melhor tratamento, por isso a vacinação tem se mostrado uma ótima estratégia para obter melhores resultados, reduzindo a circulação dos vírus na fazenda, já que o futuro da pecuária leiteira está diretamente ligada a prevenção.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JOÃO LEONARDO PIRES CARVALHO FARIA

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 10/09/2020

Excelente artigo!
MilkPoint AgriPoint