ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Proteína de soro de leite: saúde da mulher na pós-menopausa

POR TÂMARA FABÍOLA VIEIRA SANTANA

E PRISCILA ALONSO DOS SANTOS

INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 03/09/2021

2 MIN DE LEITURA

0
4

Nos primeiros anos de pós-menopausa, em reposta ao hipoestrogenismo (processo o qual os níveis de estrogênio no organismo estão abaixo do normal, e levam a sintomas como: ondas de calor, menstruação irregular ou fadiga), ocorre uma rápida perda de massa óssea demonstrada pela redução na Densidade Mineral Óssea (DMO).

O declínio da DMO na integridade estrutural resulta em aumento do risco para osteoporose na pós-menopausa. A osteoporose é uma doença esquelética sistêmica definida por apresentar baixa massa óssea e uma deterioração da microarquitetura do tecido ósseo, além de estar associada ao aumento da fragilidade óssea (Stute & Meier, 2021). 

A suplementação proteica é eficiente para mulheres na menopausa, na prevenção da perda óssea e na melhora da DMO. Paralelamente, uma alimentação saudável possui efeito benéfico sobre a saúde óssea e muscular, devendo ser avaliados a ingestão calórica total e o tipo de nutrientes consumidos (PISCIOTTANO et al., 2014).

Devries & Phillips (2015), relatam que proteína do soro do leite é uma das proteínas de melhor qualidade, devido ao seu elevado conteúdo em aminoácidos de teor essencial, principalmente os aminoácidos de cadeia ramificada, como, por exemplo, a leucina, além de possuir digestibilidade rápida.

Por outro lado, o envelhecimento também tem associação a uma perda gradativa de massa muscular (sarcopenia), levando à insuficiência da força muscular e maior risco de quedas. Estudos apontam que um terço da massa muscular pode ser perdida durante as 3 décadas após a idade de 50 anos (BORST SE ,2004).  

A causa da perda de músculo esquelético com o envelhecimento não está claro, mas fatores como involução da atividade física, alteração da síntese proteica, e redução no fator de crescimento sérico semelhante à insulina foram apontados (CARMELI E et al., 2002).

Contudo, diferentemente do uso de proteína de soro de leite ser muito eficaz na prevenção da perda óssea e na melhora da DMO, no ganho de massa muscular e função física não foi totalmente satisfatória.

Compilando as descobertas, aparentemente a eficácia da intervenção de proteínas no músculo em mulheres mais velhas dependeria da nutrição e ingestão regular de proteínas combinada com um treinamento de resistência, e intervenção proteica.

Portanto, enquanto a interferência proteica tem o potencial de melhorar a saúde muscular em pessoas mais velhas, a forma mais eficaz de comprovar essa interferência é aprofundando o estudo.

 

Referências

Borst, S.E. Intervenções para sarcopenia e fraqueza muscular em idosos pessoas. Age Aging 2004; 33: 548–55

Carmeli, E., Coleman R, Reznick A.Z. A bioquímica do envelhecimento muscular. Exp. gerontol 2002; 37: 477–89

Devries, M.C, Phillips SM. Supplemental protein in support of muscle mass and health: advantage whey. J Food Sci. 2015; 80. Doi: 10.1111/1750- 3841.12802

Pisciottano M.V, Pinto S.S, Szejnfeld V.L, Castro C.H. The Relationship between Lean Mass, Muscle Strength and Physical Ability in Independent Healthy Elderly Women from the Community. J Nutr Health Aging. 2014;18(5):554-8.

Stute, Petra & Meier, Christian. (2021). Update OsteoporoseLe Point sur l’Ostéoporose. Journal für Gynäkologische Endokrinologie/Schweiz. 24. 10.1007/s41975-021-00181-4.

*Fonte da foto do artigo: Freepik

TÂMARA FABÍOLA VIEIRA SANTANA

Médica Veterinária pela UniRV- Universidade de Rio Verde-GO. Pós-graduada em Vigilância Sanitária pela UNINTER. Mestranda do Programa de Pós-Graduação de Tecnologia de Alimentos pelo If Goiano- Campus Rio Verde- GO.

PRISCILA ALONSO DOS SANTOS

Médica Veterinária pela Universidade de Marilia-SP. Docente do Mestrado Profissional no Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Alimentos pelo IF Goiano- Campus Rio Verde- GO.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint