ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Como são feitos os queijos azuis?

POR WILLIAN JOSÉ DE FARIA

INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 09/03/2021

3 MIN DE LEITURA

19
29

Qual é a história dos queijos azuis?

O primeiro queijo azul foi fabricado no Brasil, há muitas décadas, no Sul de Minas, pelo pioneiro dinamarquês Lief Kay Godtfredsen, fundador do antigo Laticínios Skandia. Na década de 1970, devido a protestos do governo francês, preocupado em preservar a denominação “Roquefort”, esse queijo maturado por fungos esverdeados, passou-se a chamar, no Brasil, tipo Gorgonzola.

Esse nome é também indevido, já que se refere a um queijo feito com leite de vaca no norte da Itália, cuja denominação de origem também é protegida por leis internacionais. Assim, convencionou-se, nos anos 1990, que dentro do âmbito do Mercosul, aqueles queijos que imitavam tanto o Roquefort como o Gorgonzola, seriam chamados de “Queijo Azul” (FURTADO, 2013).


Fonte: autor

Em 2007, foi criada a normativa nº 45, que estabelece o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Queijo Azul, no qual "entende-se por Queijo Azul o produto obtido da coagulação do leite por meio de coalho e/ou outras enzimas coagulantes apropriadas, complementado ou não pela ação de bactérias lácticas específicas, e mediante um processo de fabricação que utiliza fungos específicos (Penicillium roqueforti), complementados ou não pela ação de fungos e/ou leveduras subsidiárias, encarregadas de conferir ao produto características típicas durante os processos de elaboração e maturação."

Esses queijos apresentam um abundante crescimento interno de mofo, os quais possuem forte ação proteolítica e lipolítica, desenvolvendo sabor e aroma pronunciados (Instrução normativa, n°45, 23/10/2007).

Etapas do processo e seus desafios

O fluxograma de produção dos queijos azuis segue as seguintes etapas:

  • Fabricação

Primeiramente, é interessante salientar que as indústrias estão buscando cada vez mais trabalhar com processos automatizados, com intenção de melhorar a padronização e redução do risco de contaminação.


Fonte: autor

Na fabricação, o tipo de mofo a ser utilizado é muito importante, pois, há diversas variedades de P. roqueforti, com diferentes capacidades proteolíticas e lipolíticas.

A utilização de culturas lácteas para ajudar na acidificação (desmineralização da coalhada e favorecimento do crescimento do mofo) e produção de gás (auxilia na abertura da massa) também é fundamental. Por fim, o teor de gordura do leite é outro ponto relevante, uma vez que ajuda diretamente na cremosidade e untuosidade do produto.

  • Fermentação

Nesta etapa, é importante que o queijo atinja pH 4,6 a 4,8 entre 18 a 24 horas de fermentação. Após esse processo, ele deve apresentar uma boa abertura de massa. A temperatura da câmara precisa ser controlada 20 a 24°C, para não ter excesso ou baixa atividade de fermentação.


Fonte: autor

Caso a curva de pH seja muito lenta, teremos maior retenção de soro na massa, tornando-se um problema durante a maturação (dessoragem). Esse fato pode estar relacionado ao tipo e/ou quantidade do fermento lácteo utilizado.

  • Salga

Os queijos azuis apresentam alto teor de sal, variando entre 2,2 a 3,0%. A salga pode ser feita via salmoura e/ou salga a seco.

As fábricas mais modernas estão buscando trabalhar com sistemas de circulação de salmoura ajudando, assim, a reduzir o tempo de salga. Vale ressaltar que é importante ter um sistema de tratamento regular das salmouras, seja por meio de filtração por membranas ou diatomácea.

  • Tratamento com antifúngico na casca

O tratamento pode ser feito via imersão e/ou aspersão para evitar o crescimento de flora indesejável na casca do queijo, a qual é composta de outros tipos de mofos e leveduras considerados contaminantes. A dosagem utilizada precisa ser controlada para não extrapolar os limites da legislação vigente. 

  • Furação

Como o P. roqueforti é um microrganismo aeróbico (precisa de oxigênio para se desenvolver), a etapa de furação tem um papel importante, pois permitirá a saída de gás carbônico do interior da massa, resultante da fermentação e renovação do oxigênio para o desenvolvimento do mofo. Recomenda-se 150 furos de cada lado do queijo.

  • Maturação

Os queijos devem ser maturados por no mínimo 35 dias. Nesse processo, é importante ter bom controle do ambiente das câmaras de maturação, assim como da temperatura (10 a 12°C) e umidade (mínimo 90%). Após período de maturação, os queijos devem apresentar pH acima de 6,00.


Fonte: autor

  • Embalagem e comercialização

Normalmente, os queijos são embalados em peças inteiras ou fracionados em pedaços que variam de 130 a 180 gramas.

É interessante ressaltar que o Brasil — apesar do brasileiro não estar acostumado com esse tipo de queijo — está em uma rampa de crescimento quanto ao consumo de queijo azul, uma vez que apresentam características sensoriais marcantes.

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário, isso nos ajuda a saber que conteúdos são mais interessantes para você. Quer escrever para nós? Clique aqui e veja como!

Referências 

Queijos Especiais, por Múcio Mansur Furtado, Ph.D, Indústria de Laticínios e setembro Editora – set 2013

Legislação: Instrução Normativa MAPA - 45, de 23/10/2007 | Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo. Disponível em: <https://www.defesa.agricultura.sp.gov.br/legislacoes/instrucao-normativa-mapa-45-de-23-10-2007,1042.html>. Acesso em: 28 fev. 2021.

WILLIAN JOSÉ DE FARIA

Graduado em Tecnologia em Laticínios e Pós-graduado em Engenharia de Produção. Supervisor de Produção da Tirolez. .

19

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ANA CAROLINA TRINDADE

EM 29/03/2021

Parabéns pelo excelente artigo Willian!
SERGIO CHAVEZ

INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 22/03/2021

Excelente descripcion del proceso. Muy practico
JULIANO ALEM

EM 10/03/2021

Ótimo artigo!!!
DANILA SANTOS

SÃO PAULO - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 10/03/2021

Muito Bom!! Parabéns
VILSON RHEINHEIMER

MARECHAL CÂNDIDO RONDON - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 10/03/2021

Muito bom Artigo!!!
LUIZ VIEIRA

SÃO GONÇALO DO SAPUCAÍ - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA LATICÍNIOS

EM 10/03/2021

Excelente Artigo meu amigo, é isso aí, conhecimento é pra ser compartilhado. Obg.
LEONARDO FAQUINI

FRANCISCO BELTRÃO - PARANÁ - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 10/03/2021

A denominação simples "Queijo Azul", é boa... embora o mofo literalmente não apresente coloração Azul em sua tonalidade - totalidade, variando do Verde Musgo a Verde - Azulado...

Um dos grandes riscos para qualidade - aparência do Queijo é contaminação pela Bactéria Brevibacterium linens levando a formação de coloração alaranjada - vermelha e leveduras, que levam a descaracterizar o produto...
JÚLIA NAZARÉ LOPES RODRIGUES

SACRAMENTO - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 09/03/2021

Excelente!
MATHEUS DE RAMOS REIS

EM 09/03/2021

Excelente material. Obrigado por compartilhar seus conhecimentos.
ANDREIA MACHADO DE AVELLAR

TIROS - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 09/03/2021

Muito bom!!!! Parabéns!!!!
CRISTIAN MIRANDA

TREZE TÍLIAS - SANTA CATARINA - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 09/03/2021

Parabéns Willian!
CRISTIAN MIRANDA

TREZE TÍLIAS - SANTA CATARINA - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 09/03/2021

Parabéns Willian!
PRISCILA FIALHO

PASSOS - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 09/03/2021

Parabéns, excelente artigo ??
ALYNE CRYSLAINE

LAVRAS - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 09/03/2021

Muito bacana o seu artigo meu amigo e companheiro Queijeiro . Tive a honra e trabalhar sr. Francisco Simas ....um grande queijeiro de queijo Gorgonzola a qual iniciou na scandia Minduri /Cruzília....parabéns meu amigo seu artigo retrata com solidez e objetividade sobre esse queijo no sensacional. Abraços do Nisa..
JEFERSON SILVA CUNHA

VIÇOSA - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 09/03/2021

Parabéns! Artigo coeso e didático!
PEDRO PAULO FERREIRA

EM 09/03/2021

Muito bom, artigo ótimo e muito bem explicativo! Parabéns!
VIVIANY FIALHO

EM 09/03/2021

Parabéns Willian, muito bom o artigo.
DANIELA FARIA

INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 09/03/2021

Muito bom, parabéns pelo artigo
WILLIAN JOSÉ DE FARIA

SÃO GERALDO - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 09/03/2021

Obrigado Daniela.
MilkPoint AgriPoint