FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

MG: evento em Araxá fortalece cultura queijeira brasileira

ESPAÇO ABERTO

EM 22/08/2018

0
2

Na minha vida de “queijornalista” e “queijofessora” globetrotter, um dos maiores prazeres é chegar no Brasil e ver a cultura do queijo artesanal florescendo e fortalecendo. Um dia inteiro de curso de cura de queijo em Araxá no último sábado (18) para uma plateia de olhinhos brilhantes e cabeça aberta para entender seus erros e acertos mostra que existem, sim, muitos produtores de boa fé no Brasil.

Queijo Araxá
Queijos envelhecidos em diferentes estágios de cura. FOTO: Angelo Maneira Filho/Acervo Pessoal

No curso, apresentei soluções para construção de salas de cura, como controlar o ambiente (temperatura, umidade e ventilação) e como decifrar os defeitos de um queijo. O mais importante é fazer os alunos compreenderem que o queijo é um mundo e que o curador é Deus, ou a própria natureza, que deve controlar as populações desse mundo, determinar quais devem prosperar e quais devem ser inibidas para se alcançar o resultado desejado. Por isso, controlar todos os processos de vida de um queijo é fundamental!


Produtores de Araxá, Canastra, Diamantina, São Paulo e Goiás. FOTO: Angelo Maneira Filho/Acervo Pessoal

A noite terminou com uma confraternização promovida pela associação de produtores local. O evento foi o lançamento para a preparação de um grande festival internacional de queijo que será realizado em Araxá em agosto de 2019, com a presença de uma comitiva de produtores franceses da Guilde Internationale des Fromagers.

Marly e Joel Leite apresentaram novidades: o queijo Rudá, de 120g em formato de coração, uma parceria com a SerTãoBras; e o queijo Imperial, quadrado de 4 kg, que foi servido quente.


Queijo Rudá, batizado em homenagem ao Deus do amor tupi-guarani. FOTO: Angelo Maneira Filho/Acervo Pessoal

O professor Cleube Boari (UFVJM de Diamantina) apresentou o resultados da análise de 20 pingos (os fermentos lácteos utilizados para fazer os queijos), 17 de Araxá e 3 da Canastra, que foram coletados junto com um queijo de cada produtor.

Esses queijos foram maturados na queijaria Senzala pela curadora Marly Leite e a maioria desenvolveu o mofo branco. “O mofo está presente nos queijos”, destacou Cleube, “mas muitos produtores preferem lavar os queijos para que eles não apareçam, impedindo que o queijo floresça”. Cada produtor recebeu a análise do seu pingo. Os resultados estão linkados abaixo.


Queijos que tiveram seus pingos testados e desenvolveram mofo branco. FOTO: Angelo Maneira Filho/Acervo Pessoal

Produtores trouxeram queijos para provar. Defeitos encontrados frequentemente nos queijos trazidos pelos alunos foram rachaduras na casca, inchaço e fissuras internas com mau cheiro. A causa mais comum são bactérias butíricas, muito presentes nesse momento de seca, quando as vacas comem silagem. Elas podem estar mesmo na poeira que invade salas de cura e fabricação que ficam abertas ao vento que vem do exterior.

Com mofo ou sem mofo, tem queijos para todos

No domingo, visitei as queijarias Mineirim, de Alexandre e Berenice Honorato, e o Sítio Real, de Dalva e Reinaldo Lima, que produzem o queijo tradicional de Araxá.

Os dois concordam que essa receita tradicional, para ser chamado de queijo Araxá, deve ser lavado, para evitar que o mofo branco cresça. “O modo de fazer queijo de Araxá determina assim, e o consumidor já está acostumado, devemos preservar essa tradição”, justifica Alexandre.


Alexandre lava seus queijos todos os dias para evitar mofos. FOTO: Débora Pereira/SerTãoBras


Reinaldo e Dalva com os prêmios ganhos com o queijo do Sítio Real. FOTO: Débora Pereira/SerTãoBras


Vaca Jersey dos produtores Dalva e Reinaldo, do Sítio Real. FOTO: Débora Pereira/SerTãoBras

Seguindo viagem rumo ao Festival Fermentar

No próximo final de semana, de 24 a 27 de agosto, Brasília recebe o Festival Fermentar. O queijeiro francês Hervé Mons vai realizar cursos de cura, fabricação e análise sensorial. O evento começa com um grande debate sobre a Lei 13.680/2018, conhecida como a nova Lei do Queijo Artesanal. 

Para ver mais fotos do curso de cura e da festa do queijo em Araxá, clique na foto abaixo.


Curso de cura e festa do queijo em Araxá. FOTO: Débora Pereira

As informações são do blog Só Queijo, de Débora Pereira, para o Paladar, do Estadão.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.