FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Varejo obtém margem bruta recorde na venda de leite UHT

POR CARLOS EDUARDO PULLIS VENTURINI

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 10/10/2016

2 MIN DE LEITURA

10
0
O ano de 2016 tem sido marcado por uma grande variação nos preços de lácteos. Mesmo com a economia em crise, a forte queda na produção de leite em 2016 (no primeiro semestre, a redução foi de 6,4% x o 1º semestre de 2015) fez com que os preços em todos os elos apresentassem altas expressivas.

Entre os derivados, o produto que apresentou maior variação de preços foi o leite UHT que, segundo dados do MilkPoint Mercado, chegou a ser vendido pela indústria para o varejo próximo aos R$4/litro.

No entanto, os altos preços tiveram seu reflexo no consumo: com o repasse de preços do varejo para o consumidor, empresas reportaram uma forte diminuição nas vendas, o que fez com que rapidamente os preços despencassem. Se antes os varejistas se esforçavam para conseguir o volume que precisavam a quase R$4/litro, agora já há diversas negociações na casa de R$2/litro e muitos laticínios já começaram a aceitar valores até abaixo de R$2/litro.

Como muitas vezes ocorre nessa queda de braços entre indústria e varejo, mesmo com a forte queda nos preços recebidos pela indústria, o setor varejista conseguiu segurar preços: em setembro, a queda do leite UHT no varejo foi de 12%, muito menor do que o recuo dos preços no atacado, que tiveram queda de 24,4% no mesmo mês, em sequência à queda de 22,5% já ocorrida em agosto.

Com a forte mudança no cenário e a capacidade do varejo em segurar a queda ao consumidor, em apenas três meses este elo saiu de sua menor participação (analisando os dados a partir de 2004) nas margens brutas de leite UHT em junho (6,8%) para a maior participação nas margens brutas de leite UHT em setembro (38,3% do valor final do produto).

Já a indústria, por sua vez, teve sua participação reduzida de 55,7% em junho para 17,5% do valor final do UHT em setembro, enquanto a participação do produtor oscilou de forma menos expressiva: saiu de 37,5% para 44,2%. Porém, em função da queda nos preços pagos ao produtor nos últimos 30 dias, sua participação já está diminuindo, com alguma recuperação por parte da indústria. “Apesar dos números ainda não indicarem isso em função da defasagem entre o que ocorre no mercado e a consolidação dos dados, o fato é inequívoco: o produtor está tendo redução na fatia porcentual, além de queda no valor absoluto”, diz Marcelo P. Carvalho, CEO da AgriPoint.

O gráfico 1 a seguir apresenta as informações citadas:

Gráfico 1 – Distribuição das margens do leite UHT por elo (em %).

leite uht - margens

Ao analisarmos os dados em valor, podemos ver que a tendência também foi muito semelhante: como a queda do preço do leite UHT no varejo foi menor que no atacado, mesmo com a redução nos valores do produto ao consumidor, o varejo ainda conseguiu aumentar sua margem bruta, chegando a R$1,42/litro, contra R$0,65/litro de margem da indústria em setembro. Importante salientar que tais valores são brutos, ou seja, não consideram os custos de cada elo.

“É interessante notar que os momentos de melhor remuneração do produtor coincidiram com margens elevadas também para a indústria”, constata Marcelo.

Gráfico 2 - Distribuição das margens do leite UHT por elo (em R$/litro).

margens UHT - leite
Resta saber quando o varejo reduzirá os preços, estimulando o consumo em um momento de elevação da oferta, seja pela recuperação da produção interna, seja pelas importações recordes de leite em pó.
 

CARLOS EDUARDO PULLIS VENTURINI

Economista formado pela ESALQ/USP; Coordenador de Conteúdo do MilkPoint Mercado

10

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ARGEMIRO MAGALHÃES

SÃO GONÇALO DO SAPUCAÍ - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 15/10/2016

Os cometários acima e todos que tenho visto nos últimos dez anos é chover no molhado, não irão resolver o problema do preço justo pago ão produtor. Só existe uma e única saída, para essa situação, que é união dos produtores . Se não formos capazes para isso , esqueçam tudo e seremos  sempre os carneirinhos a caminho do matadouro.  Ouço também dizer que a saída para o Brasil passa pela educação, como a solução do preço do leite passa pela nossa união. A realidade é que somos incompetentes para a solução destes problemas, a nossa especialidade é carnaval e football. Brasil terra de papagalis!!!
FABIO LIMA REZENDE

ARAGUAÍNA - TOCANTINS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 13/10/2016

Bom!!! Mais uma vez o produtor pagando caro pra trabalhar.  

Vaca e uma maquina que precisa de manutençao e fica velha.
DARCY CHAVES JÚNIOR

MORRINHOS - GOIÁS

EM 12/10/2016

Boa Noite a todos.

Uma das formas de alcançarmos nossos objetivos é solicitarmos apoio ao Senado Federal.

Veja o link anexo.

http://www.anaamelialemos.com.br/noticias/audiencia_na_cra_debate_alternativas_a_crise_da_cadeia_produtiva
CARLOS MONTAGNER

UMBURATIBA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 11/10/2016

Bom artigo. Parabéns.

Entendemos que é hora do varejo apertar as indústrias que ganharam muito este ano. E ainda ganharão muito... é o caso de 3 empresas de GO/MG que juntas, combinado ou não, já estão indo para R$ 0,84 de queda ao produtor.

O triângulo mineiro nunca viu tanta mediocridade de uma nova compradora na região. Falar em "dar rasteira" nos fornecedores é pouco. Foram 30 centavos sem ao menos avisar que cairia 1 ou 10 ou 20.

Precisamos de mudança já no setor. Preços antecipados JÁ!
MARCELO PEREIRA DE CARVALHO

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 11/10/2016

Pletz, na realidade esse dado reflete quanto do leite vai para cada elo. Os valores do produtor são os preços Cepea médios do Brasil, em valor bruto.



Já o valor da indústria refere-se ao valor vendido no atacado menos o valor pago ao produtor. O varejo, por sua vez, é o valor final de venda ao consumidor, menos o valor do atacado.



Abraço,



Marcelo
NELSON JESUS SABOIA RIBAS

GUARACI - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 11/10/2016

Fica claro que o problema de mercado entre indústria e varejo independe do produtor, este na verdade é quem sofre com o jogo entre eles. E o pior é que os CONSELEITES que deveriam também ajudar os produtores , nesta hora de jogadas de marketing entre os jogadores da ponta da cadeia, só prejudica ainda mais o produtor.. Variação para baixo de 20 centavos por litro ao produtor, acaba com qualquer planejamento, Muita gente entende de produção de leite, mas poucos se interessam em criar sistema de comercialização que resguardem o produtor e o consumidor. O leite deveria ser tratado como um produto essencial na cesta básica da população, e por isso merecia um tratamento diferenciado, para garantir volumes e qualidade regulares.
LEONARDO DE ALMEIDA BRAGA

FORMIGA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 11/10/2016

A incompetência da indústria de UHT me assusta.
EDUARDO PLETZ

GUARAPUAVA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 11/10/2016

So nao sei se as margens do produtor são essas?? As minhas pelo menos não.
VALTER JOSE VON KRUGER SOBRINHO

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 10/10/2016

Desculpa FRACOS
VALTER JOSE VON KRUGER SOBRINHO

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 10/10/2016

Importando leite do Uruguai e Argentina.Nos produtores sem prestígio e representantes fortes
MilkPoint AgriPoint