FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Milho e soja: exportações do agronegócio brasileiro caíram 1,5% em novembro

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 11/12/2020

2 MIN DE LEITURA

0
0

Os embarques de açúcar e etanol, milho, café e produtos florestais (celulose e madeiras) tiveram crescimento expressivo em novembro, mas o resultado não foi suficiente para impulsionar o desempenho global das exportações do agronegócio brasileiro.

Assim como ocorreu no mês anterior, o forte declínio das vendas ao mercado externo do chamado complexo soja, que inclui o grão e seus derivados (farelo e óleo), foi decisivo para puxar para baixo o resultado geral.

Em novembro, as exportações totais somaram US$ 7,94 bilhões, montante 1,5% menor que o de novembro de 2019, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pelo Ministério da Agricultura. “O valor exportado foi impactado pela queda de 2,3% no índice de preços dos produtos de exportação”, registra o ministério em comunicado.

Sozinho, o complexo sucroalcooleiro foi responsável por mais de US$ 1 bilhão em vendas ao mercado externo. Os embarques do segmento cresceram 59% na comparação entre os meses de novembro de 2019 e deste ano, passando de US$ 656 milhões para US$ 1,04 bilhão.

As exportações de milho, café e produtos florestais, por sua vez, cresceram 37,7%, 27,6% e 16,7%, respectivamente. Com isso, as vendas desses produtos ao exterior movimentaram, nessa ordem, US$ 623 milhões, US$ 878 milhões e US$ 1,05 bilhão.

Por motivos sazonais, o declínio do complexo soja em novembro foi ainda mais acentuado que o de outubro. Na comparação com novembro de 2019, a queda no mês passado foi de 50,6%, para US$ 1,1 bilhão. Soja em grãos e óleo caíram 70% e 23,3%, respectivamente.

“O principal fator da queda está relacionado à antecipação das exportações nos primeiros meses do ano”, informa o ministério. Mas o declínio no segmento não foi generalizado: as vendas de farelo de soja cresceram 32%, para US$ 553 milhões. O volume exportado, de 1,41 milhão de toneladas, foi recorde para o insumo, segundo o ministério.

Tradicionalmente, o complexo soja lidera o comércio externo do agronegócio brasileiro, posição que voltou a ser ocupada pelas carnes. Os embarques do segmento caíram 0,6% em novembro, para US$ 1,54 bilhão.

As exportações do agronegócio podem ter diminuído no mês passado, mas o desempenho em 2020 continua positivo. No acumulado de janeiro e novembro, os embarques cresceram 4,9%, para US$ 93,6 bilhões - um contraste com as exportações totais do Brasil, que recuaram 7,4% nos primeiros 11 meses do ano quando comparadas com o mesmo intervalo de 2019.

Principal destino da soja em grão e das carnes brasileira, a China absorveu 34,7% das exportações brasileiras do agronegócio de janeiro a novembro, ou US$ 32,5 bilhões. No mesmo período de 2019, foram 32,1%, ou US$ 28,6 bilhões. 

Leiam também: 

As informações são do Valor Econômico.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint