FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Prêmio Impacto 2016: conheça Carlos Eduardo Freitas Carvalho, um dos 5 finalistas

NOTÍCIAS AGRIPOINT

EM 13/06/2016

4 MIN DE LEITURA

3
0
Estamos na segunda fase de votações para o Prêmio Impacto MilkPoint 2016, que tem como objetivo valorizar profissionais que contribuem para a melhoria da atividade leiteira no Brasil.

Os 5 finalistas foram escolhidos entre 14 profissionais de destaque, por votação aberta no site. As votações da segunda etapa terminam no dia 15 de julho, às 9h00, e o vencedor será conhecido durante a cerimônia de abertura do Interleite Brasil 2016, que acontecerá em Uberlândia/MG, nos dias 3 e 4 de agosto.

Conheça um pouco mais sobre o trabalho de Carlos Eduardo Freitas Carvalho, um dos finalistas do prêmio:


Carlos Eduardo Freitas Carvalho é Engenheiro Agrônomo pela UFSCAR, atuou como técnico de campo na Confepar Agro-Industrial Cooperativa Central, atendendo produtores de leite cooperados em 17 municípios no Sudoeste do Paraná e Oeste de Santa Catarina. É sócio fundador da Cooperideal - Cooperativa para a Inovação e Desenvolvimento da Atividade Leiteira (Assistência técnica a produtores de leite e corte e Consultoria à Estação Conhecimento da Vale em Parauapebas-PA, e à Solução Agronegócios e Sebrae no Estado de Rondônia) e é consultor do Sistema Faeg/Senar, que faz a capacitação e coordenação do Programa Goiás Mais Leite, que conta atualmente com 70 técnicos de campo e mais de 900 propriedades assistidas.

Que atividades está desenvolvendo? Conte um pouco sobre seu trabalho atual.
Carlos Eduardo:
Atualmente, trabalhamos transferindo tecnologia, em 90% do nosso tempo, a técnicos de campo que atuam no Estado de Goiás, através do Programa Goiás Mais Leite do Sistema Faeg/Senar, além de atuar também na mesma linha nos Estados de Rondônia e Pará. Esta transferência baseia-se em visitas a propriedades atendidas pelos profissionais em questão, onde verificamos a condução e o direcionamento da metodologia utilizada que enfatiza o tripé "fertilidade do solo, estruturação do rebanho e genética", bem como é analisada, de maneira individual, a gestão da fazenda atendida e qual o gargalo a ser combatido na propriedade. Desta forma, o técnico consegue identificar os problemas enfrentados da atividade e, assim, aplica de maneira e momento adequados a tecnologia necessária para o desenvolvimento sustentável da família assistida.

Quais suas principais contribuições para o setor lácteo nos últimos anos?
Carlos Eduardo:
Creio que o que realizamos, fazendo parte da Cooperideal, é fundamental no elo da cadeia produtiva do setor. Creio que estamos contribuindo com um modo de transferir tecnologia, que permite o aprendizado dos profissionais de extensão rural, mesmo que gradativamente, a fim de possuírem o conteúdo necessário para enfrentar problemas conceituais nas propriedades de leite. Encontrar meios para fazer com que o produtor aplique as tecnologias necessárias, ou que pelo menos consiga internalizar sua real necessidade de acompanhamento técnico efetivo, é um desafio! Capacitar técnicos das ciências agrárias, com duas semanas de aulas envolvendo toda a programática da atividade leiteira, realmente, não funciona. É necessário tempo, comprometimento, complementação teórica e muita paciência para que alcancemos resultados significativos em nosso trabalho.

Como a assistência técnica pode contribuir para o desenvolvimento da atividade?
Carlos Eduardo:
Segundo o Diagnóstico da Cadeia Produtiva do Leite do Estado de Goiás, realizado pela FAEG em 2009, mais de 83% dos produtores de leite não possuíam assistência técnica continuada em suas fazendas. Infelizmente, e para piorar, não sabemos o que os outros 17% estão recebendo em sua propriedade, pois é comum verificarmos trabalhos que focam nas áreas clínicas da atividade, sem nenhum planejamento estratégico envolvendo aspectos de gestão, tanto financeira quanto zootécnica.

Manipular os fatores produtivos é o canal para o desenvolvimento do setor, e só conseguimos alcançar este direcionamento se tivermos pessoas que, além de bem intencionadas, estejam efetivamente capacitadas para a realização de uma extensão rural assertiva. Costumo dizer aos produtores que qualquer "bar de esquina" da cidade possui assistência técnica que é realizada pelo setor que vende produtos, como as bebidas por exemplo. Lá eles mostram ao dono do estabelecimento como fazer seu mix de preços, como organizar seu estoque, como gerir seu negócio! Quando fazemos o inventário dos produtores assistidos, diversas propriedades demonstram possuir patrimônio que seriam necessários mais de 10 bares para atingir o mesmo valor, ou seja, se um estabelecimento deste possui uma assistência técnica contínua, porque as propriedades de leite do país não? Isto precisa ser internalizado pelo produtor e o mesmo precisa, efetivamente, fazer parte do negócio.

O modelo paternalista não pode mais se enquadrar como meio de transferir tecnologia. O custo desta assistência técnica precisa compor a despesa da propriedade, e estamos percebendo que, quando isto ocorre, o desenvolvimento do negócio é significativamente maior. Nenhum país do mundo atingiu sua excelência na atividade leiteira sem que a mesma passasse também por seus produtores, e creio que com uma assistência técnica simples, mas capaz, podemos contribuir na busca do desenvolvimento do negócio leite e, principalmente, das pessoas.


Mesmo se você não votou na primeira fase, você pode participar da segunda etapa de votação, que se estenderá até o dia 15/07 às 09h00.

A indicação da 2ª fase é independente da primeira, isto é, a contagem de votos foi zerada, e é você quem indicará novamente o merecedor do prêmio, votando entre os cinco candidatos.

Clique aqui para votar. Participe e ajude a valorizar o trabalho técnico no setor!

Esse prêmio é uma iniciativa do MilkPoint, mas só foi viabilizado pelo patrocínio Master da Itambé e CCPR.

Aproveite as inscrições com desconto especial para o Interleite Brasil 2016. Acesse agora www.interleite.com.br.
 

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

DENILSON JOSE DE FIGUEREDO

GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 12/07/2016

Ótimo profissional, um excelente extensionista rural, muito capacitado e de fácil convívio no meio rural. Parabéns Carlos Eduardo Freitas Carvalho.
RENAN LENZI

ROLIM DE MOURA - RONDÔNIA - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 14/06/2016

Orgulho de fazer parte da equipe de trabalho!
SILAS ARCANJO DA SILVA

ITAPURANGA - GOIÁS - ESTUDANTE

EM 13/06/2016

Estamos torcendo e votando!
MilkPoint AgriPoint