ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Produtor de leite versus Indústria de laticínios

WAGNER BESKOW

EM 28/07/2021

2 MIN DE LEITURA

18
8

Somente um fator será capaz de mudar o presente cenário de atritos que se instalou entre grupos de representantes de um e de outro elo: a recuperação do poder aquisitivo das classes média e baixa. A verdade é que o cidadão está com sua renda estrangulada e o custo da alimentação, como um todo, o assusta e o limita muito.

O auxílio emergencial do ano passado amenizou este cenário de forma notável porque a inflação ainda não estava consolidada. Neste ano, no entanto, o único efeito que se viu foi aliviar o número de pedintes nas ruas, que já haviam retornado. Ou seja, fez diferença para os mais necessitados, não há dúvidas, mas não para a grossa faixa de consumidores de lácteos.

Se tivessem se mantido, os preços dos produtos nas gôndolas se encontrariam defasados frente aos aumentos médios de 30-40% nos custos do produtor e da indústria. Ocorre que eles estão, hoje, com valor inferior ao de 12 meses atrás. Isso, combinado com o aumento de custos de ambos os elos, tornou a situação bastante delicada para todos e insuportável para muitos.

De nada adianta nos acusarmos e apontarmos dedos. A dor é real de todos os lados

A única solução sem dor seria a capacidade do Brasil recuperar seus empregos, da mão-de-obra nacional conseguir ser mais eficiente (produtividade) e, como consequência, conseguir recuperar renda, mas isso é um processo lento.

Sem isso, não há espaço para aumento de preços ao consumidor e sem este a acomodação será forçada da gôndola em direção à ordenhadeira (ilustrado no diagrama da imagem, em inglês). Se o produtor não entende isso, ainda não entendeu seu setor.

A indústria acreditava que o auxílio deste ano poderia sustentar consumo e preços, mas isso não ocorreu. No entanto, o mercado spot apostou em tal recuperação e logrou puxar preços para cima, antecipadamente. A indústria foi obrigada a seguir a tendência ou não teria leite e, assim, o setor todo acreditou, o produtor voltou a ganhar um ânimo, mas o mercado consumidor deixou todos "agarrados no pincel" — não correspondeu e sua decisão é soberana.

A hora é de usarmos a cabeça e usá-la de preferência fria. No mundo todo os alimentos ao consumidor e os insumos ao produtor e indústria subiram muito. O fato de não estarmos sozinhos indica que algum reequilíbrio tende a ocorrer.

Quem está no mercado hoje, seja produtor ou indústria, sabe minimamente o que faz. Não há mais amadores em atividade. O que ainda não atingimos é um grau evoluído de consciência e de ação em cadeia, em conjunto. Já avançamos muito nesse sentido, mas com a pandemia os desafios triplicaram e exigem de nós todos talvez o triplo de nossa capacidade.

Em inglês há uma expressão: "thinking hats on" , que numa tradução não-literal seria equivalente a "hora de colocarmos a cachola para pensar". 

Figura 1 - Diagrama de como funciona a formação de preço ao produtor na Nova Zelândia, pela Fonterra.

Diagrama de como funciona a formação de preço ao produtor na Nova Zelândia, pela Fonterra.

Quer ser especializar? Confira o curso Tecnologia de leite e derivados lácteos do EducaPoint!

WAGNER BESKOW

TRANSPONDO Pesquisa Treinamento e Consultoria Agropecuária Ltda: Leite, pastagens, manejo do pastoreio, rentabilidade, custos, gestão, cadeia do leite, indústria, mercado. palestras, consultoria, cursos e treinamentos.

18

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

WAGNER BESKOW

CRUZ ALTA - RIO GRANDE DO SUL - PESQUISA/ENSINO

EM 06/08/2021

Prezados amigos: apenas gostaria de registrar que leio a todos os comentários, sempre, e que os mesmos enriquecem e ampliam o tema abordado. Evito responder um a um, deixando que cada um expresse sua livre opinião, pois nenhum de nós é dono da razão e estamos sempre aprendendo uns com os outros. Assim, minha hora de "falar" e ao escrever um artigo, depois é hora de escutar. Forte abraço a todos e parabéns pela visão crítica e construtiva.
ARNALDO BANDEIRA

CURITIBA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 06/08/2021

Ótimo Artigo. Parabéns Dr Beskow! Sua análise é muito precisa e coloca muito bem as dificuldades da cadeia do leite. Talvez a maior delas seja não termos entendido, especialmente indústrias e produtores, que o melhor caminho é estabelecer uma relação colaborativa e fazer a gestão desse negócio com uma visão de cadeia de suprimento e, abandonar de vez a visão estreita, cada segmento na sua caixinha, sem entender que os preços (valores que irrigam o conjunto da cadeia) serão sempre determinados pelo consumidor final. É ele, o consumidor final a fonte que emite as informações do que quer e o que pode comprar e qual o preço que pode e quer pagar. A partir daí, só um modelo de gestão racional e inteligente, pautado numa relação colaborativa (e não apenas de competição) entre os demais agentes econômicos da cadeia seria capaz de distribuir de modo mais justo os recursos gerados. Há pelo menos cinco anos, os sucessivos movimentos de alta e queda dos preços se dão quase que exclusivamente por oscilações na disponibilidade interna (ponta da oferta) e raramente puxados pela demanda (exceção AEG em 2020). Assim, não tem nenhum sentido a "briga" eterna entre indústria-produtor. Mais razoável seria buscar mecanismos que incluam outras variáveis, além do preço, para regular a relação produtor-indústria, visando um ambiente de negócio mais estável e seguro, que possibilite uma distribuição justa da riqueza gerada pela ação de todos os agentes ao longo da cadeia produtiva.
SANDRO COSTA NUNES

ITANHÉM - BAHIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/08/2021

Resumindo e respondendo como produtor há mais de 40 anos no mercado: quando a corda quebra(e sempre quebra) só quem sofre é quem tá lá no campo acordando cedo para não deixar o Brasil com fome.
DOUGLAS GEHRKE

CAPITÃO LEÔNIDAS MARQUES - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/07/2021

Faça agora uma análise do margem de lucro dos supermercados... R$ 50,00 do queijo no supermercado, quem vai comprar?!
JOSÉ KIYOSHI

BASTOS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/07/2021

Pq sempre a responsabilidade é do produtor?
Pq o produtor tem de ser mais competitivo, baixar custo de produção, melhorar qualidade se o produtor não é remunerado. Fazemos isso a ANOS sabemos decor e saltiado o nosso dever e sempre colocamos nossas "cachola" pra pensar.
Não adianta dizer oq fazer pra um produtor. Estamos nos empenhando o máximo para continuar na atividade e continuamos pq AMAMOS as nossas vacas, nossos bezerros (as) e colaboradores q entendem a situação e continua conosco pq AMA oq faz.
Somos simples, humildes, companheiros e ajudamos uns aos outros sempre.
Falta de informações mais claras sobre LUCROS DAS INDÚSTRIAS E VAREJO. PQ SOBRE ESSE ASSUNTO NINGUÉM VÊ EM NENHUM CANAL.
DEVERIAM FALAR SOBRE ISSO EM ALGUMA MATÉRIA FUTURA.
JOSÉ KIYOSHI

BASTOS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/07/2021

Caro Wagner, entendo sua análise em partes.
Falar que o produtor não entende de mercado lácteo, isso é um pouco incoerente tá! Sabemos muito bem a situação que estamos passando e que a população passa TBM. Agora, vamos falar na margem de lucro da indústria e do varejo? Pq do produtor todos sabemos. Vamos fazer uma matéria sobre esse assunto?
Todo produtor sabe o valor dos insumos, só precisa falar mais das importação de produtos lácteos, pra TODOS entender como funciona esse setor.
JOSÉ KIYOSHI

BASTOS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/07/2021

Pq os comentários tem de ser analisado?
Não é um site democrático?
EQUIPE MILKPOINT

PIRACICABA - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 30/07/2021

Olá, José, tudo bem?

Obrigada pelo seu questionamento. Sim, somos um site que preza pela liberdade de expressão de todos os nossos usuários. Contudo, eventualmente, recebemos comentários ofensivos e de baixo calão, que vão além do direito de manifestação e não agregam ao debate, e, por isso, entendemos que não devem ser publicados. Felizmente, estas situações são esporádicas e, no geral, a maior parte dos comentários é publicada prontamente.

Espero ter esclarecido sua dúvida, obrigada por nos acompanhar.

Grande abraço
ITAMAR AMARAL

BITURUNA - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/07/2021

Tem que aumentar o salario minimo
As industrua de compensado aqui ou madereira estao ganhando muito dinheiro com a exportacao e os asalariato estao na mesma
RONEY JOSE DA VEIGA

HONÓRIO SERPA - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/07/2021

E do varejo alguém vai falar? Não fazem NADA, além de expor o produto e compram mussarela por 27,00 e revendem a 40,00 o kg!!! O varejo ganha muito... e faz muito pouco, ajuda a desorganizar a cadeia produtiva, e não só a de lácteos!
ALEXANDRE BASILE DE CASTRO

CASA BRANCA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/07/2021

A indústria importa leite pra garantir uso adequado do seu parque fabril. Simples assim.
Entendo a questão do consumidor e gostaria de ver a população com uma renda melhor não só pra poder comprar mais lácteos.
Precisamos de uma indústria procurando saída na tecnologia, inovação e mercado pra ajudar a cadeia toda a seguir em frente.
A consolidação do setor trouxe eficiência pra indústria ? Os experts poderiam nos dizer.
Garanto que o produtor que está conseguindo sobreviver foi por esta linha. E o fez muito bem.
O que fez a indústria ? Temos poucas exceções que primam por produto de qualidade, boas estratégias de marketing, etc e "coincidentemente" estes remuneram mais seus produtores que conseguem entregar um produto melhor que por sua vez melhora os índices de rendimento e produtividade da própria indústria.
Caros amigos da indústria, olhem pro lado, tem parceiro de vocês trabalhando melhor a relação com o produtor pelo simples fato que antes eles fizeram a sua lição de casa.
Eu como produtor fiz isto e agradeço as referências que consegui ter, sem elas eu não estaria continuando a investir, acreditando no setor e isto tudo tendo uma relação tranquila e transparente com a indústria o que parece estranho nestes dias.
Funciona pra poucos ... deveria ser pra muitos.
ANTÔNIO CARLOS GUIMARÃES COSTA PINTO

LUZ - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/07/2021

Com o atual cenário, com preços de soja e milho nas alturas, está havendo um grande abandono da atividade. E hoje o produtor migrar para grãos ou corte é fácil, atividades comuns dentro da propriedade. Já os laticínios deveriam estar muiiiiiito preocupados, porquê uma indústria de lácteos não dá para migrar para outra indústria, sapatos por exemplo.
VOLMAR LUIZ CHAVES MARTINS

IJUÍ - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/07/2021

A indústria e todos os técnicos toda vez que entramos numa crise de preço (e não foram poucas nós últimos tempos)nós cobraram gestão, redução de custo !
Porque agora ao envés de pedir ajuda
Dos produtores não reduzem os seus custos
Coloquem em prática a tal gestão
Lembrando que nem um produto usado pelas indústrias dobrou de valor no último ano
Já os adubos mais que dobraram e os concentrados quase dobraram, fora o resto
E tenho certeza que a indústria vai é fazer o que sempre fez ,o mais fácil baixar o preço ao produtor
EDUARDO SALVADOR ROCHA

BALDIM - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/07/2021

Não tem possibilidade de acordo. Tem que aumentar os preços para que se pague a ração, o mineral, os medicamentos, a mão de obra, o volumoso, a energia, a manutenção de ordenha, de maquinário, a limpeza de pastagem, a reforma e construção de cercas, a assistência veterinária, os combustíveis, ufa!!!! Não vou falar do pró-labore. Sem isso o produtor quebra, abandona a atividade, diminui o volume de leite ofertado e mais cedo ou mais tarde vai subir, por não ter.
ELVIS LUÍS BASSO

SANTO ÂNGELO - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 29/07/2021

A indústria por anos, isso falo desde o momento que a importação de leite em pó da Argentina foi liberada a deus dará, se beneficia da importação em períodos de alto preço do leite nacional, importando leite barato e o reconstuindo e forrando os bolsos. O único problema que foi exterminando o produtor nacional e hoje essa indústria não consegue manter o mínimo de captação para se manter funcionando.
A muito tempo falo que chegaria o dia que a indústria mataria a vaca, e que ficaria sem leite.
Se o preço ao produtor está muito ruim, simples, as vacas vão ao abate.
Ninguém está fazendo nenhum favor em produzir leite, ou é rentável ou o produtor tem que partir para outra atividade.
O problema é muito maior que a falta de renda da população.
1 entregar a produção sem saber o preço que vai receber, após 45 dias descobre se que não dá para pagar as contas.
2 duros impostos em maquinários e insumos usados na atividade o que impossibilita competir com outros países.
3 importação do Mercosul com a falácia do livre comércio, mas na hora de comprarmos insumos, grãos e maquinários importados o tal do livre comércio não vale.
4 estímulo por décadas em aumento de escala onde o pequeno produtor, este já extinto pagou pela ineficiência de grandes produtores que recebiam valores muito superior a média paga pelo litro. Hoje vemos grandes fazendas liquidando por que é inviável produzir por que não há pequenos para sustenta-las.
5 não existência de leite cota, ou seja, cada um produz o qto achar que deve produzir.
6 falta de estoques reguladores do governo, antigamente a Conab fazia isto em diversos seguimentos, compra qdo está barato e oferta qdo vai ficar caro, com a manutenção de preços médios inviabiliza a importação
DIOGO LEONARDO FERNANDES

JOVIÂNIA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/07/2021

Só não entendo o posicionamento da indústria de estar perto de um colapso, querendo compreensão de produtores e governo, aumentando suas importações e já falando em queda ao produtor. Se a demanda está fraca, a produção de derivados lácteos deveria diminuir para acompanhar essa semana fraca. Então o por que de aumentar importações de leite?
Leite nacional deveria ser valozidado, todos ganhariam.
MARLUCIO PIRES

EDEALINA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 29/07/2021

Boa tarde Wagner.

Posso te afirmar, que o (recorrente)atrito entre produtores e indústria, acontece por parte do produtor, por entendermos que a corda vai arrebentar do nosso lado.

Nenhum produtor é inocente ao ponto de não entender que a renda do consumidor está sacrificada pela inflação. O que realmente revolta, é que a única variável da cadeia é o preço ao produtor. Se o custo da indústria sobe, é ela não consegue repassar ao canal varejista, de onde sai esse dinheiro? Acertou, do preço pago ao produtor. Nem o leite importado,que continua entrando, mesmo custando mais que o o leite pago ao produtor nacional, sofre, pois os contatos são feitos no ato da compra. Acho que o único insumo da indústria que não tem pressa contratado antes da compra, é o leite ao produtor.

Então quando vemos essas notícias em que a indústria fala em colapso, já sabemos, como produtores de leite, o que nos aguarda.
EVERTON DANIEL GOELZER

QUINZE DE NOVEMBRO - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 28/07/2021

Alta carga tributária em cima do setor produtivo, produtores e indústria... aliás, gostaria de perguntar porque sobre a ração de bovinos se cobra PIS/COFINS e na suína não? Aumentando o custo dos produtores de LEITE
MilkPoint AgriPoint