ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Escore de condição corporal (ECC) em vacas leiteiras

POR RICARDA MARIA DOS SANTOS

E JOSÉ LUIZ MORAES VASCONCELOS

JOSÉ LUIZ M.VASCONCELOS E RICARDA MARIA DOS SANTOS

EM 01/02/2007

3 MIN DE LEITURA

10
2

Atualizado em 30/12/2020

O escore de condição corporal (ECC) é utilizado para determinar a condição nutricional dos animais com base na avaliação visual e tátil. É uma medida subjetiva, que classifica is animais em função da massa de gordura e da cobertura muscular. 

 

Por que fazer escorre da condição corporal (ECC) em vacas de leite?

O ECC deve ser feito para se encontrar o equilíbrio entre o manejo alimentar e a viabilidade econômica da atividade leiteira, sempre buscando a máxima produção e o bem-estar animal.

O ECC é particularmente útil na secagem e no pré-parto, pois o objetivo é assegurar que as vacas tenham condição corporal adequada ao parto, para que a ocorrência de problemas fique reduzida. No inicio da lactação as vacas ficam com uma considerável pressão nutricional (balanço energético negativo) e o ECC pode ser usado como indicativo de perda de peso excessiva. A manutenção do ECC adequado para cada fase previne a ocorrência de problemas metabólicos.

A maioria das pesquisas com ECC tem o objetivo de mostrar o escorre ideal em cada fase para a máxima produção de leite, mas é igualmente importante estabelecer o correto ECC para prevenir os problemas ao parto, tanto distocias (dificuldade de parto) como problemas metabólicos.



ECC nas diferentes fases do ciclo produtivo das vacas

Secagem e Pré-parto: A vaca não deve estar gorda no final da lactação. O ECC deve permitir uma suplementação moderada durante o período seco para preparar a vaca para a lactação subsequente (No período seco a redução do ECC deve ser evitada).

Ao parto: A vaca não deve parir gorda. Vacas gordas desenvolvem fígado gorduroso, cetose e apresentam mais problemas de parto e outras doenças metabólicas, consequentemente apresentam mais problemas de fertilidade subsequente.

Início da Lactação: No início da lactação as vacas sofrem um considerável estresse nutricional (demanda energética é maior do que a capacidade de consumo), e a alimentação adequada é essencial para prevenir perda excessiva de peso. Vaca muito magra também é problema.

Período de Serviço: As vacas não devem estar em déficit energético, isso resultaria em baixa taxa de ciclicidade e fertilidade.

 

Como avaliar o escore de condição corporal (ECC)?

Para a avaliação do ECC as vacas devem ser observadas com bastante cuidado, para que as reservas corporais sejam avaliadas. Alguns métodos envolvem a palpação de algumas áreas, exigindo uma contenção mais adequada dos animais.

A escala mais utilizada para gado de leite é a que vai de 1 a 5 (EDMONSON et al., 1989), sendo 1 para a vaca extremamente magra e 5 para a vaca extremamente gorda. Dependendo do grau de experiência do avaliador a escala pode ser quebrada em 0,50 ou 0,25 pontos.

 

Figura 1. Sistema de índice de condição corporal segundo Edmonson et al, (1989).

 


A avaliação do escore da condição corporal, observando apenas a garupa da vaca é prática e rápida (Maciel, 2006).

ECC = 2,0

 


ECC = 2,5

 


ECC = 3,0

 


ECC = 3,5


 


ECC = 4,0

 

 

Quando avaliar o ECC?

O ECC deve ser avaliado em momentos em que seja possível a tomada alguma atitude para corrigir as possíveis falhas. A recomendação é para que seja realizada a avaliação no momento da secagem, ao parto e no final do período voluntário de espera.

Tabela 1. Escorre de condição corporal recomendado para cada fase produtiva das fêmeas bovinas.


O ideal é que o ECC na secagem seja muito próximo ao ECC ao parto (no máximo 0,5 pontos abaixo), nunca acima, pois a vaca não pode perder peso no pré-parto.


Como modificar o ECC?

O ECC não pode ser alterado rapidamente. A dieta deve ser balanceada para que a recuperação seja lenta, sem comprometer a saúde da vaca. As vacas gordas devem ser mantidas em pasto de baixa qualidade, mas com fibra suficiente para garantir a funcionalidade do rúmen, esses animais devem ser monitorados constantemente, a perda de peso pode causar problemas metabólicos, principalmente no pré-parto.

RICARDA MARIA DOS SANTOS

Professora da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Uberlândia.
Médica veterinária formada pela FMVZ-UNESP de Botucatu em 1995, com doutorado em Medicina Veterinária pela FCAV-UNESP de Jaboticabal em 2005.

JOSÉ LUIZ MORAES VASCONCELOS

Médico Veterinário e professor da FMVZ/UNESP, campus de Botucatu

10

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

FRANCISCA THAIS BEZERRA DE MOURA FERRO

NOVA RUSSAS - CEARÁ

EM 02/06/2019

Com escore 4,0 a vaca jáa está acima do recomendo (3,25 a 3,5).
Pode ter ocorrido algum problema nutricional que gerou estresse nos animais, pois vacas de alta produção são bastantes sensíveis a mudanças.
ANTONIO PROFETA DE OLIVEIRA FILHO

ITABUNA - BAHIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 24/01/2019

Nada mas importante que estas considerações em vacas produtoras de Leite!
JOÃO LEONARDO PIRES CARVALHO FARIA

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 28/08/2017

Excelente!
LUIS DORNELLES

CAMPO GRANDE - MATO GROSSO DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 02/12/2013

Eu acredito que se as vacas parirem entre 3 e 4 seria o ideal

e o mais importante no momento do protocolo acredito que seja o animal estar num balanco energetico positivo, se isso estiver acontecendo, ja tive experiencia com vacas de escore 2,5 darem indices excelente na primeira inseminacao
EDVARDO PEREIRA DE MELO

TERESINA - PIAUÍ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 18/12/2012

Tenho pesquisado os trabalhos diversos de vossa autoria, principalmente no que diz respeito a Nutrição Animal, principalmente pelo enfoque de formulações de ração (vacas leiteiras). Portanto, gostaria de receber uma tabela de nutrição para cálculo de bovinos em confinamento e semi-confinamento, haja visto, que a NRC (2001) não foi possível trabalhar com ela.
MILTON PAULO F. SANCHES

BAURU - SÃO PAULO - ESTUDANTE

EM 24/07/2008

Como estou me preparando para ingressar na produção leiteira, os artigos que tenho encontrado aqui têm sido de imensa valia. Estão me ajudando a definir os rumos que devo seguir para não apenas obter sucesso no empreendimento, mas também para agir com correção e respeito com os animais e a propriedade rural como um todo.

À equipe, apenas agradecimentos e elogios.
Milton
ALCIDES FELIPE CANOLA

SEBERI - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 13/05/2007

Parabéns pela indispensável abordagem do ECC no manejo dos animais.

Acredito que em vacas de alta produção, o ECC no parto deve ser de no mínimo 4, pois já fizemos avaliação a campo, e vacas paridas com ECC menor que 4, tivemos muita perda de peso no pós-parto e dificuldades no retorno do cio, causado pelo balanço energético negativo.


Um abraço.

Canola - Engenheiro Agrônomo
MARIA SELMA P. DE ANDRADE HAGE

NOVO REPARTIMENTO - PARÁ - PRODUÇÃO DE CAPRINOS DE CORTE

EM 15/02/2007

Sempre observei o escore corporal nas propriedades, acho importante para identificar o manejo dos animais e detectar as possíveis deficiências nutricionais. A qualidade do consumo é mais importante do que a quantidade.
EDVALDO MOREIRA DE MELO

SANTA ISABEL - SÃO PAULO

EM 03/02/2007

Eu gostei nuito deste artigo. Bom para orientar o produtor no manejo de suas vacas, evitando que não fiquem gordas demais nem magras.
SALVADOR ALVES MACIEL NETO

RIO PRETO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 03/02/2007

Gostei muito do artigo e vou começar a observar nas propriedades em que atuo.
MilkPoint AgriPoint