ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Micotoxinas: o perigo invisível

ESALQLAB

EM 23/07/2017

6
0
Prof. Dr. Carlos H. Corasin
Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos
USP

Aproximadamente 25% da produção de grãos em todo o mundo é afetada por micotoxinas, levando a perdas de bilhões de dólares. Embora as micotoxinas sejam encontradas em vários produtos agrícolas, as contaminações de grãos e silagens, desempenham um papel de destaque.

Alimentos mofados geralmente diminuem parâmetros de desempenho das vacas em 10%, mesmo que eles não produzam micotoxinas, pois a aceitação deste alimento pelos animais é menor, diminuindo o consumo de matéria seca, a produção de leite e ganho de peso corporal.

As micotoxinas mais importantes encontradas em ingredientes usados na alimentação animal abrangem as produzidas por fungos do gênero Aspergillus (aflatoxinas B1, B2, G1 e G2) e Fusarium (desoxinivalenol-DON ou vomitoxina, zearalenona e fumonisinas B1 e B2).

Quando as micotoxinas estão presentes na dieta, elas podem causar problemas, mesmo a níveis extremamente baixos de ingestão. Abaixo preparamos um infográfico com recomendações de níveis de atenção e crítico para três principais micotoxinas.



O declínio no desempenho pode até ser negligenciável, porém dentro de dias ou semanas, o efeito do consumo contínuo de micotoxinas sobre o desempenho (redução na produção de leite ou ganho de peso corporal) torna-se mais evidente. Sinais não específicos, incluindo redução no consumo, diminuição da produção de leite, distúrbios gastrointestinais, imunossupressão, aumento da contagem de células somáticas no leite, cetose e deslocamento de abomaso podem ser aumentados significativamente pela ingestão de micotoxinas.

Taxas de concepção reduzidas ou aborto também podem estar relacionados com o consumo de micotoxinas. Os efeitos das micotoxinas são ampliados pelo estresse da produção, sendo que animais confinados e de alta produção são mais susceptíveis aos efeitos das micotoxinas. Efeitos da toxicidade crônica também são caracterizados por lesões hepáticas, sinais de degeneração gordurosa, necrose e carcinomas no fígado, ocasionando também alterações na população dos microrganismos ruminais.

Além do impacto importante sobre a saúde e o desempenho de vacas leiteiras, a ingestão de uma ração contaminada com aflatoxina B1 leva à sua biotransformação em aflatoxina M1 (AFM1) que é excretada no leite, representando um grave risco para a saúde humana.

Cuidados de armazenamento e o gerenciamento de práticas agrícolas devem ser prioridades para evitar a presença de fungos indesejáveis e a produção de micotoxinas. Porém, mesmo com a aplicação de técnicas corretas, o processo de fermentação da silagem não irá destruir as micotoxinas se a contaminação já tiver ocorrido e, em alguns casos, este processo pode levar à concentração de toxinas nos grãos.

Análise de rotina para determinação da presença de micotoxinas em ingredientes de ração, principalmente de grãos e silagem de milho, é fundamental para o diagnóstico e controle do problema.

Juntos em prol do AGRO: A ESALQLab, plataforma de análises laboratoriais para o AGRO, do Departamento de Zootecnia da ESALQ/USP firmou parceria com o Laboratório de Microbiologia e Micotoxicologia de Alimentos (LMMA) da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da USP e passa a oferecer análises para quantificação de micotoxinas em alimentos.
 

6

COMENTÁRIOS SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Seu comentário será exibido, assim que aprovado, para todos os usuários que acessarem este material.

Seu comentário não será publicado e apenas os moderadores do portal poderão visualizá-lo.

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ESALQLAB

PIRACICABA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 31/07/2017

Olá, Fermando.
Dentre as micotoxinas a Zearalenona pode estar relaciona a cios irregulares, cistos ovarianos, baixas taxas de concepção, perdas embrionárias e abortos em ruminantes, contudo não é possível afirmar que seja isto neste caso especifico, tendo em vista que várias outras condições sanitárias também podem ocasionar estes problemas reprodutivos. Porém é aconselhável verificar a presença e a quantificação destas micotoxinas na dieta do rebanho.
FERNANDO GIORGETTI

RIO CLARO - SÃO PAULO

EM 31/07/2017

Existe uma correlação micotoxinas com alta detecao de cisto luteinico e folicular em rebanho HPB de alta produção em sitema de confinamento free stall?
PAULO ROBERTO VIANA FRANCO

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 28/07/2017

Também monogastrico, como suínos podem ser afetados pelas micotoxinas.
Cuidados com armazenamento e taxa de umidade.
SAULO DA BOIT GOULARTE

SIDERÓPOLIS - SANTA CATARINA - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 25/07/2017

Um ponto bastante importante a ser elucidado são as famosas "promoções de grãos", muitas vezes oriundas de estoques contaminados. Excelente matéria. A UFSM faz um trabalho fantástico com micotoxicoses.
EVA ELOISA FORMAGIO EVA

EM 25/07/2017

Excelente matéria e é bom para que ficamos alertas. Obrigada
EVA ELOISA FORMAGIO EVA

EM 25/07/2017

Excelente matéria e é bom para que ficamos alertas. Obrigada