ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

O que determina o sucesso de uma fazenda produtora de leite?

Prof. Dr. Paulo Machado*

Muitos produtores de leite acreditam que o sucesso de seu negócio depende de fatores relacionados à qualidade do rebanho, à infraestrutura disponível, à tecnologia utilizada. Isso tudo é importante, sem dúvidas. Porém, o que determina o quão bem sucedido será qualquer negócio tem a ver com outra questão: o jeito de ser do proprietário. À primeira vista, essa afirmação pode parecer estranha, mas nossa experiência acompanhando fazendas de todo o Brasil valida a ideia.

Por isso, sempre que propomos a implantação do Sistema MDA, modelo de gestão desenvolvido pela Clínica do Leite para fazendas produtoras de leite, sugerimos que os donos das propriedades estejam abertos a uma nova forma de pensar. E essa é uma proposta um tanto desafiadora. Afinal, mudar exige refletir sobre a própria postura diante de diferentes situações e, especialmente, sobre o impacto do seu comportamento nas decisões e, por consequência, nos resultados do negócio.

Parece óbvio, mas já vimos vários processos de aperfeiçoamento da gestão serem abortados porque os produtores não estavam dispostos a mudar a forma de pensar e agir. Geralmente, essa dificuldade está relacionada à falta de clareza quanto ao propósito do negócio. Por que entre tantas atividades possíveis de se trabalhar, você escolheu produzir leite? Como gostaria de ver seu negócio no futuro? E de que forma construirá o caminho que o levará até lá?

Além de responder a essas perguntas básicas, o produtor deve refletir sobre seu estilo de liderança, ou seja, em que medida seus hábitos e comportamentos influenciam a ação (ou a reação) de outras pessoas importantes para o negócio - empregados, familiares, sócios, clientes, fornecedores. Defendo que o jeito de ser da fazenda é um espelho do jeito de ser do dono. Se ele é negligente com as pessoas, elas não se importarão umas com as outras - o que é um gatilho para conflitos. Se não dá atenção aos detalhes do processo produtivo, os empregados também não darão. Se não monitora indicadores que vão além dos financeiros, por que os outros achariam isso importante?

É o líder quem define o rumo e o ritmo da jornada. Então não faz sentido cobrar entrega e envolvimento da equipe se o produtor não estiver realmente engajado, decidido a ser melhor todos os dias e empenhado em mudar o que for necessário para que os resultados apareçam. Ao adotar essa postura, aberta à transformação, ele começa a cultivar um novo jeito de ser na fazenda, que só tem um caminho possível: o sucesso.
 
*Diretor da Clínica do Leite, é professor da Esalq/USP, professor titular em Bovinocultura de Leite, com 43 anos de experiência em gestão de fazendas.

CLÍNICA DO LEITE

Vinculada à ESALQ/USP, a Clínica do Leite é uma instituição sem fins lucrativos que atua em gestão da pecuária de leite, por meio da geração de conhecimento e da formação de pessoas.

8

COMENTÁRIOS SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Seu comentário será exibido, assim que aprovado, para todos os usuários que acessarem este material.

Seu comentário não será publicado e apenas os moderadores do portal poderão visualizá-lo.

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

PAULO FERNANDO MACHADO

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 17/08/2017

Muito obrigado, Cibely.
GENIVALDO

JEREMOABO - TOCANTINS - ESTUDANTE

EM 17/08/2017

Parabéns pelo artigo!
GENIVALDO

JEREMOABO - TOCANTINS - ESTUDANTE

EM 17/08/2017

Parabéns pelo artigo!
PAULO FERNANDO MACHADO

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 17/08/2017

É isso aí, Joedson. Estamos alinhados.
Grande abraço.
PAULO FERNANDO ANDRADE CORREA DA SILVA

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/08/2017

Liderança define a atitude de todo e qualquer universo de liderados.
Nações, time de futebol ( vide Tite) ou fazendas de leite.
Na minha visão, independentemente da idade do líder.
Se for preciso mudar para corrigir atitude e resultado, há que se mudar.
E aí o ilustre Prof. Machado tem toda razão. O líder admitir que tem que mudar, não é fácil.
Mas, neste caso, ou muda ou fracassa.
Ótima reflexão! Obrigado.
JOEDSON SILVA SCHERRER

CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - ESPÍRITO SANTO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 24/07/2017

Bastante interessante estas ponderações.
Se não há planejamento e nem se sabe onde chegar como prever sucesso na atividade.
Produzir Leite é uma atividade muito dinâmica, com mudanças a todo instante e com novos conceitos.
Não é possível gerenciar uma fazenda com pensamentos ou ações que contradizem ou já foram superadas.
A presença e o engajamento do responsável, a transmissão de responsabilidade para toda e equipe com cobrança de resultados e a valorização de todos os envolvidos são fatores essencias para o sucesso.
ADOLPHO QUIXADA ARAGAO NETO

VOLTA REDONDA - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 18/07/2017

Dr.Paulo Machado, parabens pelo blog. Esse é o grande desafio na cadeia do Leite pois a grande maioria dos produtores ta na casa dos 70 anos e não tem capacidade para digerir as novas tecnologias, e muito menos humildade para deixar os mais novos fazerem dar certo. Afinal leite nunca deu dinheiro.... Abs e boa semana!
CIBELY PALHARES GOMES

UBERABA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 11/07/2017

Excelente reflexão! O produtor precisa dar exemplo, estar junto, monitorar e mostrar que se preocupa com o negócio. O trabalho deve ser contínuo, e é no dia a dia que percebemos as maiores dificuldades do trabalho de cada um. Sem dúvida alguma o engajamento do proprietário é um espelho para todos se inspirarem ou não.