FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Já imaginou dirigir a noite e sem farol? Não deixe a sua fazenda e seus funcionários no escuro!

POR CLÍNICA DO LEITE

CLÍNICA DO LEITE/AGRO+LEAN

EM 18/07/2016

3 MIN DE LEITURA

11
0
Augusto Cesar Lima
Clínica do Leite




É muito comum, ao visitarmos uma propriedade, termos de perguntar às pessoas sobre os resultados da fazenda. São muitas perguntas feitas para que se tenha um diagnóstico ou uma “fotografia” da propriedade. Dentre estas, podemos destacar:

“Está produzindo muito leite?; A qualidade está boa?; Os animais estão emprenhando?; A dieta está boa?”.

Geralmente, o produtor responde estas questões da sua percepção ou recorrendo a diversos documentos e arquivos. Muitas vezes todas estas informações estão prontas, calculadas em planilhas ou por softwares que não são usados no dia a dia da fazenda.

Agora imagine os funcionários da propriedade? Quantas fazendas se preocupam em comunicar o que está acontecendo a eles? É muito comum encontrarmos colaboradores que não têm ideia dos resultados da propriedade, do setor que trabalha ou da tarefa executa todos os dias.

Você já imaginou o quanto saber os resultados do seu trabalho é importante? Sempre que tratamos deste assunto no treinamento do Sistema MDA, nos remetemos a um jogo de boliche: imagine você jogar a bola de boliche e imediatamente uma cortina cair sobre a pista e você não ver o resultado, ou, não saber quantos pinos de boliche caíram. Como vai jogar a próxima bola? Imagine a sua motivação? É exatamente desta forma que um funcionário desinformado se sente.

O bom é que este é um problema de fácil resolução: a gestão a vista. Implantar painéis com indicadores e informações na fazenda é uma tarefa barata, simples e que traz resultados surpreendentes. Colocamos aqui 6 dicas para você, consultor ou produtor, que pretende iniciar ou melhorar este processo na propriedade:

1) Coloque o mural em um local onde todos passam: não adianta colocarmos o mural na sala ou no escritório da fazenda. Ele precise estar em um local de acesso comum. A sala do café, a sala do tanque, ou o corredor por onde todos passam são exemplos de locais adequados.

2) Procure fazer um mural para cada setor. Coloque indicadores do setor de ordenha no mural deste setor. Indicadores relacionados à alimentação no mural do setor, que pode ficar localizado no barracão de alimentos. O quanto mais os colaboradores se sentirem donos do mural, melhor.
 
Painel do Sistema MDA na ordenha


3) Coloque indicadores com medições frequentes. O mural deve funcionar como o jogo de boliche que mencionamos acima. Ao utilizarmos de indicadores diários ou semanais, estimulamos as pessoas a olharem o mural. É muito comum encontrarmos fazendas que relatam que os funcionários pedem pela atualização do mural, aguardam com ansiedade.
 
 Indicador diário de sobras
 
4) A comunicação é importante. Preste atenção às palavras, ou termos que serão comunicados. Eles precisam ser de entendimento de todos da fazenda. Uma dica é: sempre que puder, coloque indicadores que utilizam o número de observações (ex: número de coberturas, número de casos de diarreias) ao invés de calcular percentuais. Todos entenderão melhor!

5) Escolha apenas indicadores que estão sob a influência dos colaboradores do setor. Não adianta controlar resultados que não dependem das tarefas ou processos daquele setor. Por exemplo, para o setor de ordenha, um indicador que não devemos utilizar é a contagem de células somáticas do leite do tanque. Isto por que este indicador depende de vários fatores, que não estão ligados à ordenha, como por exemplo: decisões de compra e venda de animais, alimentação e conforto do rebanho, decisões de tratamento dos animais, etc. São bons indicadores para o setor de ordenha: limpeza do filtro, limpeza da ponta do teto, eficiência do pós-dipping, contagem bacteriana do leite, etc.

6) Apresente os indicadores no tempo. O uso de cartas de controle é a melhor forma de apresentação dos indicadores. Esta é uma ferramenta que permite “sentirmos” melhor o número, pois comparamos com o passado e podemos perceber a sua tendência. Só de olhar conseguimos saber se esta controlado ou não.
 
Carta de controle de CBT do leite (semanal) – Painel do Sistema MDA na ordenha


Com estas dicas, certamente você terá maior sucesso em comunicar aos funcionários da fazenda os resultados. Com o tempo, perceberá que todos estão ansiosos pela atualização do painel, trabalhando mais engajados e mais felizes.
 

CLÍNICA DO LEITE

Vinculada à ESALQ/USP, a Clínica do Leite é uma instituição sem fins lucrativos que atua em gestão da pecuária de leite, por meio da geração de conhecimento e da formação de pessoas.

11

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

FÁTIMA BRAZ DE ABREU

JÓIA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 25/08/2016


MUITO INTERESANTE TUAS RECOMENDADACOES ESSA FERRAMENTA ME FALTA
EDSON DE SOUZA NETO

SÃO JOÃO NEPOMUCENO - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 25/08/2016

Parabéns a equipe da Clinica do Leite que consegue transmitir conhecimento com simplicidade e praticidade. Essas ferramentas realmente precisam de ser implementadas e aprimoradas nas nossas empresas rurais.
JOÃO LEONARDO PIRES CARVALHO FARIA

MONTES CLAROS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 21/07/2016

Muito bom!!
JOSÉ FRANCISCO CASSIANO DE MORAIS DA SILVA

SABARÁ - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 21/07/2016

É assim mesmo, meu prezado amigo Luiz, tudo passa e tudo muda, novas técnicas estão ai a disposição dos interessados e promissários empresários. No meu caso, durante 61 anos na atividade leiteira, a minha vida e meu tempo foi assim. Hoje aos 69 anos de idade, encerrei a minha atividade leiteira, não sei se definitivamente, pois, como disse, é a minha vida e não tenho mais tempo para recomeçar. Parabéns Luiz, acordou em tempo e pode renovar e recomeçar. Pensei em dedicar à pecuária de corte, mas gosto do curral, das vacas leiteiras e bezerros. Um curral sem vaca leiteira e bezerro berrando, não tem vida. Não bebo, não fumo e não gosto de futebol, assim, minha cachaça é o curral, vacas, bezerros e toda atividade leiteira. Obrigado , Zé Francisco
BRUNO JOSE RODRIGUES

CACHOEIRA PAULISTA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 21/07/2016

Boa noite parabéns pela matéria ,as pessoas tem que acredita no seu sonho se dedica a cada vez mais ,agora eu acho que acertei a minha mão de obra .
DOUGLAS

ARARUAMA - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/07/2016

Muito bom mesmo!
PAULO ZANOLINI FACCHINI

BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/07/2016

Este é o caminho, para todo produtor de leite. Procurava seguir este caminho, mas esbarrei numa ferramenta fundamental que é mão de obra, interessada em ser parceiro. Resultado: parei com a atividade leiteira a 6 meses.
SAMARA LOPES

VALENÇA - RIO DE JANEIRO - ESTUDANTE

EM 20/07/2016

Parabéns|! Seu texto e empolgante e retrata claramente a vida de muitos empreendedores rurais!
VILSON TAVARES TAVARES SILVA

AURORA DO TOCANTINS - TOCANTINS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/07/2016

Parabéns, muito bom o texto, parece muito com a minha situação.
ANA RITA FERREIRA MOURA

PATOS DE MINAS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/07/2016

Ótimo texto Luiz! Concordo com vc, MDA = mudança! Parabéns!!
DANIELLE CABRERA RODRIGUES

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 18/07/2016

Excelente texto, parabéns Luis.
MilkPoint AgriPoint