FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Comportamentos inadequados de funcionários na fazenda: como o gestor deve agir?

POR PAULO FERNANDO MACHADO

CLÍNICA DO LEITE/AGRO+LEAN

EM 16/06/2020

4 MIN DE LEITURA

0
26

Recentemente fui consultado sobre como agir frente a uma situação que ilustro a seguir: “Um dos meus funcionários não está tendo comportamentos ideais e não sei como agir. Ele era uma pessoa muito boa, sempre prestativa, pronta para fazer as tarefas e sugerir formas de melhorá-las, mas de uns tempos para cá mudou seu comportamento. Agora ele está desatento, não vê a hora de terminar o trabalho e ir para casa, sempre de cara amarrada. O que devo fazer? Devo despedi-lo?” 

Esta é uma situação muito comum e aparentemente de difícil solução. Por que isto acontece e como agir?

Muitas vezes os gestores dominam assuntos técnicos, relacionados à nutrição, sanidade, qualidade do leite, mas não são capacitados em entender o comportamento das pessoas. Nestas condições, enfrentar essa situação pode gerar estresse na fazenda e causar grande impacto no negócio, se a abordagem escolhida não for adequada. Neste artigo, descrevo a contramedida a ser tomada para mitigar o problema no curto prazo e como evitá-lo no longo prazo. 

Antes de tomar qualquer ação ao identificar um empregado com comportamentos não ideais, o gestor precisa diferenciar uma pessoa mal caráter de uma pessoa mal capacitada. Para fazer essa distinção, ele deve observar os seguintes comportamentos: a pessoa gera intriga com os demais funcionários? Fala mal dos outros pelas costas? Adula os superiores? Visa apenas os resultados próprios e joga sujo para consegui-los? Se as respostas para essas perguntas forem positivas, há uma boa chance de se estar lidando com uma pessoa de caráter duvidoso. Imaginando que a empresa não seja condizente com esse tipo de comportamento, a solução é clara: essa pessoa precisa ser desligada do time o quanto antes. Mas, se o funcionário não se enquadra na descrição acima, seu desvio de comportamento pode ser um indicativo de que há alguma falha na capacitação e suporte oferecido a ela, que é resultado do sistema gerencial da fazenda.

Para diagnosticar se a causa do problema está no sistema gerencial, o gestor deve se perguntar: estou junto dos funcionários, me comportando com respeito e gratidão? Perambulo todos os dias, participo das reuniões e facilito o trabalho deles? Os empregados têm claro o que é esperado do trabalho, como realizá-lo e têm suporte para isso? Se as respostas forem negativas, certamente a causa do problema está no sistema gerencial. Lembre-se, as pessoas só terão comportamentos ideais se o ambiente permitir que elas se comportem dessa maneira. 

Neste caso, o gestor tem muito trabalho pela frente, a iniciar pela mudança do seu próprio comportamento. Porém, construir um sistema gerencial robusto que leve a comportamentos ideais leva tempo e pode ser que a situação com este funcionário já esteja causando conflito na fazenda. O gestor, então, precisa agir imediatamente para tentar remediar a situação. Para tanto, deve chamar a pessoa em questão para uma conversa franca, ou pode correr o risco de perder este e outros funcionários. 

Para que essa conversa seja bem-sucedida, o gestor deve se preparar e seguir alguns passos:

1. Escolher o local

Eleger um local isolado, pode ser o escritório ou qualquer outro local da fazenda que haja privacidade.

2. Se preparar para a conversa

Pensar previamente em como abordar a situação, as colocações e argumentos que pretende utilizar e os fatos concretos que o levaram a essa decisão.

3. Ater-se aos fatos

Não discutir suposições durante a conversa. Colocar de forma clara para o funcionário os comportamentos que a empresa espera dele, os comportamentos que ele teve que estão desalinhados e quais os impactos disso. O gestor deve ser firme, mas falar de maneira respeitosa e controlada. 

4. Deixar claro o que se espera e colocar um prazo para a definição do caso

Após esses esclarecimentos, o gestor deve deixar claro qual a mudança de comportamento esperada e colocar um prazo para que ela aconteça. 

5. Se colocar à disposição para ajudar e acompanhar 

Nesse período, é fundamental que o gestor esteja junto e se coloque à disposição para ajudar o funcionário, com feedbacks diários e fazendo o possível para ajudar a pessoa a se manter no negócio. 

Se não houver mudança no comportamento do funcionário dentro deste prazo, o desligamento é o caminho natural. Se houver, ele permanece no time. É importante lembrar que, de certa forma, todas as pessoas sempre estão em estado de provação, independente do cargo. O negócio precisa sobreviver e qualquer um que agir de forma desalinhada, deve ser questionado e acompanhado. 

Esta contramedida proposta foi uma forma imediata de mitigar o problema, porém, não garante que ele não volte a ocorrer. É preciso trabalhar para identificar desvios nos comportamentos das pessoas quando eles se iniciam, a fim de evitar novas crises. E, principalmente, trabalhar na construção de um sistema gerencial que permita que elas permaneçam sempre engajadas e tenham os comportamentos ideais, que levam a resultados ideais para a continuidade do negócio e felicidade de todos os envolvidos.

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário! Quer escrever para nós? Envie um e-mail para contato@milkpoint.com.br.

Participe também do nosso grupo no Telegram, para receber as notícias mais importantes do setor diariamente. Acesse aqui > https://t.me/milkpointexperts

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint