ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

O comportamento dos animais pode indicar erros no manejo alimentar

POR CARLA MARIS MACHADO BITTAR

E MARIANA POMPEO DE CAMARGO GALLO

CARLA BITTAR

EM 21/12/2010

5 MIN DE LEITURA

9
0
O alojamento de bezerros em grupos favorece o desenvolvimento de mamada cruzada entre os animais. A mamada cruzada é um comportamento considerado problemático, uma vez que pode ocasionar lesões no umbigo ou úbere do animal mamado e ainda, gerar o hábito da ingestão de urina.

O desaleitamento representa um período em que os bezerros enfrentam uma série de desafios como à restrição ao consumo de leite, mudanças no manejo e instalações. Em resposta a estas mudanças os bezerros podem apresentar algumas alterações em seu comportamento. Nos dias que seguem ao desaleitamento os bezerros tem tendência de manifestar maior atividade de vocalização, maior agitação e podem realizar atividades como a mamada cruzada quando mantidos em grupo.

Planos de desaleitamento convencional costumam considerar a idade do animal e não o consumo de concentrado como meta para interromper o fornecimento de leite. Quando o consumo de concentrado está abaixo do recomendado, o bezerro não consegue suprir suas necessidades o que pode levar ao comprometimento de seu desenvolvimento e ganho de peso. Além disso, o baixo consumo de energia tem sido relacionado com a maior incidência de mamada cruzada entre os animais.

Estudo recente realizado na Suíça indica que quando o desaleitamento é realizado com base no consumo de concentrado, os bezerros apresentam menores índices de mamada cruzada entre os bezerros. O estudo comparou o desaleitamento gradual com base na idade (a) ou no consumo de concentrado (b) (Figura 1). Além de reduzir a mamada cruzada, o segundo método de desaleitamento favoreceu o ganho de peso dos animais. No início do período os animais recebiam 6 L/dia de leite, no período 2 esta quantidade era reduzida para 3L/dia e o consumo era interrompido totalmente no período 3.



Figura 1. Métodos de desaleitamento baseados na idade dos animais (a) e consumo (b). Na figura b, x indica o consumo de 700-800g /dia de concentrado e y o consumo de 200g de concentrado.

Técnicas de desaleitamento gradual tem sido alvo de estudos recentes. Neste sentido, foi realizado um estudo por pesquisadores do Canadá avaliando o efeito do desaleitamento gradual sobre a ocorrência de mamada cruzada. Os animais deste estudo foram aleitados em sistema intensivo, recebendo 12 litros de leite por dia e foram desaleitados aos 41 dias de idade. Foram utilizados 3 métodos de desaleitamento gradual: A) redução de 0,55L/dia em um período de desaleitamento de 22 dias, iniciado aos 19 dias de idade; B) redução de 1,2 L/ dia em um período de desaleitamento de 10 dias, iniciando aos 31 dias de idade; C) redução de 3L/ dia por um período de 4 dias, iniciando aos 37 dias de idade. Os bezerros desaleitados de forma abrupta tiveram uma redução dos 12 L de leite aos 41 dias de idade.

Os resultados obtidos neste estudo indicaram que uma vez iniciado o processo de desaleitamento, maior atividade de mamada cruzada foi observada (Figura 2). O desaleitamento gradual iniciado mais cedo (tratamento A) resultou em maior freqüência de mamada cruzada, o que foi associado ao menor consumo de energia pelos animais (< 95,5 Kcal/Kg de PV). Animais jovens ainda apresentam baixo consumo de concentrado, o que resulta em baixo consumo de energia quando se inicia o processo de desaleitamento.

Embora o consumo de concentrado esteja inversamente correlacionado ao consumo de leite, essa relação não é tão direta em animais bem jovens. Estes animais acabam não compensando o menor consumo de leite com aumentos no consumo de concentrado o que resulta em menor consumo de energia. Os autores observaram também que a maior parte dos bezerros que realizava mamada-cruzada durante o período de aleitamento continuava apresentando este comportamento após o desaleitamento. No entanto, muitos bezerros que realizavam poucas mamadas-cruzadas no aleitamento, passaram a fazê-la após o desaleitamento.



Figura 2. Duração da mamada cruzada em animais desaleitados de forma abrupta (D) ou gradual (A: redução de 0,55L/dia a partir do 19º. dia de vida; B: redução de 1,2 L/ dia, a partir do 31º. dia de vida; C: redução de 3L/ dia, a partir do 37º. dia de vida.

Outro fato observado é que houve maior atividade de vocalização após o desaleitamento, sem haver diferenças entre os tratamentos. Este fato também pode ser um indicativo de que os bezerros estavam tendo baixo consumo de energia.

No caso deste estudo, os animais foram desaleitados na sexta semana de vida, e mesmo os desaleitados de forma gradual, não apresentavam consumo adequado de concentrado. Os autores sugerem que o desaleitamento na sexta semana de vida é muito precoce e muitas vezes superestimam a capacidade do animal em compensar o menor fornecimento de energia, com o não fornecimento de leite, aumentando o consumo de concentrado.

Conclusão

Alterações comportamentais como a mamada cruzada parecem estar relacionadas à baixa ingestão de energia pelos animais e a um inadequado manejo no momento do desaleitamento. Para reduzir o estresse imposto ao animal neste período, é importante assegurar que os animais a serem desaleitados estejam consumindo quantidades adequadas de concentrado (700-800g/ dia para raças de porte grande).

O desaleitamento gradual pode ser uma medida eficiente para reduzir o estresse imposto pelas alterações da dieta contanto que o consumo de energia dos animais neste momento esteja adequado.

Referências

Roth, B. A.; Hillmand, E.; Stauffacher, N. M. K. Improved weaning reduces cross-sucking and may improve weight gain in dairy calves. Applied Animal Behaviour Science, 111 (2008) 251-261.

De Passile, A. M.; Sweeney, B.; Rushen, J.Cross-sucking and gradual weaning of dairy calves. Applied Animal Behaviour Science, 124 (2010) 11-15

Comentários:

O trabalho mostra que alterações no comportamento animal, como a vocalização e mais especificamente a mamada-cruzada, estão associadas a erros no manejo alimentar. Bezerros consumindo reduzidas quantidades concentrado inicial não estão prontos para o desaleitamento e como não conseguem compensar a redução no consumo de energia com a retirada do leite da dieta, acabam por ter seu desempenho prejudicado. Interessante que estes animais, além de apresentarem redução no desempenho e muitas vezes até perda de peso, apresentam também aumento da frequência de mamada-cruzada, também chamada de mamada não-nutritiva.

O trabalho mostra como alterações no comportamento podem ser utilizadas para corrigir rapidamente erros ou inadequações no manejo de bezerros. Sugere ainda que sendo uma prática bastante comum nos Estados Unidos, o desaleitamento na sexta semana de vida só deve ser realizado se for baseado no consumo de concentrado pelos animais, de forma a garantir adequado desempenho animal. Criar o hábito de observar os animais e entender o que eles estão expressando pode ser muito vantajoso não só do ponto de vista de bem estar animal, mas também do ponto de vista econômico.

CARLA MARIS MACHADO BITTAR

Prof. Do Depto. de Zootecnia, ESALQ/USP

MARIANA POMPEO DE CAMARGO GALLO

Engenheira Agrônoma (Esalq/USP), Mestre em Ciência Animal e Pastagens (Esalq/USP), Coordenadora de Cursos Online AgriPoint.

9

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ADAUTO

CUIABÁ - MATO GROSSO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/01/2011

Prezada Carla.

Grato pelas respostas, me foram muito esclarecedoras.

abs
CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 18/01/2011

Caro Adauto,

O desaleitamento só será possível aos 45 dias se o consumo de concentrado for adequado, está é na verdade a única exigência mínima do ponto de vista fisiológico do animal. Dobrar o peso ao nascer ou apresentar padrões de peso e altura são exigencias do ponto de vista produtivo, e podem variar de acordo com o seu sistema de produção. A conta com 1,5% do peso ao nascer é extamente esta. Vários produtores seguem este tipo de manejo, embora hoje a tendência seja de aumentar o período de aleitamento apreveitando tanto o preço competitivo dos bons sucedâneos assim como a melhor eficiência para ganhar peso dos animais mais jovens.
Abs.,
Carla.
ADAUTO

CUIABÁ - MATO GROSSO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 13/01/2011


Prezada Carla,

Aproveitando um pouco mais do seu precioso tempo, gostaria de estender a minha questão anterior.
Como havia comentado, vou fazer um teste com um sucedâneo de leite e ração peletizada(o que eu uso é um concentrado(75% milho/25% f. soja).
O objetivo é testar a possibilidade de desmame aos 45 dias.
Gostaria de saber sua opinião sobre os parâmetros mínimos para que tal manejo possa ser efetuado sem prejuízo ao desenvolvimento dos animais, como por exemplo, supondo que ele esteja consumindo a quantia desejável de ração(500grs/dia), mas ainda não tenha atingido o peso ideal(2 x o nascimento), entre outros.

E se conhece produtores que adotem este manejo e em que condições o fazem.

Obs.: Na sua resposta, se utilizarmos 1.5% do peso ao nascer(20 a 25 kg) para a o consumo necessário de concentrado para o desmame, no meu caso, estes valores ficariam entre 300 grs e 400 grs. É isso..?

Obrigado novamente.


att
CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 04/01/2011

Caro Claudio,

É mais ou menos por aí­ sim...dependendo do preço não se tem grandes benefí­cios da substituição.
Abs.,
Carla.
CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 04/01/2011

Caro Adauto,

O consumo de concentrado para raças pequenas deve de aproximadamente 500g/d ao desaleitamento. Pode-se utilizar valores ao redor de 1,5% do peso ao nascer em consumo de concentrado para o desaleitamento. Esse valor retira o efeito do porte animal, considerando que mesmo dentro da mesma raça temos variações no tamanho dos animais. A ideia em termos de desempenho é que os animais dobrem o seu peso durante a fase de aleitamento.
Abs.,
Carla Bittar
ADAUTO

CUIABÁ - MATO GROSSO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/01/2011

Prezada Carla,

Trabalho com uma raça pequena(jersey), mas adoto esta mesma referencia de consumo de concentrado(700/800grs/dia) para o desmame, que ocorre normalmente aos 60 dias, estando eles com peso entre 2 a 2.5 vezes o de nascimento.
Eles não tem contato físico, e mesmo após o desmame, ficam ainda alguns dias assim.. Desta forma, raramente tenho este problema, de mamada cruzada, apesar de que há bastante vocalização, pois eles são transferidos somente 3 ou 4 dias depois de desmamados e portanto,continuam muito próximos dos demais que ainda estão sendo aleitados.
Em janeiro vou fazer um teste com uma marca comercial(suscedâneo e ração inicial) de que "promete" o desmame com 45 dias.
Questão: Como não pesquisei qual o peso de desmame das raças grandes, gostaria de saber qual seria a quantia de ração referencia de consumo/dia para desmame em animais de raças pequenas que estejam aproximadamente com 50 kg aos 60 dias, com peso ao nascimento entre 20 e 25 kg.

Agradeço antecipadamente,

Att
CLÁUDIO HENRIQUE OLIVEIRA DE CARVALHO

CÁSSIA - MINAS GERAIS

EM 29/12/2010

Obrigado pela resposta, Carla.

Tenho trabalhado com concentrado (farelado) com cerca de 23% de PB. Concordo com a questão do farelo de trigo, porém, se fôssemos pensar no custo isoladamente, atualmente não seria viável, pois, seu custo está bem acima do que verificávamos, por exemplo, há 6 meses. Mas também acho que seja um alimento interessante, até mesmo em termos de palatabilidade, concorda? Porém, sem dúvida, jamais substituindo o milho de forma integral (100%).

Att.,

Cláudio.
CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 28/12/2010

Caro Cláudio,
Temos trabalhado com concentrados com até 18% de PB na matéria seca mas os melhores resultado sem termos de desempenho são com aqueles que contém 20 ou até 22% de PB e por volta de 80% de NDT. Muitos dos concentrados contém farelo de trigo na composição. É um ingrediente barato e auxilia no processo de peletização, mas não deve substituir em 100% o milho.
Att.,
Carla.
CLÁUDIO HENRIQUE OLIVEIRA DE CARVALHO

CÁSSIA - MINAS GERAIS

EM 21/12/2010

Carla,

Parabéns pela matéria. Bem esclarecedora, didática. Quanto ao concentrado a utilizar, você trabalha com quais níveis de PB? Indicaria o farelo de trigo? Pelo que entendi nas explicações, a indicação é que dificilmente a energia da dieta será atendida somente via concentrado, não é mesmo? Concordo que é preferível a retirada mais gradual do leite.

Att.,

Cláudio Carvalho.
MilkPoint AgriPoint