ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Metas de crescimento para criação eficiente de novilhas

POR CARLA MARIS MACHADO BITTAR

E LUCAS SILVEIRA FERREIRA

CARLA BITTAR

EM 17/11/2008

10 MIN DE LEITURA

3
0
Intrigados com a possibilidade de conseguir uma melhor novilha de reposição? Pretende desenvolver todo o potencial do seu rebanho?

Se você respondeu sim, provavelmente sua próxima pergunta será: "Quanto isso vai custar?" Será que realmente isso vai representar algum dinheiro a mais no bolso, ou seja, leite no tanque? Intervenções no manejo podem fazer você ganhar mais dinheiro de três formas - colocar mais leite no tanque, colocar leite no tanque mais cedo ou através de retorno na forma de rendimento adicional sobre seu dinheiro investido. Dessa forma, alguns ajustes em programas criação de novilhas de reposição podem resultar em ganhos através de uma das formas citadas acima.

Ao avaliar o quanto de retorno uma novilha representa para uma fazenda, lembre-se que o retorno desse investimento somente começará após 20 meses ou mais do seu nascimento. Muitos passos ou erros de manejo entre o nascimento da bezerra e a sua primeira parição podem afetar o seu valor líquido durante a sua vida produtiva. De maneira geral, os dois fatores mais importantes que determinam o valor econômico de uma novilha são (1) a idade ao primeiro parto e (2) o seu peso corporal na parição.

O que são metas de crescimento?

A aplicação de alguns princípios para metas de crescimento reconhece que as exigências nutricionais estão relacionadas com a taxa de ganho e o tamanho corporal em relação ao tamanho do animal adulto. Para se utilizar um sistema de metas de crescimento, algumas etapas devem ser seguidas, conforme mostra a Figura 1. A aplicação sistemática destes princípios permite segmentar o crescimento dos animais com dietas mais próximas das suas exigências nutricionais nas diferentes fases de crescimento.

O National Research Council (NRC) para gado leiteiro (NRC Dairy Cattle, 2001), incorpora taxas de crescimento às predições de exigências nutricionais para as novilhas. Os seguintes fatores são necessários para predizer exigências nutricionais neste sistema: (1) o peso adulto do animal que será alimentado, (2) a idade ao primeiro parto desejada (ou seja, idade de inseminação aceitável), (3) o peso atual da novilha, (4) a idade atual da novilha, e (5) a composição química dos alimentos e consumo de matéria seca da dieta.

Figura 1. Fluxograma para a aplicação do sistema de metas de crescimento a um determinado grupo de novilhas.



Aplicadas corretamente, estas metas de crescimento podem ser usadas para reduzir a idade ao primeiro parto, garantindo mais novilhas em parição. Dependendo da forma como as novilhas foram manejadas anteriormente, a aplicação do sistema de metas de crescimento pode afetar a idade ao primeiro parto e/ou peso vivo na parição. De acordo com o National Animal Health Monitoring System (NAHMS) Dairy Survey de 2002 (USDA, 2002), a média de idade ao primeiro parto nos rebanhos leiteiros norte-americanos é de 25,4 meses.

Estes dados mostram que em 44% das propriedades que conseguem parição das novilhas com menos de 25 meses de idade, cerca de 22% são parto de novilhas com menos de 24 meses. Ao todo 58% das propriedades conseguem a primeira parição das novilhas antes do que 26 meses de idade, mas os 10% que apresentam o parto das novilhas com mais de 30 meses alteram esta média para cima. Ao reduzir a idade ao primeiro parto, as novilhas geram dinheiro mais cedo e menos substituições são necessárias para manter o rebanho.

Uma menor idade ao primeiro parto é economicamente vantajosa para os produtores que mantêm novilhas na propriedade. Modelando os custos de produção em função da idade de parição de novilhas, Lormore (2005) mostraram um rendimento acumulado mais vantajoso para novilhas com parição aos 22 quando comparadas com animais parindo com mais de 24 meses de idade. Os animais que pariram mais cedo melhoraram o retorno financeiro e eficiência das operações, uma vez que menos substituições foram necessárias, satisfazendo a necessidade de reposição do rebanho.

De forma simples, reduzir a idade ao primeiro parto pode significar (1) novilhas gerando dinheiro mais cedo e (2) menos reposições no rebanho para mantê-lo estável (Lormore, 2005). A idade ao primeiro parto é determinada principalmente pelo manejo, e principalmente pela idade na qual as novilhas serão inseminadas.

Quando devem ser utilizadas metas de crescimento?

As novilhas têm uma maior capacidade de crescimento em seus seis primeiros meses de vida. Baseado nessa afirmação, o foco na nutrição precoce para apoiar um ritmo de crescimento desejado e composição do ganho de peso corporal nesta fase é importante. Um sistema com metas de crescimento, baseado em metas desejadas para a idade e peso ao parto, é influenciado principalmente por programas de alimentação e manejos anteriores à puberdade.

Deve-se lembrar de observar condição corporal dos animais, mensurar o peso corporal e assim acompanhar os resultados do programa alimentar. Novilhas acima do peso são mais difíceis de inseminar e apresentam maior risco de problemas no parto. "Lembre sempre de registrar a condição corporal, além do tamanho ou peso corporal para o acompanhamento do programa alimentar das novilhas."

Como determinar o peso adulto?

Quando as vacas entram na 3ª lactação, apresentam cerca de 100% do seu tamanho adulto. A pesagem (com o uso de balança ou fita torácica) das vacas em lactação na sua terceira ou posterior lactação irá fornecer uma estimativa razoável do tamanho médio do se rebanho. Como os animais adultos apresentam flutuações significativas na sua condição corporal durante todo o período de lactação, nesta estimativa devem ser utilizados somente os animais que estão no meio da lactação ou os que apresentem escore 3 (numa escala de 1 a 5).

Como determinar a idade para a primeira parição?

A idade ao primeiro parto é determinada pela idade quando da concepção. Para parir com até 22 meses de vida, as novilhas devem conceber até os 13 meses de idade. Emprenhar novilhas aos 12 meses de idade também é possível, dependendo do sistema adotado. Com isto, se tem a oportunidade de melhorias econômicas no sistema, somente com a meta de idade ao primeiro parto.

Qual o tamanho que uma novilha deve apresentar na parição (e na inseminação)?



Maior peso dos animais (não excesso de peso) no momento do parto está associado a uma maior produção de leite (Hoffman, 1996) e com menores problemas no parto. Em 2001, o NRC definiu que as metas de pesos para a reprodução (inseminação) e parição são baseadas em percentuais de seu tamanho adulto. Novilhas devem emprenhar quando apresentam cerca de 55% do seu peso adulto e assim parir quando apresentarem 82% do tamanho maduro.

O período de puberdade geralmente ocorre quando as novilhas atingem entre 45 a 50% do tamanho adulto. A inseminação das novilhas durante o seu terceiro estro após a puberdade se encaixa com este sistema. Com base no relato de diversos autores, atrasar muito o início do período reprodutivo dos animais após a puberdade resulta em um maior número de novilhas não lactantes a serem mantidas no rebanho. A Tabela 1 mostra as metas de peso para reprodução e para o momento do parto para novilhas com diferentes pesos adulto.

Tabela 1. Metas de pesos para animais leiteiros de diferentes tamanhos adulto¹



Como o peso corporal adulto pode afetar as exigências nutricionais?

No sistema de metas de crescimento, um tamanho padrão de referência é utilizado para estimar a composição para cada fase de crescimento. A composição corporal nos pontos inicial e final, ou seja, o nascimento e a maturidade, são previsíveis e não dependem do tamanho adulto. Animais de diferentes raças e linhagens genéticas podem atingir o padrão de composição corporal com pesos corporais muito diferentes. Por exemplo, o tamanho adulto de uma vaca da raça Holandesa varia de 600 a 800 kg.

Portanto, dois animais em crescimento com a mesma idade ou peso corporal podem estar em diferentes estágios em relação ao seu tamanho adulto e, por isso, diferem em sua composição corporal e composição de ganho. A Figura 2 ilustra esta relação entre o peso e a composição corporal de novilhas com maturidade do peso corporal entre 600 e 800 kg.

As exigências nutricionais dependem principalmente do peso corporal atual do animal e da taxa de ganho desejada. No entanto, as exigências nutricionais também são afetadas pela composição do ganho, que é dependente de maturidade fisiológica. Ambas as taxas de ganho e composição do ganho são contabilizadas com base no sistema de metas de crescimento.

Figura 2. Efeito de diferentes pesos adultos sobre a composição corporal do animal em fases de crescimento semelhante.



Animais mais jovens têm a capacidade de depositar tecido mais magro por unidade de ganho. Energeticamente, um quilo de gordura contém 1,6 vezes mais calorias que um quilo de tecido magro, na base seca. No entanto, tecido magro (que pode ser pensado como músculo) transporta 3,6 vezes mais água e proteínas; dessa forma, depositar proteína está associada com ganho de peso mais eficiente. Com a maturidade, os animais depositam mais gordura por unidade de tecido magro, porém esta mudança na composição do ganho com o avanço da maturidade é semelhante apesar das diferenças de tamanho adulto.

Como é que estas metas traduzem em uma dieta adequada?

A taxa de ganho desejada é calculada conhecendo o peso atual da novilha, a meta de peso na inseminação e o período de tempo durante o qual o ganho de peso deve ser alcançado. A exigência nutricional para apoiar uma determinada taxa de ganho de peso em novilhas com um determinado tamanho corporal adulto pode ser calculada pelo programa do NRC (2001).

Em uma fazenda particular, para que o sistema de desenvolvimento de uma novilha seja bem sucedido, os requisitos nutricionais devem ser cumpridos. Cada sistema de alimentação, ad libitum ou restrito pode ser empregado para atingir a meta de ganho e evitar o excesso de peso. Encurtar o tempo para parição exige sistemas de alimentação e reprodução cada vez mais intensivos. A composição dos alimentos, a real ingestão de matéria seca e a condição corporal das novilhas devem ser monitoradas regularmente e fontes de variação devem ser minimizadas.

Os exemplos apresentados na Tabela 2 ilustram os resultados de metas de criação em três cenários diferentes. Estes exemplos são hipotéticos e podem não refletir os objetivos de um determinado setor leiteiro. Para alcançar estes objetivos em uma determinada situação, o rebanho e as metas de manejo devem ser considerados.

Tabela 2. Aplicação do sistema de metas de crescimento sob diferentes cenários. A taxa de crescimento pré-pubertal é calculada com base em fatores animais e a meta de idade ao primeiro parto (IPP).



Compreender a composição do ganho tem implicações práticas para a formulação de rações. Uma novilha com um maior tamanho adulto apresenta maior exigência protéica para o crescimento quando comparada com uma novilha com menor tamanho adulto, mas com mesmo peso corporal. Como são "mais jovens" fisiologicamente, as novilhas com maior tamanho adulto nesta mesma fase estão depositando mais tecido magro do que gordura por unidade de ganho.

Se estas duas novilhas são alimentadas com a mesma ração ou uma ração com formulação "média", os animais com maior tamanho adulto tendem a apresentar excesso de peso, já que a sua exigência em proteína não está sendo cumprida em relação à energia da dieta. Este efeito também pode ser observado em bezerras alimentadas com maiores quantidades de substituto de leite (ou sucedâneo) contendo apenas 20 ou 22% de proteína bruta, porque não consomem proteína suficiente em relação à sua capacidade para ganho em tecido magro.

Quais são as vantagens de utilizar o sistema de metas de crescimento para formular rações?

Os benefícios econômicos esperados da aplicação de metas de crescimento incluem rápida expansão do rebanho, aumento no retorno financeiro de cada novilha, com aumentos nos rendimentos provenientes da produção de leite e um potencial aumento nos rendimentos provenientes da venda de novilhas. Como um menor número de reposições seria necessário para manter o tamanho do rebanho, em alguns casos, o trabalho para criação de bezerras e novilhas e número de hectares exigidos para esta finalidade poderiam ser reduzidos.

Resumindo, não há um modelo único e perfeito de criação e manejo de novilhas. O que deve ser lembrado é que as dietas devem fornecer teores de proteína e energia necessários para o ganho durante cada fase de crescimento, ou seja, em relação à porcentagem do seu tamanho corporal adulto. Para taxas de crescimento mais aceleradas em novilhas com tamanho adulto maior, a exigência em proteína, principalmente em idades mais jovens, é importante.

Referências

Hoffman, P.C. et al. Effect of accelerated postpubertal growth and early calving on lactation performance of primiparous Holstein heifers. Journal of Dairy Science 79:2024-2031, 1996.

Lormore, M. The case for a quality dairy replacement program. In: Proceedings from Dairy Calves and Heifers: Integrating Biology and Management, Syracuse, NY, 2005.

National Research Council. Nutrient Requirements of Beef Cattle, Seventh Revised Edition, National Academy Press, Washington, D.C., 1996.

National Research Council. Nutrient Requirements of Dairy Cattle, Seventh Revised Edition, National Academy Press, Washington, D.C., 2001.

USDA. Part I: Reference of Dairy Health and Management in the United States, 2002, National Animal Health Monitoring System, Fort Collins, CO, 2002.

CARLA MARIS MACHADO BITTAR

Prof. Do Depto. de Zootecnia, ESALQ/USP

LUCAS SILVEIRA FERREIRA

Engenheiro agronômo formado pela UFSCar e Doutor em Ciência Animal e Pastagens pela ESALQ - USP na área de nutrição e avaliação de alimentos para bovinos. Atualmente exerce a função de Nutricionista de Ruminantes na Agroceres MMX Nutrição Animal

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 24/11/2008

Prezado Paulo,

Na verdade a tabela não se refere a nenhuma raça específica e sim a animais com diferentes tamanho adulto. Você deve avaliar o tamanho adulto de seus animais conforme sugerido no texto, ou seja, avaliar o peso de animais na terceira lactação. A partir desse peso adulto você determinaria os pesos para inseminação e o peso para o primeiro parto.
Um abraço,
Carla.
PAULO BRAGA

BAURU - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/11/2008

Vocês estão de parabéns pela informação que prestaram nesse material.

Na tabela 1. Metas de pesos para animais leiteiros de diferentes tamanhos adulto, Peso corporal adulto, Kg 450, 630, 810. Quais são essas raças que foram informados? Eu tenho animais 1/2 sangue jersey, 1/2, 3/4 e 7/8 girolando; seriam esses mesmo pesos citados?

Obrigado.
CLÁUDIO FELLIPE ROCHA DE QUEIROZ

ITAPECURU MIRIM - MARANHÃO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 17/11/2008

Muito bom, acho que com esse modelo sim conseguiremos tornar a pecuária de leite uma atividade trasparente, antecipando os ganhos e melhor explorando o potencial das novilhas, o que hoje é muito difícil de se fazer pois muitos criadores não se preocupam com seus animais de reposição, mal sabem que este é o ponto chave da criação. Acham que é mais barato adquirir um animal produzindo leite do que "fabricar" o seu.
MilkPoint AgriPoint